Questões de Atenção Básica e Saúde da Família (Enfermagem)

Limpar Busca

A atenção à saúde da população em situação de rua exige a ampliação do olhar sobre o processo saúde-doença-cuidado, bem como utilização de diversas ferramentas que valorizem as pessoas e suas necessidades, levando em consideração o território e suas singularidades. De acordo com Cardoso et al (2018), o cuidado ofertado pelos enfermeiros do Consultório na Rua são norteados:

  • A Pelas tecnologias leves.
  • B Pela noção de território.
  • C Pela desinstitucionalização.
  • D Pelas tecnologias leve-duras.
  • E Pela formação adquirida na graduação.

A Política Nacional de Atenção Básica (PNAB) constitui-se uma importante estratégia de enfrentamento das iniquidades relacionadas à população. A criação das equipes de Atenção Básica (AB) específicas, como as equipes de Consultórios na Rua (eCR), representa uma iniciativa para a atenção à população que vive em situação de rua, na medida em que promove a ampliação dos serviços de saúde. As competências do trabalho das equipes do Consultório na Rua definidas por Machado e Rabello (2018) são:

  • A Acolhimento, vínculo e intersetorialidade.
  • B Trabalho em rede, responsabilização e cuidado.
  • C Clínica/cuidado, processo de trabalho e trabalho em rede.
  • D Clínica da subjetividade, atenção psicossocial e acolhimento.
  • E Territorialização, redução de danos e alteridade.

Sobre o Núcleo Ampliado de Saúde da Família e Atenção Básica (NASF-AB), é CORRETO afirmar que:

  • A Constitui uma equipe multiprofissional composta por enfermeiros e médicos especializados, complementar às equipes que atuam na atenção básica.
  • B Constitui como serviço com unidade física independente, sendo de livre acesso para atendimento individual ou coletivo.
  • C Deve estabelecer seu processo de trabalho a partir de problemas, demandas e necessidades de saúde de pessoas e grupos sociais em seus territórios.
  • D Busca-se que essa equipe seja suplementar à atenção básica, trabalhando de forma transversal e garantindo mais atendimentos à população carente.

Constituem atividades básicas de uma equipe de Saúde da família, EXCETO:

  • A Orientar a comunidade quanto a criação e participação nos órgãos colegiados locais de saúde visando maior participação da população nas decisões e políticas de saúde.
  • B Promover junto à equipe de saúde e comunidade, reuniões e espaços para aprofundar o conceito de cidadania objetivando maior consciência dos direitos à saúde garantida pela Constituição Federal e outros instrumentos legais.
  • C Buscar contatos com indivíduos sadios ou doentes com o objetivo de promover a saúde por meio da educação sanitária, prestando assistência parcial à população, respondendo de forma contínua e racionalizada à demanda.
  • D Identificar os problemas de saúde mais comuns e situações de riscos a que a população é exposta, buscando conhecer mais profundamente a realidade das famílias da área de abrangência da equipe de saúde.

Abreu (2016) considera que a transição do Consultório de Rua para Consultório na Rua é muito mais que uma alteração puramente semântica. Está em questão o campo de ação. No Consultório na Rua as ações são voltadas para

  • A a saúde mental.
  • B a intersetorialidade.
  • C a população usuária de drogas.
  • D a saúde geral da população em situação de rua.
  • E as pessoas que frequentam os dispositivos de saúde.