Questões da Prova do Controladoria e Ouvidoria Geral do Estado do Ceará (CGE - CE) - Auditor de Controle Interno - Área de Correição (2019)

Limpar Busca

Infere-se do texto CB1A1-I que o narrador caracteriza Candeia como “quase nada” (l.1) e “morta” (l.14) devido à

  • A desesperança reinante no povoado.
  • B impressão de abandono exibida pelo povoado.
  • C inexistência de espaços de diversão no povoado.
  • D desigualdade explícita em todos os cantos do povoado.
  • E presença de pessoas mesquinhas e desgraçadas pelo povoado.

No texto CB1A1-I, o sujeito da oração “Era custoso” (l.5) é

  • A o segmento “acreditar que morasse alguém naquele cemitério de gigantes” (l. 5 e 6).
  • B o trecho “alguém naquele cemitério de gigantes” (l.6).
  • C o termo “custoso” (l.5).
  • D classificado como indeterminado.
  • E oculto e se refere ao período “Nem o ar tinha esperança de ser vento” (l. 4 e 5).

Mantendo-se a correção gramatical e os sentidos do texto CB1A1-I, poderia ser inserida uma vírgula logo após

  • A “construções” (l.3).
  • B “música” (l.16).
  • C “azul” (l.17).
  • D “porta” (l.23).
  • E “triste” (l.10).

Na linha 13 do texto CB1A1-I, o vocábulo “se”

  • A poderia ser suprimido, sem alteração dos sentidos do texto.
  • B encontra-se em próclise devido à presença do advérbio “sempre”.
  • C indetermina o sujeito da forma verbal “encontrava”.
  • D retoma a palavra “povo” (l.12).
  • E indica reciprocidade.

No texto CB1A1-I, poderia ser substituído por havia o verbo ter empregado em

  • A “Não tinha mais que vinte casas mortas” (l. 1 e 2).
  • B “Algumas construções nem sequer tinham telhado” (l.3).
  • C “Nem o ar tinha esperança de ser vento” (l. 4 e 5).
  • D “Em Juazeiro tinha gente” (l. 11 e 12).
  • E “Não tinha tanto dinheiro para comer” (l. 31 e 32).