Resumo de Filosofia - Historicismo

Entenda quais são os elementos que baseiam esse conceito filosófico

O Historicismo, também conhecido por historismo, é uma concepção filosófica que surgiu entre o fim do século XIX e início do século XX. A ideia foi desenvolvida pelo filósofo alemão Wilhelm Dilthey.
Além de filósofo, Wilhelm Dilthey também era historiador, o que pode ter influenciado sua linha de raciocínio. Dilthey defendia que os fenômenos humanos são históricos, eles eram dotados de valor, significado, sentido e finalidade. Por isso mesmo, ele argumentava que as pesquisas da área das ciências humanas não deveriam usar os mesmos métodos das ciências da natureza.
Para Dilthey era necessário criar um novo método que fosse capaz de decifrar qual o sentido dos fatos humanos. A metodologia desenvolvida pelo filósofo foi a da causalidade histórica, na qual, as pesquisas devem considerar que:

  • Os fenômenos da humanidade são históricos e temporais;
  • As análises devem ser feitas observando o momento histórico e as fases de desenvolvimento da sociedade;
  • No historicismo também devem ser observados os fatores políticos, religiosos, sociais, econômicos, psíquicos, técnicos e artísticos. 


Definições para o historicismo

O historicismo é utilizado em diferentes áreas de estudo, como a filosofia, antropologia e teologia, e em cada um desses campos, ele apresenta algumas diferenças na linha de pensamento, por isso ele pode ser compreendido de maneiras distintas. 
Ao mesmo tempo que pode ser entendido como uma vertente filosófica, na qual valoriza a historicidade e as implicações políticas em todo o tipo de ciência, pode ser também considerado como uma ciência ou uma metodologia, que propõe sistematizar um modelo de estudo.
Muitos autores se dedicaram ao estudo dessa concepção filosófica, além de Wilhelm Dilthey, outro nome de destaque é o de Georg Wilhelm Friedrich Hegel. Hegel foi um filósofo germânico conhecido como um dos principais representantes do idealismo, ele também desenvolveu uma vertente para o historicismo, que ficou conhecida como historicismo hegeliano. 



Historicismo hegeliano – Essa vertente defendida por Hegel afirmava que todos os fenômenos humanos, sociais, científicos, filosóficos e artísticos, deveriam ser interpretados e definidos à luz da história. Hegel argumentava ainda que os esforços humanos observados durante a história, não só se baseavam, mas também reagiam a algo que já tinha acontecido antes durante um período histórico. 


Segundo o filósofo era impossível dissociar uma pessoa da sua história, ou seja, para entende-la, compreender porque ela agia de determinada forma e não de outra, era preciso colocar essa pessoa em uma sociedade e estudar essa sociedade. Através disso, era possível identificar os elementos que a moldaram. 


Historicismo Antropológico – Na antropologia, o historicismo vai ter grande contribuição de Franz Boas. O antropólogo teuto-americano foi um dos pioneiros na antropologia moderna. Seus trabalhos dentro do historismo combinam duas teorias: a do difusionismo e a do particularismo histórico. 


A primeira refere-se à ideia de que toda a civilização e seus aspectos culturais surgiram no Egito Antigo e posteriormente seu modelo de sociedade foi espalhado pelo mundo durante os movimentos de migração. Já a segunda remete à ideia de que todas as sociedades podiam chegar ao mesmo nível de desenvolvimento cultural por caminhos diferentes, e para entender esse processo é preciso conhecer os detalhes da cultura de cada indivíduo.

Historicismo bíblico – Essa é uma escola de interpretação que se refere às profecias bíblicas. No historismo bíblico o passado não foi esquecido e o cumprimento de outras predições ainda acontece nos dias de hoje e vai continuar acontecendo.

Historicismo Jurídico – Assim como os processos culturais devem ser associados a cada grupo e fenômeno social, o direito também é peculiar a cada sociedade.

Novo Historicismo – Essa corrente determina que as coisas devem ser consideradas como produto de sua época, ou seja, as obras literárias, o conhecimento produzido, os modelos de sociedade e os indivíduos devem ser analisadas levando em consideração seu contexto social e cultural, as circunstâncias políticas, econômicas e geográficas.

Embora apresente diferentes características, o historicismo se fundamenta em alguns elementos básicos:


 - Todos os fenômenos, culturais, artísticos, políticos, econômicos e sociais são históricos, por isso, devem sem analisados dentro de um contexto histórico ou através da história. 

- As metodologias utilizadas pelas ciências naturais não devem ser as mesmas utilizadas pelas ciências humanas. 

- Já que elas estudam objetos diferentes e buscam explicar fenômenos diferentes, cada qual deve desenvolver um método específico.

Voltar

Questões