Questões de Teorias e Práticas para o Ensino de História (Pedagogia)

Limpar Busca
Segundo o documento da Base Nacional Comum Curricular para o Ensino de História - Para se pensar o Ensino de História, é fundamental considerar a utilização de diferentes fontes e tipos de documento (escritos, iconográficos, materiais, imateriais) capazes de facilitar a compreensão da relação tempo e espaço e das relações sociais que os geraram. Os registros e vestígios das mais diversas naturezas (mobiliário, instrumentos de trabalho, música, etc.). A partir dessa indicação da BNCC para o Ensino de História, assinale a alternativa correta:
  • A As fontes no tratamento da pesquisas e ensino em História são dissociadas dos narradores e dos sujeitos históricos, o que torna o trabalho e a ação docente atos de neutralidade frente as fontes e a narrativa;
  • B As fontes possuem uma narrativa própria e automática, sendo o Ensino de História derivado de ações acidentais e autoexplicativas, independente dos sentidos e significados que os(as) professores(as) de História desejem processar;
  • C A pesquisa e especialmente o Ensino de História devem ter como objeto os documentos tidos como confiáveis, portadores de sentido prévio ao trabalho docente. Essa condição indica que o trabalho de professores(as) de história deve se pautar de forma exclusiva em documentos tidos oficiais ? cartoriais, fotografias, etc. - escritos;
  • D O tratamento das fontes em sua diversidade possibilita a compreensão de distintos significados para as coisas no mundo, estimulando assim a produção do conhecimento histórico no ambiente escolar;
  • E Nas ações voltadas para o Ensino de História, os professores e as professoras devem abordar a diversidade e fontes desde um procedimento exclusivo e único, independentemente do tipo, origem e forma da fonte a ser considerada. Essa condição visará a garantia do conhecimento verdadeiro em história, organizado com base na narrativa mais importante e estabelecida pelos saberes acadêmicos.

Segundo Fava, os jovens da geração Y são melhores em termos da capacidade de:

  • A Focar em uma atividade de cada vez.
  • B Responder lentamente a estímulos inesperados.
  • C Ler imagens visuais como representações do espaço tridimensional.
  • D Ter calma e tranquilidade.

“Vivemos um tempo de crise. Um tempo de coronavírus. A pandemia colocou para as sociedades, em termos mundiais, uma nova realidade. Especificamente uma realidade em que a escola foi suspensa. Pela primeira vez, talvez, em um século, vivemos um momento em que a escola se torna uma realidade virtual. A escola passou a ser uma instância posta em uma tela de computador. O coronavírus impactou a escola. Impactou a escola porque os estudantes deixaram de ir para a escola. Impactou a escola porque, neste momento, os professores não têm mais a escola como seu território. E as aulas, quiséssemos nós ou não, passaram a ser dadas de maneira remota.” (BOTO, 2020)
O texto acima nos ajuda a realizar algumas reflexões sobre o processo de ensino e aprendizagem a partir de novas práticas sociais de comunicação. Ao buscar relacionar estas mudanças com o momento de isolamento social experimentados nestes tempos de pandemia, é CORRETO afirmar:
I- O processo de ensino e aprendizagem está severamente afetado e as aulas remotas de História fazem parte de toda uma nova experiência escolar que impacta a vida de alunos(as), professores (as), familiares e gestores (as). II- O Ministério da Educação do Brasil determinou o fim da Escola como a conhecemos desde a era moderna e as aulas, no póspandemia, serão realizadas exclusivamente na forma de Educação a Distância (EAD). III- Para os professores de História, não há impacto negativo com as atividades de ensino remoto, porque este campo de saber se apropria da internet e das novas linguagens com muita perspicácia desde que todas as Escolas e Universidades do país realizaram, em definitivo, o processo de inclusão digital. IV- Toda a discussão sobre ensino, escola, cultura escolar e práticas educativas no pós-pandemia é desnecessária porque são tentativas de previsão futurística e dificilmente a escola será afetada por este momento de crise da saúde mundial.
É CORRETO o que se afirma apenas em:

  • A III e IV.
  • B II, III e IV.
  • C I.
  • D II.
  • E IV.

Analise as sentenças abaixo tendo como parâmetros o racismo, as políticas públicas e o ensino de História no Brasil.
I- A lei 10.639/2003, estabelece a obrigatoriedade do ensino de história e cultura afro-brasileira e representa um instrumento de combate ao racismo no Brasil. II- Apesar da lei que criminaliza o racismo (1989) e a lei 10.639/2003 voltada para o ensino de história de maneira específica, o Brasil ainda não avançou de forma satisfatória na correção das distorções históricas e da construção de uma nação livre de preconceitos raciais. III- Estatuto da Igualdade Social (2010) e a Lei de Cotas (2012) também fazem parte do conjunto de mecanismos de combate ao racismo no Brasil. IV- Os avanços da educação e do ensino de História na divulgação dos direitos raciais não excluiu o pensamento de governantes de alguns grupos sociais, no Brasil, de que não existe racismo estrutural.
A alternativa que responde CORRETAMENTE é:

  • A II apenas.
  • B I apenas.
  • C III e IV apenas.
  • D I, II, III e IV.
  • E IV apenas.

Sobre a Escola Metódica, dita positivista, e o conhecimento histórico, é possível argumentar:
I- A profissionalização do conhecimento histórico guarda muita proximidade com a tradição metódica, dita positivista, que contribuiu decisivamente para a erudição do campo do historiador. II- A Escola metódica, dita positivista, tem proximidade com os valores do positivismo clássico de Augusto Comte, quando estabelece a doutrina do progresso como sentido válido para se pensar a História. III- A História, ao ser considerada uma ciência pelo pensamento metódico, deve prezar pela neutralidade e o historiador não deve julgar os eventos passados.
É CORRETO o que se afirma em:

  • A II e III apenas.
  • B III apenas.
  • C II apenas.
  • D I e III apenas.
  • E I, II e III.