Resumo de Sociologia - Complexo de Édipo

O conceito é baseado em uma história da mitologia; entenda

O Complexo de Édipo faz referência a um dos contos mais famosos da mitologia grega. Quando ainda era bebê, Édipo recebeu uma profecia de um oráculo de Delfos. Um dia, ele mataria seu pai e desposaria sua própria mãe, a rainha Jocasta. Por causa disso, seu pai, o rei Laio decidiu condená-lo à morte. O rei designou essa missão a um pastor, ele deveria amarrar os pés de Édipo a uma árvore e deixa-lo para ser devorado pelas feras. Mas por pena, o pastor desobedeceu às ordens do rei e ficou com o menino. Em um dia, quando não tinha mais condições de criá-lo, entregou Édipo para adoção.
Um dos pontos centrais das narrativas da mitologia é que não adianta fugir, o destino tende a se cumprir e quem já está familiarizado com essa história sabe que os caminhos de Édipo e seus familiares se cruzam novamente. De uma forma bem resumida, toda a profecia é cumprida. Édipo assassina o próprio pai e sem saber que Jocasta é sua mãe, casa-se com ela. Quando descobre a verdade, Édipo cega a si mesmo e Jocasta comete suicídio. 
Tendo como base esse conflito nas relações familiares e os desejos amorosos entre os filhos e as figuras parentais, que Sigmund Freud desenvolveu o conceito chamado Complexo de Édipo. 


O Complexo de Édipo e a teoria da sexualidade infantil

O Complexo de Édipo é um conceito do universo da psicanálise, no qual aborda os sentimentos de amor ou ódio que são direcionados às figuras paternas. Segundo Freud, teórico que desenvolveu o estudo, o complexo acontece quando a criança está atravessando a fase fálica, geralmente aos três anos de idade. Nesse período ela passa a receber várias proibições que antes não tinha. Agora, ela já está se preparando para receber regras e limites.

É durante esse momento da vida que a criança adquire noções de comportamento, do que é certo e errado, reconhece as relações familiares, distingue seus genitores, e a depender do tipo de relacionamento que ela tenha com seus pais, isso pode interferir diretamente nos relacionamentos futuros, principalmente na esfera sexual.

O Complexo de Édipo se torna central na teoria freudiana porque explicita como esse processo de descoberta e identificação durante as fases de crescimento, refletem nas experiências e no comportamento até a vida adulta.




De um modo geral, esse fenômeno busca apresentar de forma simples o amor que a criança denota ao seu genitor do sexo oposto, ao passo que possui rivalidade com o do mesmo sexo. Por exemplo, o menino manifesta preferência pela mãe, e a menina manifesta preferência pelo pai. Para ter total compreensão do que o Complexo de Édipo discute é preciso entender as relações que esses sujeitos têm com o que Freud vai chamar de “objeto”. Segundo o autor, o primeiro objeto erótico da criança é o seio da mãe. Na amamentação são despertadas as sensações do campo das emoções como segurança, nutrição, afetividade, além de sensações físicas. 


Essa interação estabelece um elo muito forte entre a mãe e seu filho, mas também acaba servindo como modelo para futuras relações amorosas. É nessa fase que podem ser observados alguns comportamentos como, por exemplo, o ciúme da relação entre o pai e mãe, a necessidade contínua de atenção. Ao desejar a mãe só para ele, a criança passa a repelir o pai. Do mesmo modo, a menina passa a desejar o pai e afastar-se da mãe. 


A medida em que vão crescendo, esse sentimento vai se diluindo. Primeiro porque as crianças descobrem que não são a prioridade, e também porque entendem que não deveriam nutrir desejo por esse objeto. Além disso, ao se relacionar com outras pessoas passam a direcionar afeto a elas. Apesar de acontecer durante uma fase na infância, Freud afirma que o complexo de Édipo pode ressurgir na adolescência e mesmo na fase adulta.

Por isso a história de Édipo Rei é tão importante para a psicanálise. A mitologia sempre teve uma preocupação em transmitir valores e lições de moral através de suas histórias, e essa narrativa cumpre sua função. O destino de Édipo e as consequências causadas pelo seu desejo incestuoso são assustadoras para qualquer ouvinte.

Voltar

Questões