Questões de Colonialismo espanhol: Ocupação e exploração do território americano (História)

Limpar Busca

Na época da conquista espanhola, no final do século XV, a cidade do México englobava Tenochtitlán e Tlatelolco. A última fora incorporada à primeira e submetida a um governador, além de ter perdido sua individualidade. A respeito da estrutura social mexicana durante sua migração e na época da sua chegada ao vale central, analise as assertivas a seguir e assinale V, se verdadeiras, ou F, se falsas.
( ) A estrutura social da tribo mexicana, durante sua migração e chegada ao vale central permaneceu bastante simples e essencialmente igualitária. Camponeses-soldados, os mexica, às vezes se fixavam durante vários anos nas regiões férteis, guerreavam para conquistar uma passagem ou apossar-se de terras cultiváveis e prosseguiam sua marcha carregando poucos bens. ( ) Antes do século XVI, cada chefe de família era guerreiro e agricultor ao mesmo tempo, além de participar das conferências que definiam questões importantes. O nível de vida era o de igualdade na pobreza e apenas os sacerdotes de Uitzilopochtli acumulavam suas funções sacerdotais com uma espécie de comando militar e de autoridade geral, que constituíam o embrião de uma classe dirigente. ( ) A partir do início do século XVI, a democracia tribal asteca foi substituída por uma monarquia aristocrática e imperialista em virtude de um processo de hierarquização e complexificação desta sociedade. Funções distintas passaram a ser exercidas por diferentes categorias da população.
A ordem correta de preenchimento dos parênteses, de cima para baixo, é:

  • A F – F – F
  • B V – V – F.
  • C F – F – V.
  • D F – V – V.
  • E V – V – V.
América Espanhola ou América Hispânica são as denominações dadas aos países que foram colônias do império espanhol. Sobre o período da colonização da América Espanhola, assinale a alternativa correta.
  • A Mesmo entre a população branca, havia divisões, como os Criollos, que eram privilegiados, e os Chapetones, que eram ricos proprietários de terras, mas não tinham os mesmos privilégios dos Criollos.
  • B O frade Bartolomé de las Casas convenceu o imperador espanhol Carlos V de que os indígenas poderiam servir ao propósito de mão de obra para a exploração da colônia.
  • C Os indígenas do século XVI, na América Espanhola, tinham costumes cruéis, como o sacrifício humano. O conquistador branco trouxe civilização, religião e humanidade para esses povos.
  • D Na fase de conquista, a Coroa espanhola criou os adelantados, isto é, grandes extensões de terras que eram entregues aos homens que as conquistavam, os quais tinham também plena autonomia sobre a administração desses territórios.
  • E Muitos indígenas se aliavam aos espanhóis e tornavam-se senhores escravistas, o que demonstra a flexibilidade daquela sociedade que se formava e a inadequada interpretação de conflito entre colonizado e colonizador.

Ao contrário da América portuguesa, que mantém a unidade territorial após a independência, a América espanhola divide- -se em várias nações, apesar de tentativas de promover a unidade, como a Grã-Colômbia, reunindo Venezuela e Colômbia, de 1821 a 1830, a República Unida da América Central e a Confederação Peru-Boliviana, entre 1835 e 1838. A fragmentação política da América hispânica pode ser explicada pelo próprio sistema colonial, uma vez que as diversas regiões do império espanhol eram isoladas entre si. Essa situação favorece também o surgimento de lideranças locais fortes, os caudilhos, dificultando a realização de um projeto de unidade colonial. Para os historiadores há muitas razões que levaram à fragmentação da América espanhola e à unidade da portuguesa formando, o Brasil. Diante do exposto, analise as afirmativas a seguir.


