Resumo de Química - Camada de Valência

Camada de valência é o nome dado à última camada a receber elétron de um átomo. É a parte que fica mais distante do núcleo atômico. Por ter essa distância, os componentes das camadas precisam de oito elétrons para se estabilizar.  

Para os átomos entrarem em equilíbrio e formar moléculas, os elétrons pertencentes às camadas participam de ligações químicas para alcançar os oito elétrons. Com exceção do gás Hélio, os demais gases nobres não precisam destas ligações pois têm a camada de valência completa.

Teoria do Octeto

A teoria do octeto explica que os átomos da camada de valência precisam de oito elétrons para manter-se estáveis. A forma mais natural de acontecer essa estabilidade é através da ligação química. Isso torna-se possível pela facilidade que os elementos têm em ganhar ou perder elétrons, conhecida também por afinidade eletrônica.

Os átomos que possuem tendência a doar elétrons têm um, dois ou três elétrons na camada de valência e são enquadrados como metais, com exceção dos átomos de Hidrogênio (H) e Hélio (H). Ao contrário, os átomos com possibilidade de receber elétrons, os não-metais, possuem quatro, cinco, seis ou sete elétrons na camada de valência.

Existem duas formas de determinar a camada de valência, que podem ser feitas tanto pela Distribuição Eletrônica quanto pela Tabela Periódica.

Distribuição Eletrônica

A Distribuição Eletrônica da camada de valência é feita por meio do diagrama de Linus Pauling, cuja tabela representa a distribuição eletrônica por meio de subníveis de energia.

Nesta distribuição, a eletrosfera é dividida em sete camadas ao redor do núcleo atômico e cada uma delas comporta uma quantidade máxima de elétrons.

As camadas eletrônicas propostas pelo diagrama de Linus Pauling são representadas por letras do alfabeto, do K ao Q. Dividem-se da seguinte maneira: K, L, M, N, O, P e Q.

Além das divisões, cada camada permite receber um número máximo de elétrons, que respectivamente são: 2, 8, 18, 32, 32,18 e 8.

Exemplos:

Oxigênio – O

Número atômico: 8

Distribuição eletrônica: 1s2 2s2 2p4

Camada de Valência: 2s2 2p4

Portanto, o Oxigênio possui 6 elétrons na camada de valência.

Nitrogênio – N

Número Atômico: 7

Distribuição eletrônica: 1s2 2s2 2p3

Camada de Valência: 2s2 2p3.

Portanto, o Nitrogênio possui 5 elétrons na camada de valência.

Ferro – Fe

Número Atômico: 26

Distribuição eletrônica: 1s2 2s2 2p6 3s2 3p6 4s2 3d6

Camada de Valência: 4s2.

Portanto, o Ferro possui 2 elétrons na camada de valência.

Subníveis

A soma dos elétrons em cada subnível é igual ao número máximo de elétrons que cada camada permite, conforme vê-se na figura abaixo:

Dentro das classificações dos subníveis, um elemento que perde elétron recebe a denominação de cátion. Quando ganha elétron é chamado de ânion

Exemplo 1: Átomo de urânio (92U)

1s2

2s2 2p6

3s2 3p6 3d10

4s2 4p6 4d10 4f14

5s2 5p6 5d10 5f4

6s2 6p6

7s2

Comentário: ao analisar a distribuição eletrônica do urânio é possível constatar que a camada de valência é o sétimo nível e apresenta dois elétrons localizados no subnível “s”.

Exemplo 2: Átomo de sódio (11Na)

1s2

2s2 2p6

3s1

Comentário: ao observar este exemplo constata-se que a camada de valência do sódio é o terceiro nível e apresenta apenas um elétron localizado no subnível “s”.

Camada de Valência pela Tabela Periódica

A tabela periódica surgiu a partir do envolvimento de diversos cientistas e, atualmente, é adotada mundialmente. Nela constam 118 elementos químicos dispostos sistematicamente e ordenados por números atômicos, configuração eletrônica e propriedades.

Para determinar a camada de valência a partir da tabela periódica é necessário identificar o período e a família do elemento.

Os períodos da tabela periódica são as sete linhas horizontais da tabela. Eles variam de dois a 32 elementos que agrupam-se pelo número igual de camadas eletrônicas.

As famílias da tabela periódica são as 18 linhas verticais do sistema cujos elementos têm a mesma quantidade de elétrons na sua camada de valência e propriedades físicas e químicas similares.

Quando a família 1A apresenta um elétron, a família 2A apresentará dois, a 3A terá três e assim segue a lógica sequencial. No entanto, esse tipo de identificação só é válido para as famílias 1, 2, 13, 14, 15, 16 e 17.

Voltar

Questões