Questões da Prova do Ministério Público do Estado do Mato Grosso (MPE-MT) - Promotor de Justiça Substituto (2019)

Limpar Busca

O autor acredita que a felicidade humana

  • A desafiou de tal forma as aspirações humanas mais democráticas que hoje os homens vêm desistindo de buscá-la.
  • B constituiu-se como uma meta idealista das civilizações antigas que, no entanto, acabou por se esvaziar ao longo do tempo.
  • C tornou-se um parâmetro tão rigoroso e obsessivo para todos os povos que nenhum deles foi capaz de alcançá-la.
  • D impôs-se desde sempre como algo impalpável, razão pela qual vem merecendo a integral atenção dos humanistas.
  • E nunca se apresentou como um critério que norteasse e qualificasse as sucessivas etapas da história humana.

A interrogação Mas somos mais felizes?, que abre o 2° parágrafo do texto, tem como função

  • A ponderar sobre um conceito que tem preocupado exageradamente a filosofia e as artes.
  • B ratificar o que houve de mais positivo nas conquistas da humanidade nos últimos 500 anos.
  • C associar o progressivo índice da felicidade humana aos feitos da ciência e da economia.
  • D introduzir criticamente um conceito sempre subestimado ao longo da nossa civilização.
  • E abrir uma linha de raciocínio que desqualifica as supostas conquistas da tecnologia.

Para dar base à afirmação de que esse relato progressista não convence (3° parágrafo), o autor do texto

  • A demonstra que a lógica da história nega a possibilidade de se avaliar a importância e as vantagens da civilização.
  • B equipara o grau de felicidade dos nossos ancestrais imediatos com o daqueles que os antecederam.
  • C faz ver que os programas ideológicos e políticos atuais não evidenciam uma efetiva escalada da felicidade humana.
  • D mostra-se convicto de que os caçadores-coletores não foram mais felizes que nossos ancestrais medievais.
  • E fundamenta essa descrença no fato de que nunca fomos capazes de questionar as leis mais rígidas da natureza.

Considerando-se o contexto, traduz-se adequadamente o sentido de um segmento do texto em:

  • A aliviar sofrimento e satisfazer aspirações (3° parágrafo) = atenuar padecimento e realizar anelos.
  • B uma série de revoluções de tirar o fôlego (1° parágrafo) = uma sequência de ríspidas alterações desafogadas.
  • C depósitos inesgotáveis de felicidade (2° parágrafo) = dimensões altruístas de prazer.
  • D Se não, qual o sentido de desenvolver (2° parágrafo) = Ainda assim, que significado tem de implementar.
  • E no que concerne à fonte real de felicidade humana (3° parágrafo) = no que restringe a condição objetiva de ser feliz.

Está integralmente clara e correta a redação deste livre comentário sobre o texto:

  • A Há autores que já conviram em que o progresso é uma constante da civilização humana, não havendo como refutar-lhe em seus avanços.
  • B Aos defensores do progresso à qualquer custo deve-se lembrar as medidas que em nome do mesmo vem sacrificando e penalizando milhões de pessoas.
  • C Muitos imaginam de que o progresso seja um elemento incontestável, ao passo que seus efeitos podem ser claramente perceptíveis.
  • D A pouca gente ocorre contestar, como faz o autor, o sentido absoluto do propalado progresso de que estaríamos desfrutando ao longo da história.
  • E Seria preciso que os fatos históricos sucedessem-se numa linha ininterrupta aonde não teríamos como se desviar ou se reverter seu processo.