Resumo de Química - Bismuto

Bismuto é um elemento químico da família 5A, encontrado no grupo nitrogênio da Tabela Periódica. Ele é representado pelo símbolo Bi, com número atômico 83 (83 prótons e 83 elétrons) e massa atômica 208,9 u.

Por ser dificilmente encontrado na natureza, esse elemento tem um valor elevado no mercado. Esse elemento possui muitas utilidades nas indústrias e até para o ser humano.

Mesmo  não sendo tóxico, é importante ter cuidado ao ter contato com o material desse elemento. Em caso de exposição crônica, o elemento e seus sais podem representar perigo como problemas nos rins.

Além disso, já foram registrados casos de envenenamento, e o bismuto pode ficar nos rins por muitos anos.

Propriedades físicas

É um metal macio, com densidade de 9,78 gramas por centímetro cúbico, ponto de fusão de 271°C e ponto de ebulição de 1560°C – 520°F e 2480°F respectivamente. Por seu ponto de fusão ser tão alto, faz com que ele seja facilmente derretido.

Na temperatura ambiente, é encontrado no estado sólido. Ele se expande quando muda do estado líquido para o sólido (solidificação).

É quebradiço e frágil, sendo necessário misturar com outros materiais para torná-lo útil.

Com aspecto prateado, tonalidade rosácea, coloração iridescente (arco-íris) e superfície brilhante. Ele não pode ser fabricado na temperatura ambiente.

É repelido por campos magnéticos mais fortes, por ser o metal mais diamagnético da tabela periódica. Ou seja, ao invés de ser atraído por imãs, ele foge.

Propriedades químicas

Na temperatura ambiente, o bismuto faz combinação lenta com o oxigênio. O óxido de bismuto (Bi2O3) que dá ao metal sua coloração amarelada. Em temperaturas mais altas, ele queima para se tornar o óxido de bismuto.

Além disso, o elemento químico faz reação com a maioria dos ácidos.

Características

Em ponto de fusão baixo, as ligas metálicas do “bi” com o estanho e o cádmio são usados em sodas, fusíveis elétricos, detectores de incêndio e extintores.

Além disso, seus compostos quando estão livres de chumbo podem ser usados em medicamentos (remédios contra a diarreia, dor de estômago e indigestão), cosméticos (sombras de olho, blush e tintas de cabelo) e procedimentos médicos.

Na natureza, a bismutinita (Bi2S3) e a bismita (Bi2O3) são os minerais mais importantes. O bismuto é capaz de fazer cristais brilhantes e muito bonitos. O colorido dos cristais é o resultado da reação do elemento químico com o oxigênio, que forma uma cobertura de óxido de bismuto.

Esse metal tem o mais alto efeito Hall entre os metais. Ou seja, quando colocado em um campo magnético há um aumento considerável da sua resistência elétrica. Assim como, por ter muita massa e pouco espaço, é denso, é um metal muito pesado.

China, Peru, Bolívia, México, Japão e Canadá são os maiores produtores, pois é encontrado em abundância na natureza, diferente do Brasil. É difícil encontrá-lo em território brasileiro, o que eleva seu valor comercial e limita a exploração.

Nos Estados Unidos (EUA), o bismuto é subproduto do processamento de minerais como o chumbo, mas também do cobre, ouro, estanho e prata.

Composto

  • Hidreto: Hidreto de bismuto (III) com fórmula química BiH3.
  • Fluoreto: Fluoreto de bismuto (III) é um composto da química inorgânica de fórmula BiF3. Presente na forma de pó, com coloração verde-esbranquiçada, com ponto de fusão 649°C.
  • Cloreto: Cloreto de bismuto (III) também composto inorgânico de fórmula química BiCl3. É um sal do cátion Bi3+. De acordo com a Teoria da repulsão dos pares de elétrons da camada de valência (VSEPR), em fase gasosa e no retículo cristalino, o cloreto de bismuto tem forma de geometria piramidal.
  • Brometo: Brometo de bismuto (III) composto inorgânico de fórmula química BiBr3. Produto da reação entre o óxido de bismuto e o ácido bromídrico.
  • Iodeto: Iodeto de bismuto (III) composto inorgânico de fórmula química BiL3. Formado pela reação do bismuto com o iodo. Ele é sólido na cor cinza escuro.

História do bismuto

Bismuto vem do alemão “weisse masse” que significa “massa branca”, e posteriormente do latim “wismuth” e “bisemutum”. Os primeiros registros do elementos datam da Idade Média, contudo era registrado como uma substância e não como um elemento.

Já foi confundido por muito tempo com o estanho e o chumbo, por causa das semelhanças entre eles. E em 1753, o francês químico Claude Geoffroy Junine demonstrou que o bismuto não era chumbo, e sim um novo elemento metálico.

Você sabia?

Na década de 1990, pesquisadores iniciaram estudos para avaliar a substituição de chumbo por bismuto nas produções de ligas.

Ligas que serão utilizadas em equipamentos para processamento de alimentos, encanamentos, pesos de anzóis de pesca, cerâmicas e esmaltes. Pois o chumbo é um elemento tóxico, diferente do bismuto.

Voltar

Questões