Resumo de Filosofia - Filósofos Iluministas

Filósofos que defendiam a liberdade de expressão

Os filósofos iluministas fizeram parte de um movimento conhecido como Iluminismo, ou Século das Luzes. Essa corrente filosófica surgiu em território francês em meados do século XVII.
O termo Iluminismo refere-se justamente à perspectiva de trazer à luz as ideias dos pensadores da época, que através de uma nova forma de pensamento, baseado no racionalismo e no saber científico, tinham como objetivo “iluminar” a sociedade europeia, que se encontrava imersa nas crenças religiosas. 
O movimento iluminista se espalhou por vários países da Europa até atingir outros continentes. Aos poucos, a religião e o misticismo foi sendo substituída pelo pensamento racional em todas as regiões. Para conhecer um pouco mais sobre esse movimento e as ideias dos principais teóricos dessa corrente filosófica, continue a leitura. 


O movimento Iluminista

O Iluminismo, também conhecido por Século da Luzes foi um movimento filosófico, intelectual e político que surgiu na Europa mas se expandiu por todo o mundo no final do século XVII e início do século XVIII.
Além de defender o saber científico e a racionalidade, as ideias iluministas se centravam em elementos como a igualdade, liberdade e fraternidade, ideias que nortearam a Revolução Francesa, a separação da Igreja e do Estado, a tolerância religiosa, e principalmente a oposição à monarquia absolutista e aos dogmas da Igreja Católica Romana.

Principais filósofos iluministas

A maioria dos filósofos iluministas compartilhava da mesma ideia central, mas cada um deles contribuiu de uma forma diferente para o movimento. Entre os pensadores que atuaram durante o movimento, os que mais se destacaram foram:
John Locke 
John Locke provavelmente é um dos filósofos iluministas mais conhecidos. O inglês, considerado o “pai” do liberalismo e fundador do empirismo, defendia a liberdade de expressão. Locke tinha algumas ideias polêmicas que causaram grandes conflitos na época. Contrariando os dogmas do catolicismo, o filósofo não acreditava que Deus tinha o controle sobre o destino dos homens. 

Voltaire
Voltaire foi um filósofo francês muito importante, suas ideias foram essenciais não só para o movimento iluminista, mas também apara a Revolução Francesa. Voltaire escreveu mais de 70 obras entre livros, romances, poemas e peças de teatro. Entre as temáticas escolhidas pelo autor estava a crítica a Igreja Católica (o que resultou em sua prisão), o liberalismo, e a crítica ao absolutismo.


Jean-Jacques Rousseau
Jean-Jacques Rousseau foi um filósofo suíço muito à frente do seu tempo. Naquele período, Rousseau já defendia a democracia direta e a soberania popular. Nesse sistema os indivíduos deveriam ter participação ativa nas decisões políticas. O filósofo também publicou muitas obras, sendo a principal delas “Do contrato Social”, de 1762.


Diferente dos outros iluministas, Rousseau não compartilhava da ideia do individualismo. Segundo o autor, a igualdade não seria alcançada se as pessoas tivesses propriedade privada. Para ele, o bem estar social só poderia ser alcançado se a posse de bens acabasse, todos deveriam ter acesso às mesmas coisas, compartilhar do mesmo poder. 


Montesquieu
Montesquieu foi um filósofo francês que atuou principalmente na área da política e da psicologia. Ele foi o responsável por construir a teoria de separação dos três poderes, Legislativo, Executivo e Judiciário, que é utilizado atualmente no Brasil. Assim como os demais, Montesquieu também tinha um posicionamento contrário à monarquia e para evitar o domínio absoluto por parte dos monarcas, era melhor dividir o governo em três âmbitos. 


O grande problema dessa ideia é que o filósofo delimitava o acesso às pessoas que tinham renda e propriedades, ou seja, aqueles que faziam parte das camadas mais pobres não teriam direito de participar dessa estrutura. 


Adam Smith
Adam Smith foi um filósofo e economista francês. Ele é considerado o pai da economia moderna e é também uma referência quando o assunto é o liberalismo econômico. Foi Smith que instituiu os conceitos de auto interesse e o da “mão invisível” do mercado.


Durante a ascensão do capitalismo, suas ideias foram amplamente aceitas. O economista era contrário à intervenção do Estado na economia e a favor do livre mercado. Segundo ele, essa “mão invisível” seria responsável por balancear a economia. 


Denis Diderot
Denis Diderot também defendia o conhecimento racional e científico, o filósofo francês foi responsável pela primeira enciclopédia do mundo.  Juntamente com Jean Le Rond d ‘Alembert ele foi responsável por disseminar a filosofia iluminista por todos os lugares. Ambos negavam a influência de Deus sobre o destino dos homens e também acreditavam que qualquer forma de religião causava um desequilíbrio na sociedade.

Voltar

Questões