Questões da Prova do Departamento Municipal de Água e Esgoto de Uberlândia (DMAE) - Químico (FUNDEP (Gestão de Concursos) - 2020)

Limpar Busca

Releia este trecho.


“Ainda agora, através da sujeira a envolvê-la, ele a enxergava como a vira no primeiro dia, encostada numa árvore, o corpo esguio, o rosto sorridente, mordendo uma goiaba”.


Nesse excerto, pode-se identificar a seguinte característica da personagem na obra de Jorge Amado:

  • A A pobreza de Gabriela, que reside em sua condição de sertaneja.
  • B A serenidade de Gabriela, que reside em seu conformismo.
  • C A sujeira de Gabriela, que reside em sua falta de condição financeira.
  • D A sensualidade de Gabriela, que reside em sua simplicidade.

Releia o trecho a seguir.


“A poeira dos caminhos da caatinga a cobrira tão por completo que era impossível distinguir seus traços.”


O pronome ‘seus’ refere-se aos ‘traços'

  • A da caatinga.
  • B de Gabriela.
  • C da mata virgem.
  • D dos caminhos.

Todos os excertos a seguir, retirados de distintas obras literárias brasileiras, coincidem em contexto situacional com esse trecho da obra Gabriela, cravo e canela, exceto:

  • A “A viagem parecia-lhe sem jeito, nem acreditava nela. Preparara-a lentamente, adiara-a, tornara a prepará-la, e só se resolvera a partir quando estava definitivamente perdido. Podia continuar a viver num cemitério? Nada o prendia àquela terra dura, acharia um lugar menos seco para enterrar-se.” (RAMOS, Graciliano. Vidas secas.)
  • B “Pela beira da estrada, viam-se apenas peças esparsas de equipamentos, mochilas e espingardas, cinturões e sabres, jogados a esmo por ali afora, como coisas imprestáveis. Inteiramente só, sem uma única ordenança, o coronel Tamarindo lançou-se desesperadamente, o cavalo a galope, pela estrada-vanguarda. E a artilharia ficou afinal inteiramente em abandono, antes de chegar ao Angico. Os jagunços lançaram-se sobre ela. Era o desfecho. O capitão Salomão tinha apenas em torno meia dúzia de combatentes leais. (CUNHA. Euclides da. Os sertões.)
  • C “Uma ressurreição do cemitério antigo – esqueletos radioativos, com o aspecto terroso e o fedor das covas podres […] Os fantasmas estropiados como que iam dançando, de tão trôpegos e trêmulos, num passo arrastado de quem leva as pernas em vez de ser levado por elas […] Andavam devagar, olhando para trás, como quem quer voltar. Não tinham pressa em chegar, porque não sabiam aonde iam. Expulsos do seu paraíso por espadas de fogo, iam, ao acaso, em descaminhos, no arrastão dos maus fardos […] Não tinham sexo, nem idade, nem condição nenhuma. Eram os retirantes. Nada mais”. (ALMEIDA, José Américo de. A bagaceira.)
  • D “O pequeno ia no meio da carga, amarrado por um pano aos cabeçotes da cangalha […] De vez em quando, levantava a mãozinha aos olhos, e fazia rah! Rah! ah! Ah! Numa enrouquecida tentativa de choro […] Cordulina chegava-se a burra para o consolar, ajeitava-lhe o chapéu de pano na cabeça […] Chico bento fechava a marcha, com o cacetete ao ombro, do qual prendia uma trouxa [...] Na primeira noite, arrancharam-se numa tapera que apareceu junto da estrada, como um pouso que uma alma caridosa houvesse armado ali para os retirantes”. (QUEIROZ, Rachel de. O quinze.)

Sobre a literatura de cordel, assinale a alternativa incorreta.

  • A Trata-se de um gênero textual tipicamente popular, difundido principalmente no Norte e Nordeste do país.
  • B Por ser um gênero literário informal, a literatura de cordel não apresenta métrica e rima.
  • C A presença da oralidade e de elementos regionais é marcante nas obras desse gênero textual.
  • D A linguagem coloquial é amplamente utilizada pelos autores desse gênero textual.

Releia o trecho a seguir.


“Por que não há nada mas lindo

Do que ver todos menino

Se molhar no terrerão

Os veio vira menino”


As alterações efetuadas adequaram as estrofes à norma-padrão, exceto em:

  • A Porque não há nada mais lindo.
  • B Do que ver todos meninos.
  • C Se molhar no terreirão.
  • D Os velhos viram meninos.