Resumo de Sociologia - Filantropia

Uma forma de doação àqueles que mais precisam

Muitos acreditam que a filantropia está diretamente relacionada à prática no assistencialismo, mas se engana quem pensa que esse gesto se limita a práticas pontuais e que pouco fazem pela sociedade.
A filantropia é um conceito baseado em um comportamento, é um modo de viver e de enxergar o mundo e as pessoas de uma forma mais generosa. A filantropia não enxerga a doação apenas como um paliativo, mas como um modo de beneficiar as pessoas que estão passando por necessidades, criando mais possibilidades para uma sociedade mais igualitária.
Muitas pessoas sentem um certo desconforto com filantropia porque acreditam que o termo está sempre voltado às doações financeiras. Mas, a verdade é que para ser um filantropo você não precisa ter a fortuna de Bill Gates ou a de Jeff Bezos. Você pode ajudar uma causa social junto às ONGs da sua cidade ou associação de moradores do seu bairro, ou até mesmo através de uma intervenção feita em conjunto com escolas e universidades. A filantropia está ao alcance de todos.


Ações filantrópicas pelo mundo


A filantropia tem causado grandes impactos no Brasil e no mundo. Isto porque, existe uma necessidade urgente de atender às pessoas que por diferentes razões se encontram em situação de vulnerabilidade.


De acordo com um estudo da Universidade Americana John Hopkins, realizado em 2014, as doações filantrópicas chegaram a marca de 2,3% do PIB do Brasil, entre 2002 e 2020.
Em alguns países, como nos Estados Unidos, a filantropia já faz parte da cultura, por isso, a maioria dos filantropos que conhecemos hoje são estadunidenses, Bill Gates, por exemplo, chega a doar bilhões de dólares em ações de caridade. 


A população americana também é muito engajada com as doações. Diferente dos outros países, em que é comum ter mais doações no natal e dia das crianças, os norte-americanos chegam a doar bilhões de dólares por ano em filantropia. 

Esse é um bom exemplo para as pessoas que pensam que as pequenas ações realizadas no dia a dia não causam impacto. Quem age com generosidade com os outros, doando dinheiro, roupas ou alimentos, mudam não só a vida daqueles que receberam o benefício, mas a sociedade como um todo.

Como praticar a filantropia no dia a dia


Como já foi citado, a filantropia está relacionada com a generosidade. A generosidade é uma virtude que não se limita a bens materiais. Muitas vezes, ser generoso significa sacrificar os próprios interesses em benefício de outros. No cotidiano, as pessoas passam por situações que exigem o exercício dessa virtude e, como seres sociais, elas têm a capacidade de exercitar atos assim. Se, por alguma limitação, você não tem condições de doar algum item, seja uma roupa, ou relógio, ou dinheiro, com certeza, você pode ser um bom ouvinte, empático, educado e estar disposto a ajudar dentro de suas condições.


Da mesma forma, agir com ética, abrir mão de vantagens, não prejudicar outras pessoas em benefício próprio, não criticar as pessoas por aquilo que elas são, se vestem, ouvem ou por suas opiniões, e cuidar para que suas atitudes sejam um bom exemplo, também é uma forma de filantropia.


Ações como essas te tornam mais sensíveis ao que está acontecendo à sua volta, às diferentes realidades e necessidades das pessoas. Mais do que isso, esse comportamento pode ser contagioso e levar outras pessoas a agiram da mesma maneira, gerando um grande impacto na vida de muita gente. Além disso, essas atitudes demonstram que a filantropia está ao alcance de todos, podendo ser realizada de várias formas. O fato de não dispormos de recursos financeiros não é um empecilho para sermos generosos. 


Mas se você quer ajudar através de doações financeiras procure organizações sociais de confiança, que já desenvolvem projetos de grande impacto e que possuem uma estrutura bem preparada. Observe se as atividades realizadas por esse grupo são relevantes, se você possui alguma identificação com as causas que ele defende e caso não, se as pautas levantadas por essa organização são de interesse público.


Se você se interessa por essa área, também existem instituições que promovem a capacitação técnica para aqueles que querem trabalhar com redes filantrópicas e projetos solidários.

Voltar

Questões