Resumo de Sociologia - Bebidas Alcoólicas

Saiba mais sobre essa droga legal

As bebidas alcoólicas são produzidas pela fermentação de açúcares presentes nas frutas, grãos ou caules, a exemplo da cana-de-açúcar. Elas atuam como drogas psicoativas e agem diretamente no sistema nervoso central, causando dependência física e até mesmo psíquica.  O consumo de bebidas alcoólicas é muito comum na maioria dos países. Por ser um droga legal, seu acesso é muito facilitado. Antigamente, quando o processo de destilação ainda era desconhecido, as bebidas, como o vinho e a cerveja, passavam só pela fermentação, que as mantinham com um teor de álcool mais baixo. 
Hoje em dia, com o aumento do teor de álcool, a bebida tem causado dependência, alterações de humor, mudanças comportamentais, depressão no sistema nervoso central, perda da coordenação motora e tantos outros efeitos. Para coibir o consumo, alguns países não permitem que crianças, jovens e adolescentes tenham acesso às bebidas alcoólicas. 
No Brasil, por exemplo, só é permitido consumir bebida alcoólica a partir dos 18 anos. Já nos Estados Unidos, o consumo só é permitido a partir dos 21 anos. O governo americano inclusive limita o acesso de jovens a bares ou lugares onde eles teriam acesso fácil às bebidas. Na prática a maioria das pessoas consomem seus primeiros “drinks” ainda na adolescência, que muitas vezes são comprados pelos próprios familiares.

Problemas causados pelo consumo de bebidas alcóolicas

A maioria dos problemas gerados pelo uso de bebidas acontece por causa dos excessos. Como as bebidas alcoólicas contêm um alto teor de álcool é preciso ter cuidado. Seu consumo excessivo pode deteriorar partes do cérebro que são responsáveis pelo reflexo, autocontrole, aprendizagem, memória. Por ser uma substância depressora ela ainda gera vários desconfortos como tonturas, vômitos, náuseas, sonolência, problemas na fala. 
Além disso, as pessoas que se tornam dependentes da bebida podem adquirir patologias graves. A esteatose, por exemplo, é muito comum entre os pacientes alcoólicos. A doença gera acúmulo de gordura no fígado, e o quadro pode evoluir para uma cirrose, que só pode ser solucionada por meio de transplante de fígado. A cirrose gera fortes dores no abdômen, desnutrição, inchaço na barriga, sangramentos, vômitos, pele amarelada. 
A dependência alcoólica também pode gerar miocardite, uma inflamação no músculo cardíaco, e também a pancreatite, uma inflamação no pâncreas. O paciente alcoólatra também pode causar diversas lesões no cérebro, nos nervos, comprometendo o tato e a memória, raciocínio lógico, concentração sofrer com impotência sexual e desenvolver vários tipos de câncer ou doenças senis, como o Alzheimer.
De um modo geral, o consumo excessivo de álcool representa um risco a toda a população, pois a dependência da bebida geralmente vem acompanhada de um comportamento violento, gerando um risco ao bem-estar de outras pessoas. Também não são raros os casos em que as pessoas acham que conseguem beber e em seguida dirigir um carro. Mesmo sabendo que a substância altera o reflexo e o controle, muitos continuam a insistir nesse comportamento, colocando em risco a vida de muitos. 

Sabe-se que mais de 2 milhões de pessoas morrem no mundo anualmente em decorrência do alcoolismo (de forma direta ou indireta), as bebidas alcoólicas também são responsáveis por mais de 30% das causas de lesões atendidas pelos hospitais.


Dependência alcoólica


Quem consome bebidas alcoólicas constantemente pode se sentir atraído pelas sensações que elas trazem, como a euforia, desinibição, alegria. Mas, aos poucos o corpo vai adquirindo tolerância ao álcool, e para que conseguir esses efeitos novamente é necessário aumentar a frequência das doses. Em um país de clima tropical, como o Brasil, o consumo de álcool é comum nas festas, aniversários, “happy hour”, em casa para acompanhar um jogo de futebol, e isso não torna a pessoa um dependente ou alcoólatra.


Uma pessoa viciada no consumo de álcool é um doente crônico, que bebe de forma incontrolável. Hoje, o alcoolismo é entendido como um problema de saúde pública e é tratado com muita seriedade, pois não afeta só o indivíduo mas todos ao seu redor, principalmente seus familiares. Não são raros os casos em que os dependentes se tornam violentos e agridem fisicamente seus filhos ou cônjuges, perdem o trabalho, adquirem problemas financeiros, psicológicos, como a ansiedade ou a depressão, e ainda dirigem embriagados, sendo responsáveis por vários acidentes de trânsito.

Voltar

Questões