Questões de Rotinas Produtivas do Jornalismo (Comunicação Social)

Limpar Busca

Na produção de notícias, os jornalistas adotam critérios de noticiabilidade que são definidos como:

  • A avaliação direta, do jornalista, dos inúmeros fatos que podem virar notícia, que se divide nos processos de seleção dos fatos como visibilidade e concorrência; e o de construção como notoriedade e novidade.
  • B conjunto de critérios e operações para escolher, entre inúmeros fatos, uma quantidade limitada de notícias, o que compreende critérios de seleção como relevância e proximidade; e critérios de construção como simplificação e consonância.
  • C análise da concorrência, o que compreende a análise dos critérios de seleção adotados pela concorrência como personalização e dramatização; e os de construção como efemérides e notabilidade.
  • D adequação do conteúdo aos critérios editoriais do veículo, o que implica, muitas vezes, na autocensura dos jornalistas ao não apurar fatos que são contrários ao posicionamento da empresa jornalística.
  • E comprovação da teoria do espelho, pois a seleção e construção de fatos não sofreriam a interferência do jornalista, apenas da empresa jornalística; as notícias seriam um espelho da realidade.
A comunicação intensificada no século XXI trouxe para o jornalismo uma dinâmica que ultrapassa questões como atualidade, proximidade, controvérsia, próprias da atividade jornalística, com a participação e colaboração do cidadão comum na divulgação de informações.
Neste sentido, pode
-se afirmar que o jornalismo se organiza
  • A como atividade de narração dos fatos, apurando e divulgando informações de interesse público, e por constituir-se como atividade de natureza social e profissional dos jornalistas, indispensável à vida em sociedade.
  • B como uma atividade que pode ser exercida por qualquer pessoa, sem necessidade de apuração, desde que esteja na hora do acontecimento e consiga registrá-lo e divulgá-lo em tempo real, pelas redes sociais.
  • C sob a responsabilidade exclusiva das empresas de comunicação, assessorias de imprensa, agências de notícias e organizações de informação internacionais, que controlam os jornais, rádios, televisões e plataformas digitais e têm por objetivo a divulgação de notícias do interesse destas empresas e organizações.
  • D como atividade remunerada sob a responsabilidade do Estado Brasileiro, que é o legítimo regulador do mercado e da liberdade de expressão, conforme estabelecido pela Constituição Federal.
Na linguagem de rádio e de televisão, a entrevista é um elemento essencial para a constituição da notícia.
Escolha, formas de abordagem e gravação fazem parte do protocolo do jorn
alista, ao preparar o texto da notícia e sua apuração.
A fala do entrevistado, pessoa ou pessoas que presenciaram um
acontecimento ou que têm alguma informação sobre o fato gravado pelo repórter para a reportagem de televisão é indicada no roteiro como
  • A Sonora.
  • B Passagem.
  • C Depoimento.
  • D Off.

Os jornalistas avaliam a importância da notícia levando em consideração os seguintes elementos do fato jornalístico: ineditismo, probabilidade, interesse, apelo, empatia e proximidade. Esses critérios são chamados de

  • A valor notícia.
  • B noticiabilidade.
  • C newsmaking.
  • D editoriabilidade.
  • E leiturabilidade.
Atualmente, as instituições têm consciência do poder da comunicação e da necessidade de se produzir notícias para a imprensa, promovendo os assuntos institucionais a acontecimentos públicos. Uma das estratégias para emplacar um assunto, acontecimento ou problemática na mídia é o uso do newspeg. O que é newspeg?
  • A É o que os jornalistas chamam de gancho. Ocorre quando a assessoria de imprensa utiliza qualquer acontecimento atual (como datas comemorativas) para legitimar a noticiabilidade de outro assunto, acontecimento ou problemática que pretende divulgar.
  • B É o envio constante de notícias por e-mail. Ocorre quando a assessoria de imprensa envia releases para todo o seu mailing. Para isso, é preciso diariamente produzir releases com assuntos que possam gerar interesse nos jornalistas para que ocorra a divulgação dos temas de interesse de uma determinada instituição.
  • C É quando uma assessoria de imprensa, para emplacar uma determinada notícia em um jornal, oferece algum assunto com exclusividade para um veículo de comunicação. Essa estratégia é extremamente eficiente, pois a possibilidade do furo aumenta as chances de publicação de uma notícia institucional.
  • D É a estratégia que mais exige criatividade dos assessores de imprensa, os quais precisam sempre enviar um fato novo para os jornalistas. O envio de notícias repetidas ou requentadas, sem atender ao critério da novidade, torna os releases maçantes e impublicáveis.