Questões de Competências e Atribuições Privativas do Assistente Social (Serviço Social)

Limpar Busca

Ao refletir sobre as atribuições privativas do assistente social na Assistência Social, o CFESS compreende que diversas dimensões interventivas presentes nessa política podem se desdobrar em competências, estratégias e procedimentos específicos, como, por exemplo: I. Realizar estudo e estabelecer cadastro atualizado de entidades e rede de atendimentos públicos e privados. II. Favorecer a participação dos usuários e movimentos sociais no processo de elaboração e avaliação do orçamento público. III. Estimular a organização coletiva e orientar os usuários e trabalhadores da política de Assistência Social a constituir entidades representativas. Está correto o que se afirma em:

  • A somente I;
  • B somente III;
  • C somente I e III;
  • D somente II e III;
  • E I, II e III.

Thúlio trabalha em uma grande empresa. Ele é Bacharel em Serviço Social, mas nunca requereu sua inscrição no CRESS porque o seu cargo não exigia. Essa semana foi informado por sua chefe que a empresa receberá estagiários de Serviço Social e ele será o supervisor principal desses estudantes. Thúlio deve:

  • A assumir imediatamente essa função, uma vez que no juramento que fez ao se formar, garantiu sua participação na formação de novos profissionais;
  • B solicitar que lhe seja dado algum tempo, a fim de que procure o CRESS da região para se inscrever como supervisor de estágio;
  • C aceitar prontamente, pois é uma oportunidade para implementar o Serviço Social na empresa na qual trabalha;
  • D condicionar a sua concordância mediante a formação, pela empresa, de uma equipe de assistentes sociais, conforme determinado pelo Código de Ética;
  • E recusar-se, informando que, ainda que formado, não possui a inscrição no CRESS, não podendo, portanto, atuar como assistente social.

Carina atende Julia, que buscou o Serviço Social porque iniciou o seu processo transexualizador e está sendo alvo de preconceito e assédio por parte de sua família. A equipe decide que irá acompanhar Julia durante todo o processo, mas Carina se recusa, uma vez que possui posição contrária ao processo. Sua decisão:

  • A constitui infração disciplinar grave, pois contraria o Código de Ética do Assistente Social em seus princípios e valores fundamentais;
  • B está correta, posto que as cirurgias de transgenitalização e demais maneiras de modificação corporal ainda não foram regulamentadas pelo conjunto CFESS/CRESS;
  • C baseia-se nas Normas e Diretrizes do Ministério da Saúde para o processo transexualizador, que propugna a autonomia e a responsabilidade de cada sujeito que busca a mudança de sexo;
  • D está errada, pois constitui competência do assistente social prestar acompanhamento a sujeitos que buscam as transformações corporais em consonância com suas expressões e identidade de gênero;
  • E encontra respaldo no fato de que a transgenitalização é uma condição psicopatológica, devendo ser acompanhada exclusivamente pelas equipes médica e psicológica.

A regulamentação da supervisão direta de estágio em Serviço Social é de competência exclusiva do/a

  • A campo de estágio.
  • B Ministério da Educação.
  • C ABEPSS.
  • D Instituição de Ensino Superior.
  • E CFESS.

A supervisão de estágio está diante de uma convergência perversa, pois reúne em seu processamento

  • A a precarização das condições de trabalho, a mercantilização da educação superior e o aprofundamento da questão social.
  • B a ausência de campos de prática, o despreparo dos profissionais e o desinteresse dos estudantes.
  • C o desmonte dos direitos sociais, a focalização das políticas e a pobreza dos usuários.
  • D a assistencialização das políticas sociais, o neoliberalismo e a fragilidade teórica discente.
  • E o neoconservadorismo, a ausência de uma teoria própria na profissão e os cursos à distância.