Questões de Educação e Cidadania: Aspectos da Educação Brasileira e Regional (Pedagogia)

Limpar Busca

Vasconcellos (2006) ressalta que o Projeto Político-Pedagógico (PPP) pode ser compreendido como a sistematização, não definitiva, de um processo de planejamento participativo que explicita de modo claro a ação educativa a ser realizada na instituição. De acordo com as reflexões do autor, analise as seguintes afirmativas sobre o PPP. I. Entre os passos que podem constar no processo de elaboração e aplicação do PPP, estão: decisão inicial de fazê-lo; trabalho de sensibilização e preparação; decisão coletiva. II. O marco operativo é considerado o conjunto de ações concretas a serem realizadas pela instituição. III. O conhecimento da realidade, o julgamento da realidade e a localização de suas necessidades são tarefas correspondentes ao diagnóstico. Estão corretas as afirmativas

  • A I e II, apenas.
  • B I e III, apenas.
  • C II e III, apenas
  • D I, II e III.

Castro e Regattieri (2009) estudaram a interação escola-família tendo como fio condutor o questionamento sobre como construir uma relação entre escola e família que favoreça a aprendizagem das crianças e adolescentes. Nesse estudo, a finalidade da interação escola-família priorizada pelas autoras é descrita como:

  • A O conhecimento do aluno no seu contexto social como elemento para que as práticas pedagógicas, escolares e educacionais possam ser revistas.
  • B A efetivação do direito das famílias à informação sobre a educação dos filhos.
  • C Uma maior proximidade entre comunidade e escola para conscientização dos responsáveis sobre seus papéis na educação dos filhos.
  • D A consolidação da gestão democrática da escola por meio dos órgãos colegiados.

“Qualquer grupo está permeado por questões de poder. O poder é inerente ao ser humano. E isso porque o poder é político. E o homem é um animal político. Para Weber, o poder está nas relações de mando e obediência, na relação entre empregador e empregado. Para Foucault, o poder só pode ser conquistado com barganha. Segundo essa concepção do pensador francês, o poder é uma relação desigual de trocas, onde os mais privilegiados dão o mínimo (pequenos benefícios) para os menos privilegiados, que são condicionados a serem submissos. Essas coisas mínimas fazem com que os menos privilegiados fiquem passíveis. Somado essa atitude à outras práticas, podemos dizer que é assim que se criam corpos dóceis. Já para Pagès, a organização estimula a formação de um ideal coletivo. Com esse coletivo, surge algo parecido como uma “coerção própria”. Isto é, o sujeito não se sente digno e capaz de pertencer ao coletivo. A partir daí, ele obedece às regras. Também se criam corpos dóceis dessa forma, afastando a possibilidade desses sujeitos serem críticos. Quer dizer, eles são críticos, mas estão inseridos dentro de um contexto que permite sua criticidade”. Fonte: Costa, Lucas Carneiro. Relações de poder e gestão escolar na contemporaneidade. 10 de junho de 2020. Disponível em: <https://pensaraeducacao.com.br/pensaraeducacaoempauta/relacoes-de-poder-egestao-escolar-na-contemporaneidade/> Data de acesso: 10/8/2021
Nesse sentido, as relações de poder na escola envolvem, EXCETO: 

  • A A atuação do professor é essencial para expor aos alunos uma pedagogia da autonomia.
  • B A atuação do diretor deve visar a garantia desse movimento.
  • C As instâncias educacionais devem valorizar a escola como espaço de disciplina e tomada de decisões coletivas.
  • D A democratização da escola é urgente, para combater as formas centralizadas e autoritárias de poder.

Segundo Fava, os jovens da geração Y são melhores em termos da capacidade de:

  • A Focar em uma atividade de cada vez.
  • B Responder lentamente a estímulos inesperados.
  • C Ler imagens visuais como representações do espaço tridimensional.
  • D Ter calma e tranquilidade.

Segundo Fava, os jovens da geração Y são melhores em termos da capacidade de:

  • A Focar em uma atividade de cada vez.
  • B Responder lentamente a estímulos inesperados.
  • C Ler imagens visuais como representações do espaço tridimensional.
  • D Ter calma e tranquilidade.