Resumo de Sociologia - Consumismo

Entenda como o comportamento consumista é estimulado e os danos que ele causa

O consumismo é um fenômeno social estimulado pela sociedade capitalista devido à sua capacidade de movimentar a estrutura econômica e, desse modo, garantir o funcionamento das engrenagens de consumo. Contudo, ele também constitui um aspecto característico de subjetividades fragilizadas. E, muitas vezes, está associado a transtornos de saúde mental, como ansiedade e depressão. 
Conceitualmente, o consumismo pode ser definido pela compulsividade em comprar. Desse modo, é considerado consumista o indivíduo que adquire com frequência produtos para os quais não possui necessidade. Esse fenômeno emerge com a sociedade do consumo que é estrutura no período pós Revolução Industrial e é retroalimento pelas estratégias empregadas pelo capitalismo. 

As estratégias aliadas do consumismo 


Para entender como o consumismo integra o processo de construção da sociedade de consumo, é importante lembrar da alienação do processo de produção que o capitalismo impõe aos sujeitos. Com isso, não somente os trabalhadores perderam a conexão com os produtos resultantes da sua força de trabalho, também é criado um cenário de compra sem necessidade e sem conhecimento do real valor dos produtos. 
Paralelo a isso, a sociedade e consumo dispõe de mecanismos que estimulam a constante aquisição de produtos. Não fosse assim, ao adquirir aquilo de que se tem necessidade, o ciclo de consumo estaria findado. Para que isso não aconteça são importantes as estratégias de marketing, em especial as que associam consumo a qualidade de vida, e a prática da obsolescência programada. 
Marketing e Propaganda 
O marketing e a propaganda fazem parte das dimensões nas quais atuam a indústria cultural. Esse conceito criado pelos filósofos da Escola de Frankfurt explica como são empregadas as estratégias do capitalismo para promover uma padronização dos gostos a partir dos interesses das classes dominantes. 
Sendo assim, os anúncios publicitários atuam de modo a despertar na sociedade o desejo de comprar. Para isso, despertam os chamados gatilhos de consumo. Com isso, a classe dominante, que controla os meios de produção, mantém seu status social na medida em que é favorecida pela compra dos produtos que ela explora os trabalhadores para produzir. 


Obsolescência programada 

Outra estratégia de estímulo ao consumismo é a determinação do prazo de funcionamento dos produtos. Com isso, o consumidor se vê obrigado a adquirir um novo item em um curto período de tempo. A curta durabilidade dos produtos mantém o ciclo do consumo ativo e cria no consumidor a expectativa em ter a melhor versão disponível. 
A definição da obsolescência pode ser executada segundo padrões técnicos ou psicológicos. Na obsolescência técnica, o produto apresenta mau funcionamento ou simplesmente deixa de funcionar. Nesses casos, para garantir os benefícios que ele proporciona, o consumidor precisa adquirir um novo item, já que, muitas vezes, o conserto é mais dispendioso. 
A obsolescência psicológica, por outro lado, atua na dimensão subjetiva do consumidor. O produto adquirido, não necessariamente, apresenta falha de funcionamento. Mas é criado um sentimento de insatisfação quando, em um curto espaço de tempo, uma versão mais avançada é disponibilizada no mercado. 

Quais são os impactos do consumo excessivo? 


Ao passo em que serve à manutenção da estrutura capitalista, o consumismo atua de maneira nociva para os indivíduos e ambiente no qual ele está situado. Os estudos sobre a temática apontam que as consequências advindas dessa prática podem ser observadas em três dimensões distintas: social, econômica e ambiental. 
No que diz respeito ao âmbito do social, o consumismo pode criar uma associação entre o ato de comprar e a sensação de prazer. Com isso, o indivíduo desenvolve uma espécie de compulsão que apresenta características similares ao vício em drogas ilícitas. Em alguns casos, essa situação pode se configurar em um quadro de saúde denominado oneomania, que necessita acompanhamento psicológico. 
A consequência econômica mais comum do consumismo é o endividamento. Motivado pelo impulso de comprar, o consumista não avalia a necessidade do produto, muito menos suas condições econômicas para comprá-lo. Desse modo, adquirem dívidas que comprometem o orçamento familiar. 
Conforme aumenta a demanda de consumo, a produção também precisa crescer. Desse modo, a exploração dos recursos naturais necessários para os processos fabris é intensificada. Do mesmo modo, a obsolescência programa faz com que a quantidade de lixo depositado no meio ambiente seja maior, especialmente quando se trata de eletrônicos, já que nem todos os componentes podem ser reciclados. 
Voltar

Questões