I. Uma das causas da fragmentação da América espanhola tem a ver com a distância geográfica entre as cidades das antigas colônias e a forma como as duas possessões eram administradas por suas respectivas metrópoles. Ainda que a colônia portuguesa tivesse dimensões continentais, a maior parte da população se concentrava em cidades costeiras, enquanto o interior permanecia praticamente inexplorado. Na época da Independência, as principais cidades brasileiras se concentravam no litoral. As distâncias entre as cidades eram, assim, menores do que na América espanhola.

II. No Brasil, a elite era muito mais homogênea ideologicamente do que a espanhola.

III. Em 1808, a invasão de Portugal por Napoleão Bonaparte levou o Príncipe Regente, João, a fugir para o Rio de Janeiro, transferindo não somente a Corte, mas toda a burocracia do governo: arquivos, biblioteca real, tesouro público e cerca de 15 mil pessoas. O Rio de Janeiro virou, então, a sede político-administrativa do Império. A presença do Rei em território brasileiro serviu como fonte de legitimidade para que a colônia se mantivesse unida.

IV. Na independência da América Portuguesa, as elites aprenderam que poderiam lidar muito bem com uma população irrequieta. Todas as províncias tomaram medidas que objetivavam terminar com a escravidão, possivelmente para diminuir o perigo da revolta escrava. Mestiços tinham o comando de forças militares e eram frequentemente recompensados com posse de terras tomadas dos monarquistas.


Estão corretas as afirmativas

  • A I, II, III e IV.
  • B I e II, apenas.
  • C III e IV, apenas.
  • D I, II e III, apenas.

Encontrados nos arquivos das principais cidades hispano-americanas por pesquisadores, os testamentos feitos por indígenas americanos trazem à tona o mundo caótico em que milhões de ameríndios foram obrigados a empobrecer e morrer, diante da conquista e colonização espanhola.
“Testamento de Leonor, índia de Suba, 1585
Em nome de Deus, amém. Saibam quantos esta carta de testamento chegar, como eu, Leonor, índia e cristã, a serviço do capitão Hernando de Velasco, vizinha deste Novo Reino de Granada (...) parente do cacique velho que morreu há cinco ou seis anos e sendo muito pequena, fui batizada por alguns frades que me levaram da pátria natural, e depois da chegada a este reino, sempre estive em casa de espanhóis (...) Declaro que faz quarenta anos que sirvo ao capitão Hernando de Velasco, meu amo, que não me pagou nem gratificou como deveria, apenas me dando uma horta sem cerca (...).”
(Arquivo Geral da Nação, Bogotá, Nota I, Tomo 2º, fls 519y-52r, 1585. IN: Revista de História da Biblioteca Nacional. Ano 7. Nº 75. Dezembro de 2011. P. 42.)
A drástica redução da população nativa americana, efetivada logo após a chegada e a conquista espanhola, no decorrer do século XVI, pode ser constatada no gráfico. Trata-se de uma das maiores catástrofes demográficas já ocorridas na história mundial

Alguns dos fatores fundamentais para a dizimação da população nativa americana estão descritos corretamente na seguinte alternativa:

  • A As práticas violentas empregadas pelos conquistadores, seja na atividade mineradora, seja na atividade agrícola, apesar de ter preservado a vida das mulheres nativas.
  • B A evangelização empreendida pelos religiosos, em especial por parte dos membros do clero protestante, que predominou na América espanhola.
  • C Os sistemas de trabalho forçado impostos aos nativos, todos eles de forma remunerada, tanto na atividade mineradora, como na atividade agrícola.
  • D A violência imposta pelos conquistadores às populações nativas, as inúmeras epidemias e as formas variadas de trabalho compulsório sobre os nativos.
A mineração ocupou um importante papel econômico na América espanhola. Do início da colonização, século XVI até o século XVII a mão de obra utilizada predominantemente nesta atividade foi:
  • A Negros escravizados de origem africana.
  • B Brancos, colonos europeus que trabalhavam como assalariados.
  • C Indígenas submetidos ao trabalho compulsório.
  • D Europeus, trazidos como trabalhadores para cumprimento de penas criminais.