Prefeitura Municipal de Arapongas - Guarda Municipal (FAFIPA - 2020) Questão 1

Infância


Meu pai montava a cavalo, ia para o campo.

Minha mãe ficava sentada cosendo.

Meu irmão pequeno dormia.

Eu sozinho menino entre mangueiras lia a história de Robinson Crusoé,

comprida história que não acaba mais.


No meio-dia branco de luz uma voz que aprendeu

a ninar nos longes da senzala – e nunca se esqueceu

chamava para o café.

Café preto que nem a preta velha

café gostoso

café bom.


Minha mãe ficava sentada cosendo

olhando para mim:

- Psiu... Não acorde o menino.

Para o berço onde pousou um mosquito.

E dava um suspiro... que fundo! 


Lá longe meu pai campeava

no mato sem fim da fazenda.


E eu não sabia que minha história

era mais bonita que a de Robinson Crusoé.


Carlos Drummond de Andrade. Antologia poética. Rio de Janeiro:Record,2000 p. 67





Analise as proposições sobre o texto e marque (V) para verdadeiro e (F) para falso:


( ) O eu lírico narra momentos frágeis da infância, e encontra semelhanças com a infância de Robinson Crusoé.

( ) Para o eu lírico, a recordação de uma cena da sua infância gera um momento de reflexão.

( ) No poema, o passado recebe o reconhecimento da sua importância no presente.

( ) O autor expõe as mazelas da infância monótona e infeliz do autor, através do seu modo simples de levar a vida.


A ordem CORRETA, de cima para baixo, é:



  • A F – F – V – F.
  • B V – F – F – V.
  • C V – V – F – F.
  • D F – V – V – F.
  • E V – F – V – V.

Encontre mais questões

Voltar