Questões de Doenças Crônicas Não Transmissíveis (Enfermagem)

Limpar Busca

Os distúrbios hipertensivos específicos da gestação constituem importante causa de morbidade grave, e de mortalidade tanto materna quanto fetal. Considerando a fisiopatologia, classificação, diagnóstico, complicações e tratamento das síndromes hipertensivas da gravidez, assinale a alternativa INCORRETA:

  • A De acordo com a FEBRASGO (Federação Brasileira das Associações de Ginecologia e Obstetrícia), pode ser considerado estado hipertensivo na gestação quando a pressão arterial sistólica é maior ou igual a 140mmhg e/ou a pressão arterial diastólica maior ou igual a 90mmhg, após a vigésima semana de gestação.
  • B Segundo a RBEHG (Rede Brasileira de Estudos sobre Hipertensão e Gravidez), pré-eclâmpsia grave é caracterizada com pressão arterial sistólica maior ou igual a 160mmhg e/ou pressão arterial maior ou igual a 110mmhg, podendo estar associada a cefaleia intensa e sintomas visuais.
  • C Para o Ministério da Saúde, a síndrome de HELLP é a forma mais leve das síndromes hipertensivas relacionadas à gestação, cuja principal caraterística é a presença de proteína na urina e sintomas visuais, sendo recomendado como forma de tratamento administração de sulfato de magnésio IV.
  • D A eclampsia é descrita pela FEBRASGO e pela RBEHG como uma forma grave dos distúrbios hipertensivos que afetam as gestantes, caracterizada por convulsões motoras generalizadas, cujo principal medicamento de escolha, tanto para prevenção como tratamento, é o sulfato de magnésio.
Paciente de 82 anos, com diagnóstico de pneumonia, em uso de oxigênio e monitorização contínua, apresentou lesão de pressão grau I em calcâneo bilateral. O principal cuidado para a prevenção dessa lesão é:
  • A Proteger o calcâneo com hidrocoloide.
  • B Fazer curativo com fita microporosa.
  • C Realizar mudança de decúbito a cada duas horas.
  • D Deixar o paciente em posição de Trendelenburg.

A insuficiência cardíaca resulta em débito insuficiente para atender às necessidades tissulares e provoca congestão pulmonar e sistêmica. Tal afecção é associada à alta morbidade e mortalidade. Marque a alternativa CORRETA sobre os cuidados aos pacientes com esse diagnóstico:

  • A Elevar as pernas, evitando pressões sobre os joelhos; encorajar exercícios ativos/passivos; aumentar a deambulação conforme tolerado.
  • B Oferecer cadeira higiênica ao lado do leito; orientar para evitar atividades que desestimulem a resposta vasovagal, como esforço durante a evacuação, prender a respiração durante mudanças de posição.
  • C Monitorizar o débito urinário, observando o aumento do débito e a urina clara; inspecionar a pele quanto à palidez, cianose; monitorar a pressão arterial.
  • D proporcionar ambiente silencioso; explicar o tratamento clínico e de enfermagem; orientar o paciente a vivenciar situações de estresse.

O diabetes mellitustipo 1 pode ser complicado pela instabilidade e cetoacidose diabética. A cetoacidose diabética é uma emergência que ameaça a vida, causada por uma deficiência relativa ou absoluta de insulina. Sobre os cuidados de enfermagem para essa complicação, é CORRETO afirmar:

  • A Para restabelecer o controle hídrico/eletrolítico, é necessário monitorar os sinais vitais; avaliar os pulsos periféricos; enchimento capilar; turgor cutâneo e membranas das mucosas; monitorar o balanço hídrico e observar a densidade urinária; pesar diariamente; investigar mudanças no estado mental.
  • B Para restabelecer o controle hídrico/eletrolítico, é necessário observar informes de dor abdominal; náusea; vômito do alimento não digerido e manter jejum indicado; oferecer líquidos contendo nutrientes e eletrólitos orais conforme tolerância; observar sinais de hipoglicemia; realizar o hemoglicoteste.
  • C Para restabelecer o controle hídrico/eletrolítico, é necessário observar sinais de infecção e inflamação; manter técnica asséptica para punção venosa e administração de medicamentos; manter a pele seca e os lençóis sem pregas; colocar em posição semi-fowler; encorajar ou ajudar na higiene oral.
  • D Para restabelecer o controle hídrico/eletrolítico, é necessário monitorar os sinais vitais; avaliar a acuidade visual; proteger o paciente de lesão; investigar relatos de hiperestesia, dor ou perda sensorial nos pés ou pernas; procurar úlceras, áreas avermelhadas, pontos de pressão, perda dos pulsos pediosos.

O infarto do miocárdio é causado pela acentuada redução ou perda de fluxo sanguíneo através de uma ou mais artérias coronárias, resultando em isquemia do músculo cardíaco e necrose. Sobre os cuidados de enfermagem para essa patologia é CORRETO afirmar:

  • A Para a assistência ao cuidado circulatório, é necessário investigar alterações súbitas ou continuadas no estado mental; inspecionar a pele quanto à palidez, cianose, manchas, frio ou umidade; examinar quanto ao sinal de Homans, eritema e edema; encorajar exercícios ativos ou passivos das pernas, evitando exercícios isométricos; monitorar a respiração; observar a função gastrointestinal.
  • B Para a assistência ao cuidado circulatório, é necessário registrar alterações na frequência cardíaca, ritmo e pressão arterial antes, durante e após atividade; encorajar repouso no leito ou poltrona inicialmente; observar sinais verbais e não verbais de ansiedade; monitorar o débito cardíaco; administrar medicamentos antiarrítmicos; pesar diariamente; calcular o balanço hídrico.
  • C Para a assistência ao cuidado circulatório, é necessário auscultar a pressão arterial, comparando-a em ambos os braços e verificar nas posições deitada, sentada e de pé; administrar ansiolíticos ou hipnóticos conforme prescrição médica; monitorar a frequência e o ritmo cardíaco; administrar oxigênio suplementar conforme prescrição médica; instruir o paciente a relatar dor imediatamente.
  • D Para a assistência ao cuidado circulatório, é necessário proporcionar ambiente silencioso, atividades relaxantes e medidas de conforto, encorajar repouso inicialmente e posteriormente limitar a atividade com base na dor ou resposta cardíaca direta; observar palpitações, irregularidades da frequência cardíaca, dispneia e dor torácica.