Questões de Flexão verbal de modo (indicativo, subjuntivo, imperativo) (Português)

Limpar Busca
Na frase abaixo o uso da forma verbal "chegava" é um coloquialismo, ou seja, uma fora comum na oralidade, mas que não seria adequada gramaticalmente. Neste contexto, ela foi usada para aproximar a linguagem da canção da linguagem dessa hipotética mãe de classe baixa.
Qual seria a forma verbal adequada para este contexto?
Ele um dia me disse que chegava
Alternativas:

  • A Chegou
  • B Chegaste
  • C Chegaria
  • D Chegará
  • E Chegasse

Modos:


I. Subjuntivo: exprime certeza;

II. Indicativo: apresenta hipóteses, dúvidas;

III. Imperativo: manifesta ordem, pedido, sugestão.


Sobre os itens acima:

  • A Apenas I está correto.
  • B Apenas II está correto.
  • C Apenas III está correto.
  • D Todos estão incorretos.
“Em virtude dos diversos matizes semânticos que manifesta, o subjuntivo pode apresentar-se nos seguintes casos.” (Bezerra, R. – Nova Gramática da Língua Portuguesa para Concursos)
Assim sendo, aquele que exprime um convite, uma requisição para comparecimento é o modo:
  • A Subjuntivo invitatório.
  • B Subjuntivo exortativo.
  • C Subjuntivo imperativo.
  • D Subjuntivo concessivo.

Sobre os componentes textuais, marque a alternativa INCORRETA.

  • A O (6º§) inicia com verbo de terceira conjugação no pretérito perfeito do modo indicativo e pronome enclítico, enunciando mais descontentamento do hífen, desta vez por abandono, desprezo e humilhação.
  • B No (2º§), há elementos que comprovam que o hífen buscou ajuda de profissional para tratá-lo de algo que mexeu com seu psiquismo.
  • C No (3º§), a voz do texto emite opinião sobre suas próprias observações.
  • D O (4º§) inicia com sujeito indetermina, enquanto o (3º§) inicia com sujeito elíptico, mas que se pode determinar pela desinência verbal de primeira pessoa do singular.
  • E Tanto no (4º§) quanto no (5º§) já se percebe a mudança radical de humor do hífen, podendo-se comprovar pelo uso de pronomes indefinidos.

Sobre "O Ballet da Ortografia", marque a alternativa incorreta.
O BALLET DA ORTOGRAFIA Às vezes quero dizer que saí e mandam botar acento no "i", porque se tirar o acento, quem sai não sou eu, é o outro - e é aí que está a diferença. Falam-me em ditongos, em hiatos, em dissílabos e proparoxítonas - palavras que me trazem amargas recordações de uma infância cheia de zeros. Quando vou a uma festa, nunca sei se devo dançar com "ç" ou com "s". Só depois dos primeiros passos é que percebo que quem dansa com "s" não sabe dançar. (...) (Leon Eliachar)

  • A Leon Eliachar aponta que "dançar" e "dansar" têm aproximação fônico-articulatória.
  • B Em: "Falam-me em ditongos, em hiatos, em dissílabos e proparoxítonas". - sublinhamos oração com sujeito indeterminado e ênclise.
  • C Os termos verbais: "saí / sai " identificam-se morfologicamente, mas diferenciam-se pelo tempo verbal e pela pessoa do discurso: (saí - dissílabo, oxítono, primeira pessoa do pretérito perfeito do indicativo); (sai - monossílabo, terceira pessoa do presente do indicativo).
  • D O enunciador da mensagem conotativa esclarece sobre a perfeita identificação que existe entre falar e escreve, respeitando os aspectos gráficos e fônicos da Língua Portuguesa.
  • E O texto centra-se nas diferenças entre grafemas e fonemas.