Questões de Gestão de Saúde e Administração Hospitalar

Limpar Busca

Gestão em saúde é o campo relacionado à liderança, ao gerenciamento e à administração de unidades de saúde, laboratórios, hospitais e redes hospitalares e sistemas públicos de saúde. Acerca da gestão em saúde, assinale a opção correta.

  • A O foco da gestão em saúde são questões financeiras e administrativas, de modo que seu processo de trabalho não contempla a atenção ao paciente.
  • B A tecnologia dificulta a implementação de processos de inovação nesse tipo de gestão.
  • C Na perspectiva restrita das teorias administrativas, não é considerado possível nem adequado ampliar e democratizar a gestão em saúde.
  • D Os trabalhos de gestão em saúde giram em torno do gerenciamento de recursos, com vistas a atingir os melhores resultados dentro dos estabelecimentos de saúde.
  • E A gestão em saúde é direcionada ao processo voltado para a manutenção das estratégias tradicionais, com o objetivo de que estas operem de forma eficiente.

A priorização de problemas ocorre quando os atores são envolvidos para resolver uma determinada situação de saúde para discutir e selecionar questões relevantes para a comunidade. Um dos aspectos a ser considerado é a factibilidade que consiste:

  • A No número de pessoas e na frequência com que o problema atinge uma determinada área ou população.
  • B Na representação do grau de interesse que as pessoas do bairro ou da comunidade têm em solucionar o problema.
  • C Na disponibilidade de recursos materiais, humanos, físicos, financeiros e político para resolvê-lo.
  • D No grau de fragilidade que este tem quando se desenvolvem as intervenções possíveis com a tecnologia disponível.
  • E No alto grau de risco aos envolvidos.

Na avaliação em saúde na análise de vantagens e custos, utilizamos o termo efetividade, que consiste:

  • A Na relação entre o custo e o benefício de determinada ação, programa ou projeto.
  • B Em ações planificadas, considerando uma situação ideal de atuação.
  • C Na mudança, transformação de uma situação.
  • D Em ações para não desperdiçar recursos.
  • E Em planificar fazer mais com menos recursos.

O emprego de protocolos para a classificação de risco dos pacientes que procuram os serviços de urgência e de emergência é uma forma racional e estruturada para proporcionar maior qualidade e agilidade no atendimento e para priorizar o atendimento daqueles pacientes mais graves. No Brasil, o Protocolo de Manchester é bastante utilizado por serviços de urgência e de emergência. Sobre esse Protocolo, assinalar a alternativa CORRETA:

  • A Caracteriza-se por cinco níveis de classificação de risco, com atribuição de uma cor para cada nível e de uma faixa de tempo para a efetivação do atendimento de cada nível: Emergente (vermelho); Muito Urgente (laranja); Urgente (amarelo); Pouco Urgente (verde); e Não Urgente (azul).
  • B Sua execução deve ser feita por um profissional Médico.
  • C Caracteriza-se por quatro níveis de classificação de risco, com atribuição de uma cor para cada nível e de uma faixa de tempo para a efetivação do atendimento de cada nível: Muito Urgente (vermelho); Urgente (laranja); Emergente (amarelo); e Pouco Urgente (verde).
  • D Seu emprego não evita a superlotação dos serviços de saúde nem altera aspectos no âmbito da gestão de recursos humanos, físicos e financeiros.
  • E A experiência acumulada dos serviços de saúde que empregaram o Protocolo, mostrou que sua metodologia pouco alterou a rotina de atendimento dos serviços de saúde.

A mensuração do tempo médio de permanência dos pacientes admitidos na unidade de emergência do hospital, considerando o tempo a partir da chegada até o término do atendimento na emergência, é um importante indicador hospitalar, pois pode fornecer informações importantes nos campos da assistência à saúde e da gestão. Sobre o indicador que mede o tempo médio de permanência de pacientes na emergência do hospital, assinalar a alternativa CORRETA:

  • A Um tempo médio alto de permanência é o mais desejável. Presume-se que o paciente recebeu um atendimento de qualidade e que teve ao seu dispor todos os recursos necessários por mais tempo.
  • B Deve-se considerar alta, desistência, internação ou óbito, com o fechamento do boletim de emergência, como o momento de término do atendimento na emergência do hospital.
  • C O cálculo do indicador se dá pela divisão do total de pacientes que buscaram atendimento na unidade pelo total de tempo da entrada dos pacientes na emergência até o término dos atendimentos.
  • D O indicador que mede o tempo médio de permanência de pacientes na emergência do hospital reflete a efetividade da instituição hospitalar.
  • E Um potencial viés do indicador é o momento de registro da chegada dos pacientes, o qual pode variar de acordo com cada instituição.