Questões da Prova do Centro de Informática e Automação do Estado de Santa Catarina (CIASC) - Advogado (FEPESE - 2017)

Limpar Busca

Assinale a alternativa correta, considerando o texto 1.

  • A O texto mescla elementos de autoajuda e de aconselhamento moral, o que se evidencia pelo uso de construções dogmáticas e incisivas, buscando sensibilizar e atrair o leitor.
  • B Trata-se de uma crônica que contrapõe o interesse pela aprendizagem da arte de falar ao desinteresse pela prática da escuta, refletindo sobre a importância desta última e a dificuldade que a envolve.
  • C Trata-se de um texto argumentativo e objetivo, caracterizado pela impessoalidade e fundamentado em argumentos de autoridade, com vistas a persuadir o leitor.
  • D Trata-se de um texto instrucional, o que se evidencia pelo uso de verbos no modo imperativo, típicos de manuais de instrução destinados ao público em geral.
  • E O texto é de natureza narrativa e apresenta uma sequenciação temporal e espacial de acontecimentos ambientados em cenário externo e interno.

Identifique abaixo as afirmativas verdadeiras ( V ) e as falsas ( F ), com base no texto 1.


( ) O título do texto pode ser considerado um neologismo, estabelecendo uma associação semântica com o termo “oratória”.

( ) Em “Todo mundo quer aprender a falar. Ninguém quer aprender a ouvir” (1° parágrafo), os termos sublinhados expressam sentidos totalizantes e opostos, com valores assertivo e negativo, respectivamente.

( ) A citação, no segundo parágrafo, deveria ser precedida do sinal de dois-pontos depois de “que”, em conformidade com a norma culta da língua escrita, de forma a indicar claramente que se trata de discurso direto.

( ) O uso de expressões em primeira pessoa do singular e do plural confere um efeito dialógico ao texto, criando uma aproximação com o leitor.

( ) O uso de citações e paráfrases no decorrer do texto prejudica a argumentação, pois quebra a objetividade construída através do relato de fatos cotidianos.


Assinale a alternativa que indica a sequência correta, de cima para baixo.

  • A V • V • F • V • F
  • B V • V • F • F • V
  • C V • F • V • V • F
  • D F • V • V • F • F
  • E F • F • F • V • V

Analise as afirmativas abaixo, considerando-as em relação ao texto 1.


1. O autor alterna as formas “nós” e “a gente” para se referir à primeira pessoa do plural, evidenciando não só um uso variável de formas pronominais mas também traços de informalidade no texto.

2. No terceiro parágrafo, o sinal de dois-pontos depois de Alberto Caeiro e de Murilo Mendes introduz a fala direta dessas duas pessoas, respectivamente.

3. Em “Daí a dificuldade […]” (3° parágrafo), a palavra sublinhada funciona como conector que introduz uma informação decorrente do que foi dito anteriormente, podendo ser substituída por “Donde”, sem prejuízo de significado.

4. Em “sem misturar o que ele diz […]. Como se aquilo que ele diz” (3°parágrafo), o referente do pronome sublinhado nas duas ocorrências é definido, sendo o indivíduo identificado no contexto precedente.

5. Em “As árvores e as flores entram. Mas – coitadinhas delas – entram e caem num mar de ideias.” (2° parágrafo) e “No fundo do mar – quem faz mergulho sabe – a boca fica fechada.” (4° parágrafo), os segmentos entre travessões são comentários do autor que, se retirados, não alteram as relações sintáticas entre os demais constituintes das frases.


Assinale a alternativa que indica todas as afirmativas corretas.

  • A São corretas apenas as afirmativas 1 e 3.
  • B São corretas apenas as afirmativas 4 e 5.
  • C São corretas apenas as afirmativas 1, 2 e 5.
  • D São corretas apenas as afirmativas 1, 3 e 5.
  • E São corretas apenas as afirmativas 2, 3 e 4.

Identifique abaixo as afirmativas verdadeiras ( V ) e as falsas ( F ) considerando o trecho abaixo extraído do 1° parágrafo do texto 1.


Sempre vejo anunciados cursos de oratória. Nunca vi anunciado curso de escutatória. Todo mundo quer aprender a falar. Ninguém quer aprender a ouvir. Pensei em oferecer um curso de escutatória. Mas acho que ninguém vai se matricular.


( ) As frases estabelecem, em sequência de duas a duas (a primeira com a segunda, a terceira com a quarta, a quinta com a sexta) relação semântica de contraste ou adversidade.

( ) Nas duas primeiras frases, os termos “cursos de oratória” e “curso de escutatória” estão no plural e no singular, porque devem concordar, respectivamente, com o adjetivo anteposto, que é o termo regente.

( ) Nas frases, os tempos verbais remetem a situações presentes, passadas e futuras.

( ) As duas últimas frases podem ser reescritas como “Pensei em oferecer um curso de escutatória; acho, contudo, que ninguém vai se matricular.”, sem prejuízo de significado e sem ferir a norma culta da língua escrita.

( ) Os sujeitos das frases se alternam entre a primeira pessoa do singular e a terceira pessoa do plural.


Assinale a alternativa que indica a sequência correta, de cima para baixo

  • A V • V • V • F • V
  • B V • V • F • F • F
  • C V • F • V • V • F
  • D F • F • V • F • F
  • E F • F • F • V • V

Considere o trecho abaixo extraído do 4° parágrafo do texto 1:


grupos religiosos cuja liturgia consiste de silêncio. Não basta o silêncio de fora. É preciso silêncio dentro. Ausência de pensamentos. E , quando se faz o silêncio dentro, a gente começa a ouvir coisas que não ouvia. Fernando Pessoa conhecia a experiência, e se referia a algo que se ouve nos interstícios das palavras, no lugar onde não palavras. É música, melodia que não havia e que quando ouvida nos faz chorar.


Assinale a alternativa correta em relação ao trecho.

  • A A palavra “interstícios” pode ser substituída por “sons”, sem prejuízo de significado no texto.
  • B O vocábulo “se”, nas três ocorrências sublinhadas, funciona como índice de indeterminação do sujeito.
  • C O verbo haver tem valor existencial nas três ocorrências sublinhadas, podendo ser substituído, respectivamente, por “Existe”, “existe” e “existia”, sem ferir a norma culta da língua escrita.
  • D As palavras sublinhadas em “cuja liturgia”, “que não ouvia” e “onde não há” são pronomes relativos que podem ser substituídos, respectivamente, por “os quais”, “as quais” e “aonde”, sem ferir a norma culta da língua escrita.
  • E Em “E ”, o elemento sublinhado funciona como conector que encadeia informações, tendo um papel similar ao do elemento sublinhado em “ a gente que não é cego abre os olhos.” (2° parágrafo).