Resumo de Antropologia - Cultura do Norte

A riqueza e pluralidade da maior região do país


A cultura do Norte é composta pelas festas, músicas, danças e demais produções culturais produzidas nos sete estados que compõem a região. Esse dado atribui um caráter de riqueza e multiplicidade aos produtos culturais que ali são encontrados. Por isso, não é possível tratar a região Norte, em sua dimensão cultural, a partir de uma perspectiva homogeneizante, mas sim a partir da heterogeneidade das contribuições dadas pelas diferentes comunidades ali encontradas.
Isso, contudo, não significa desconsiderar as trocas e compartilhamentos que acontecem entre os nortistas e durante a construção política e identitária nacional. Nesse sentido, é importante ressaltar a existência de processos de aculturação ocorrido a partir da colonização: vinda dos europeus para o Brasil, encontro com as comunidades indígenas e escravização dos povos negros.
Esse fato histórico faz com que a cultura do Norte e, de maneira geral, a cultura brasileira, esteja marcada pelas contribuições desses povos. Na região Norte, em especial, observamos uma culinária fortemente influenciada pelos hábitos alimentares das comunidades indígenas e uma forte presença da religiosidade nas festas populares.

Expressões da cultura do Norte

A região Norte do Brasil é composta pelos estados do Acre, Amapá, Amazonas, Pará, Rondônia, Roraima e Tocantins. Ela corresponde a uma área equivalente a 3.870.000 km² do território nacional. Esses dados apresentam indícios da dimensão e da heterogeneidade de expressões da cultura do Norte. Por isso, é importante fazer a ressalva de que esse texto não dá conta da amplitude cultural presente nessa região.
Círio de Nazaré
Essa é uma festa popular que acontece na cidade de Belém, no estado do Pará. O evento de tradição católica homenageia a Nossa Senhora de Nazaré e acontece durante o mês de outubro. A festa é realizada desde 1973 e, na época, acontecia no mês de dezembro. A devoção começou depois que o cabloco Plácido encontrou uma imagem da santa católica às margens do Igarapé Murutucu.
De acordo com a história do evento, a santa sempre voltava para o local onde foi encontrada. Por isso, a comunidade católica da região construiu uma pequena igreja no local. Durante o Círio, milhares de católicos fazem a procissão da Catedral de Belém até a Praça Santuário de Nazaré.
Desde 2004, o Círio de Nazaré é considerado Patrimônio Cultural de Natureza Imaterial do Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (IPHAN).



Festival de Parintins
Essa é uma das mais proeminentes manifestações da cultura do Norte. A festa acontece anualmente na cidade de Parintins, no estado de Amazonas. O evento acontece desde 1965 e também é Patrimônio Cultural do Brasil pelo Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (IPHAN).
Durante o Festival de Parintins, acontece uma cisão na cidade, que se divide entre os bois Garantido, cuja cor que representa é o vermelho, e o Caprichoso, representado pelo azul. Eles são construídos com verdadeiros carros alegóricos e desfilam acompanhados por seus respectivos grupos no Centro Cultural e Esportivo Amazonino Mendes, mais conhecido como Bumbódromo.
Essa expressão da cultura do Norte está intimamente ligada com a história do Bumba Meu Boi ou Boi-Bumbá. Segundo conta a narrativa, Pai Francisco mata o melhor boi de seu patrão porque sua esposa, Mãe Catirina, que estava grávida, teve desejo de comer a língua do animal. Contudo, o boi teria sido ressuscitado por um padre e a festa é uma comemoração a isso.
Culinária
Através da culinária, fica evidente a forte influência dos povos indígenas na cultura do Norte. Esse dado é evidenciado, especialmente, pela utilização de plantas, como a mandioca, que serve de base para o tucupi, tacacá, beiju e maniçoba. Além disso, tem destaque o alto de consumo de peixes de água doce, a exemplo do pirarucu.
Também integram os hábitos alimentares da região frutas e sementes locais que ganharam projeção nacional. Exemplos disso são: guaraná, açaí, cupuaçu, graviola e castanha do Pará.
Danças
São muitas as danças encontradas na região Norte do país. Algumas delas tem relação com os povos negros e as comunidades indígenas. Esse é o caso da dança do siriá e do carimbó. A primeira, segundo contam, teria sido criada pelos povos escravizados para agradecer aos siris que teriam se deixado pescar e saciado sua fome após os dias de trabalho nas lavouras.
O carimbó, por sua vez, teria surgido como fruto das celebrações feitas por agricultores e os pescadores após o dia de trabalho. Essa dança também possui influências indígenas e europeias.
Outras danças marcantes da cultura do Norte são o maçarico, samba do cacete, retumbão, jacundá e camaleão
Voltar

Questões