Questões de História do Brasil (História)

Limpar Busca

A Manchete do Jornal do Brasil de 17 de março de 1990, um dia após o anúncio do Plano de Estabilização Econômica, popularmente conhecido como Plano Collor, foi: “Reforma de Collor faz terremoto na economia”. A medida desse plano, bem como sua consequência econômica, que causou esse “terremoto”, foi:

  • A a aplicação de pesada taxação das fortunas, perdendo apoio da elite em suas reformas.
  • B a reestatização de companhias privatizadas no governo Sarney, afugentando investidores estrangeiros.
  • C o descongelamento de preços e salários indexados desde o governo Figueiredo, derrubando as bolsas de valores.
  • D o confisco da poupança e das contas correntes com mais de 50 mil cruzeiros, fragilizando a maior parte da população.
  • E a realização da paridade da moeda brasileira cruzeiro com o valor do dólar, prejudicando as importações.

No que diz respeito à Inconfidência Mineira (1789) e à Conjuração Baiana (1798), assinale a alternativa que destaca uma semelhança e uma diferença entre esses dois movimentos.

  • A Ambos os movimentos defendiam a abolição da escravidão, mas na Inconfidência Mineira houve proposta de indenização aos proprietários de escravizados e na Conjuração Baiana houve proposta de indenização aos escravizados.
  • B Ambos os movimentos desejavam a mudança do sistema político no Brasil, mas na Inconfidência Mineira houve a defesa de um regime democrático e na Conjuração Baiana houve a defesa de monarquia constitucional.
  • C Ambos os movimentos desejavam implantar a industrialização no Brasil, mas na Inconfidência Mineira houve apoio de empresários ingleses e na Conjuração Baiana houve apoio do Marquês de Pombal.
  • D Ambos os movimentos pretendiam unir-se a outras rebeliões nas colônias ibéricas na América, mas na Inconfidência Mineira houve apoio de Simón Bolívar e na Conjuração Baiana houve apoio dos haitianos.
  • E Ambos os movimentos pregavam a independência regional em relação a Portugal, mas na Inconfidência Mineira houve maior participação da elite e na Conjuração Baiana houve maior participação popular.
"Sem esquecer do lado pragmático de nossas tratativas de libertação, vale a pena insistir na importância simbólica do poder político. [...] Tratava-se de dar naturalidade, tradição e até antiguidade ao que era recente, quase imediato. [...] Se parecia difícil manter uma monarquia que nascia cercada de repúblicas por todos os lados, ou um país escravocrata de dimensões continentais, quem sabe os símbolos e rituais realizariam bem a sua parte. Por meio deles divulgaram-se sensos comuns, modos de pensar e acreditar."Schwarz, L. M. Pagando caro e correndo atrás do prejuízo. In: Malerba, J (org.). A independência brasileira - Novas dimensões. Rio de Janeiro: FGV, 2006. - Marque a opção correta sobre o movimento de independência no Brasil:
  • A Com o crescimento das ideias liberais difundidas na Europa, as Cortes portuguesas, representação do Liberalismo em Portugal, passaram a defender a liberalização da economia, especialmente nas colônias. Essa posição das Cortes foi favorável ao processo de independência no Brasil;
  • B A agilidade e facilidade da composição do Estado Nacional Brasileiro podem ser explicadas pela unidade do projeto para o país. Com a clara união de interesses entre os grupos, o processo de independência se estabeleceu favorecendo especialmente os pequenos proprietários e pequenos comerciantes;
  • C No Brasil do processo de Independência, os grupos que exerciam influência política tinham três propostas básicas: os que defendiam ao retorno à condição de colônia; os que desejavam a proclamação da República, com o apoio de movimentos populares; aqueles que desejavam uma independência pacífica, instalando-se uma Monarquia, tendo D. Pedro como soberano. O grupo que representava essa última proposta sai vencedor.
  • D O chamado "projeto do Rio de Janeiro"liderado principalmente por José Bonifácio de Andrada e Silva, não enfrentou contestações nem resistências. Dessa forma, e contando com o apoio e ampla participação popular, passa a ser implantado na organização do Estado Brasileiro;
  • E Mesmo com o processo de independência em 1822, não foi constituído um estado brasileiro. A chamada emancipação política brasileira somente se consolidou com o reconhecimento da independência pelos franceses e italianos.
Sobre as principais características da Assembleia Constituinte de 1823 o início do I Império, é correto afirmar, EXCETO:
  • A Composta de oitenta deputados que representavam catorze províncias;
  • B Em sua formação contou basicamente com bacharéis, padres, magistrados, grandes proprietários rurais e funcionários públicos;
  • C Com as condições postas por Pedro I, foram formados dois blocos opostos: de um lado o Imperador e os conservadores, de outro, os liberais, os quais dominavam a Assembleia;
  • D Com as posições da Assembleia, em 12 de novembro de 1823, Pedro I dissolve a Constituinte, sendo diversos deputados presos e/ou deportados;
  • E A Constituinte de 1823 elaborou uma Carta Magna Outorgada que concentrava, pelo dispositivo do Poder Moderador, todos os poderes nas mãos do Imperador Pedro I.
O chamado Período Regencial no Brasil foi marcado por diversas revoltas. Dentre as mais importantes temos a Revolta dos Malês, que:
  • A Foi organizada desde as lideranças dos senhores latifundiários, interessados na contestação da cobrança de impostos do governo central sediado no Rio de Janeiro;
  • B Foi liderada por escravos e libertos seguidores da religião muçulmana que sabiam ler e escrever. Em 1835, os malês se rebelaram em Salvador;
  • C Foi liderada por comerciantes de grosso trato que estavam interessados na continuidade do comercio com a metrópole e desejavam a continuidade do sistema colonial;
  • D Foi a reação da população maranhense contra o aumento dos poderes dos prefeitos conservadores e a diminuição da influência dos liberais;
  • E Se desenrolou na então Província do Pará em 1835, quando os malês depuseram o presidente da Província e ocuparam Belém. Se constituiu em luta contra a miséria da população.