Questões da Prova da Assembléia Legislativa do Estado do Amazonas (AL-AP) - Analista Legislativo (FCC - 2020)

Limpar Busca

Está clara e correta a redação deste livre comentário sobre o texto:

  • A A menos que houvessem mais oportunidades para que cada indivíduo desenvolva seu talento, não ocorrerá justiça no processo.
  • B Aos sonhos e aspirações das crianças e dos jovens devem corresponder sua realização, para que não se frustrem seu desenvolvimento.
  • C Por mais que se esforcem, tem gente que não consegue obter sucesso em face dos vícios e da falta de oportunidade que o determinam.
  • D O autor do texto está convicto sobre o papel que desempenha no futuro de cada indivíduo as condições de seu nascimento.
  • E Argumenta-se no texto que a equidade de oportunidades é um fator determinante para uma justa distribuição das riquezas.

No emprego das formas verbais, são regulares a flexão e a concordância na frase:

  • A Se ninguém se dispuser a mudar esse processo, ou vir pelo menos a reavaliá-lo, não se fará justiça quanto às riquezas a se distribuir.
  • B À medida que se recomporem as condições iniciais do processo, será maior a possibilidade de se atenderem a cada um de seus ideais.
  • C Se não se contiverem os vícios do processo de distribuição das riquezas, ele seguirá sendo envenenado pelas mesmas injustiças.
  • D Caso não se retenhem seus pecados de origem, a distribuição de riquezas não alcançará os objetivos da justiça que se desejam fazer.
  • E Como eles não requiseram maior igualdade de oportunidades, viram-se prejudicados pelo processo a que se deram um referendo.

No contexto do primeiro parágrafo, as expressões dotações iniciais de participantes e lisura do processo constituem

  • A um objetivo idealista cuja aparência de justiça se apaga quando competidores aproveitam mal oportunidades iguais.
  • B as causas ocultas da distribuição de riquezas que acaba por não fazer justiça às habilidades próprias dos indivíduos.
  • C as metas mais justas a serem alcançadas por um conveniente processo distributivo das limitadas riquezas disponíveis.
  • D os fatores diretamente condicionantes da possibilidade de haver justiça no processo distributivo das riquezas.
  • E as razões de ser de todo processo de distribuição de riquezas que premie o talento inato dos mais competentes.

Em síntese, depreende-se da leitura do segundo parágrafo que

  • A a capacitação natural para a vida leva a tornar vicioso o jogo distributivo das riquezas disponíveis em cada ocasião.
  • B as escolhas nas quais se faz justiça aos talentos das crianças e dos jovens tornam-se possíveis com a equidade das condições iniciais.
  • C a condição familiar de origem não tem peso determinante no desenvolvimento das qualidades pessoais de uma criança.
  • D as aspirações e os sonhos das crianças e dos jovens só se formularão quando tiverem alcançado alguma possibilidade de realização.
  • E a dotação injusta de talentos individuais faz com que não haja equidade ao final do processo de distribuição das riquezas.

Considerando-se o contexto, traduz-se adequadamente o sentido de um segmento do texto em:

  • A envenena os valores da convivência (2º parágrafo) = corrompe a qualidade do convívio.
  • B de modo a ampliar seu leque (2º parágrafo) = por conta da aberta indisponibilidade.
  • C dotações iniciais dos participantes (1º parágrafo) = licitações originais dos concorrentes.
  • D jogo viciado na origem e no processo (1º parágrafo) = processo fraudulento do acaso.
  • E falta de um mínimo de equidade (2º parágrafo) = carência de discriminação equivalente.