Questões de Período Colonial: produção de riqueza e escravismo (História)

Limpar Busca

"A descoberta de jazidas de ouro nas minas fez com que paulistas e forasteiros brigassem durante dois anos pelo controle da região. Francisco de Amaral Gurgel, frei Francisco de Meneses e forasteiros lideram a primeira parte deste movimento em Ouro Preto contra Domingos da Silva Monteiro, Bartolomeu Bueno Feio e paulistas. [...] A segunda parte do movimento ocorre em Sabará e envolve Pascoal da Silva Guimarães, frei Francisco de Meneses, frei Firmo e forasteiros contra paulistas, tudo isso devido à insatisfação em relação ao estabelecimento de contrato de fumo, carne e aguardente no local. Como consequência, o contrato acaba sendo suspendido até decisão régia, que o proíbe em 1709, ao fim do conflito. Em um terceiro momento, ocorre o assassinato de dois forasteiros no Rio das Mortes. Em outubro de 1708, o desaparecimento de uma espingarda faz surgir uma proposta de duelo entre os dois lados da disputa. O duelo acaba não ocorrendo e Borba Gato interfere propondo um acordo entre as partes, que é aceito. [...] Um mês depois, Manuel Nunes Viana volta a chamar atenção ao invadir Sabará e expulsar de lá os paulistas para Cachoeira do Campo. Eles são, no entanto, expulsos também de Cachoeira e o invasor de outrora é eleito governador, trazendo consigo forasteiros para ocuparem cargos do governo. [...] Em abril, Manuel Nunes Viana e agregados conseguem a expulsão do governador do Rio de Janeiro, sendo nomeado em seu lugar Antônio de Albuquerque Coelho de Carvalho. Em agosto, amotinados são perdoados. [...] É deste conflito que resultam a aquisição da Capitania de São Vicente e a criação da Capitania de São Paulo e Minas do Ouro, que só seria desfeita sob consequência de uma outra revolta em Vila Rica de 1720." Fonte (adaptada): https://www.historia.uff.br/impressoesrebeldes/
O trecho acima faz referência à:

  • A Revolta de Beckman.
  • B Guerra dos Emboabas.
  • C Guerra dos Mascates.
  • D Sabinada.
Marque a opção correta sobre a sociedade escravista colonial na América Portuguesa:
  • A Como os índios tinham realizado grande resistência contra a presença dos portugueses, chegando a se deslocar para o interior, abandonando o litoral, os colonizadores já iniciaram a organização do trabalho com a escravização de povos africanos;
  • B O trabalho com a atividade açucareira já era conhecido pelos indígenas, o que levou os colonizadores a utilizar a mão de obra indígena escravizada no empreendimento das plantações, processamento e produção final do açúcar;
  • C A mão de obra tentada no início da organização do trabalho na América Portuguesa foi do uso do trabalho indígena;
  • D Frente ao encarecimento do tráfico negreiro, os colonizadores portugueses abandonaram a mão de obra africana e estabeleceram o trabalho utilizando os escravos indígenas;
  • E Os ameríndios apresentaram facilidades de adaptação à rotina do trabalho agrícola na produção açucareira.
"Muitos africanos não abandonaram a religião em que foram criados na África e a transmitiram a seus filhos e netos crioulos. Mas a praticavam com muito cuidado a fim de evitar a repressão das autoridades, que em geral viam com maus olhos os batuques noturnos e muitas vezes destruíam os santuários com violência e prendiam os que neles se encontravam. Entre os presos podia estar um escravo ou liberto que não perdia a missa aos domingos, mas tocava o tambor ritual num terreiro no qual os deuses ou ancestrais se apossavam do corpo dos fiéis. Nisso não via ele contradição, pois o panteão africano se ampliar a com os santos católicos e nestes identificava entidades trazidas da África."Costa e Silva, Alberto da. População e Sociedade. In: Schwartz, L. M. (Direção) Crise Colonial e Independência: 1808-1830. Rio de Janeiro: Objetiva, 2011. (Adaptado).

- Sobre a cultura e a religiosidade africana no Brasil Colonial é correto afirmar:
  • A Mesmo com a profunda relação com a formação da cultura e da identidade brasileira, a religiosidade de origem africana manteve-se inalterada e independente, organizando-se como fator de poder político e econômico para os de sujeitos origem africana no Brasil;
  • B Como havia ocorrido com os povos de origem árabe muçulmana, os ibéricos, especialmente os portugueses, conviveram de forma pacífica e tolerante com as manifestações da religiosidade dos povos de origem africana;
  • C Mesmo em sua condição de cativos, os escravos africanos souberam habilmente preservar na América portuguesa, adaptadas às novas condições e realidades, algumas das instituições que afirmavam a sua identidade cultural e étnica;
  • D Tendo um tratamento baseado na tolerância religiosa, os colonizadores portugueses conseguiram realizar de forma pacífica a integração das diversas etnias de origem africana no Brasil colônia;
  • E A violenta e acirrada imposição dos costumes e valores de origem europeia resultou no completo desaparecimento dos elementos da cultura e religiosidade africana no Brasil colonial.
"Em 1701, a Coroa determinou um afastamento para o criatório de, no mínimo, dez léguas a partir da área de plantio da cana"Simonsen. Roberto C. História econômica do Brasil: 1500/1820. 10. ed. São Paulo: Nacional, 1978 (Brasiliana, 5). (Adaptado).
- Essa determinação realizada desde a Carta Régia de 1701 teve como objetivo:
  • A Garantir a preservação e o desenvolvimento das atividades econômicas da Colônia Portuguesa na América contra as ameaças de outras nações colonialistas, especialmente os holandeses e franceses;
  • B Estimular o desenvolvimento da atividade pecuária que estava se tornando mais lucrativa para o empreendimento da colonização;
  • C Reservar as áreas do litoral para o cultivo da cana de açúcar que tinha se mostrado lucrativa e que não poderia ter a sua área ocupada com as atividades pecuárias, de potencial econômico menor;
  • D Deslocar a produção açucareira para o interior, pois as qualidades do solo nos sertões haviam se mostrado mais propícias para a cana de açúcar e o transporte de mercadorias;
  • E Realizar o projeto de interiorização das atividades econômicas na colônia, na medida em que essas poderiam ser melhor gerenciadas pelos senhores de engenho, únicas instâncias administrativas da Coroa Lusitana na Colônia.

Sobre os conflitos e revoltas no período Colonial. A Guerra do Emboabas:

  • A ocorreu pelo conflito de paulistas contra os migrantes, pois os paulistas queriam exclusividade na exploração de minas de ouro.
  • B foi iniciada devido o declínio financeiro dos senhores do açúcar e a ascensão dos comerciantes portugueses de Recife.
  • C foi gerada pela revolta de mineradores contra o governo, exigindo a diminuição dos impostos e do preço dos alimentos.
  • D os feitores, que eram trabalhadores livres encarregados de vigiar o trabalho dos escravizados, se revoltaram contra a cobrança de impostos da coroa portuguesa.