Questões de Fisioterapia

Limpar Busca

A gravidez gera profundas modificações anatômicas, fisiológicas e biomecânicas para suportar o desenvolvimento e o crescimento fetais, sendo que as adaptações do organismo materno se iniciam logo após a fertilização e continuam ao longo da gravidez. Além disso, a compreensão das adaptações maternas é relevante para que o fisioterapeuta compreenda o impacto nos cuidados às gestantes e o auxiliará a traçar a melhor conduta terapêutica. Analise as afirmativas a respeito das intercorrências musculoesqueléticas na gravidez e assinale a alternativa correta.


I. No decorrer da gravidez, a postura da gestante sofre grandes modificações e as regiões cervical e torácica também são acometidas, tendo que se ajustar ao aumento de volume das mamas e ao deslocamento do centro de gravidade ocasionado pela expansão uterina. Na região torácica, observam-se diminuição da cifose e protrusão dos ombros, enquanto na coluna cervical há aumento da lordose fisiológica, retificação da cabeça e sobrecarga nos músculos anteriores dessa região, para fixar a cabeça e manter o reflexo de endireitamento óptico, o trapézio e os músculos superiores e mediais da região cervical podem estar sensíveis ou em espasmo, e os movimentos de rotação, flexão e extensão da região cervical, restritos.

II. A diminuição da circulação dos hormônios progesterona, estrogênio e relaxina, que acontece durante a gestação, resulta em retenção hídrica, hipermobilidade pélvica e comprometimento de outras estruturas que alteram a estabilidade da coluna vertebral. A expansão uterina traciona a base sacral provocando inclinação anterior da pelve e flexão do quadril, e essa modificação do eixo pélvico causa retificação lombar, que acarreta aumento da atividade do músculo iliopsoas e sobrecarga no músculo transverso abdominal.

III. A lordose lombar aumenta, em média, 5 a 9°, e a inclinação anterior da pelve, 4°, e na deambulação há um mecanismo de proteção para esta região, a coluna torácica aumenta a rotação para evitar a sobrecarga excessiva da coluna lombar e da articulação sacroilíaca, o músculo piriforme também fica em contração para manter a rotação externa da coxa, o que ocasiona diminuição do balanço do quadril na marcha da gestante.

IV. A disfunção da articulação sacroilíaca trata-se de uma das principais determinantes da fisiopatologia das algias na região inferior da coluna vertebral e na cintura pélvica nas gestantes. Sendo que o relaxamento ligamentar e estrutural, produzido pelos hormônios, pode facilitar o movimento repetitivo em uma ou ambas as articulações, esse movimento resulta no desgaste das superfícies articulares deixando-as desiguais, o atrito promovido pela irregularidade dessas superfícies pode dificultar o movimento, bloquear a articulação e resultar em um quadro doloroso e, concomitantemente, o lado oposto da articulação também fica sobrecarregado, pois tem de estabilizar a pelve.

V. A disfunção patelar pode ocorrer pois o aumento de peso na gravidez, a rotação interna do fêmur e a abertura pélvica, associados aos efeitos hormonais, geralmente resultam em instabilidade nas articulações dos joelhos, pode haver elevação do movimento lateral patelar durante a flexão e a extensão dos joelhos, e a gestante pode referir dor, principalmente ao subir e descer escadas ou ao se sentar por períodos longos com os joelhos hiperflexionados.

  • A Apenas III, IV e V estão corretas.
  • B Apenas I e II estão corretas.
  • C Apenas II e IV estão corretas.
  • D Todas estão corretas.

Conhecida como joelho de corredor, um problema comum entre os maratonistas, a sobrecarga no joelho pode ocorrer em esportes que incluem corrida, como o basquete. A sensibilidade e a dor ao redor da patela, ou sob ela, resultam do desequilíbrio do músculo quadríceps. Também pode ser causada por um golpe na patela ou flexão extrema do joelho, por exemplo, durante o agachamento ao levantar peso. A situação clínica descrita no texto acima se aplica a qual patologia?

  • A Condromalácia patelar.
  • B Ruptura do ligamento cruzado anterior.
  • C Bursite pré-patelar.
  • D Tendinite do quadríceps.
  • E Ruptura do menisco medial.

Informe se é verdadeiro (V) ou falso (F) para o que se afirma sobre os volumes e capacidades pulmonares e assinale a alternativa que apresenta a sequência correta.


( ) O volume corrente é a quantidade de ar que entra e sai dos pulmões durante a respiração normal, nas fases inspiratória e expiratória, respectivamente.

( ) No início da fase expiratória, nos ciclos respiratórios tranquilos, uma determinada quantidade de ar permanece nos pulmões, sendo referida como capacidade residual funcional (CRF), esta capacidade, por sua vez, representa o ponto de equilíbrio do sistema respiratório, cujo volume é mantido pelas forças de recolhimento elástico dos pulmões e pela caixa torácica, que atuam no mesmo sentido enquanto não há contração dos músculos respiratórios.

( ) O volume de reserva expiratório (VRE) é o volume adicional de ar que pode ser expirado a partir da CRF, já o volume residual (VR) é o volume de ar que permanece nos pulmões ao final da expiração máxima, portanto a soma desses dois volumes corresponde a capacidade residual funcional (CRF).

( ) O volume de reserva inspiratório (VRI) é a diferença entre o final da inspiração tranquila e o final da inspiração máxima e, como o término das fases inspiratórias em respirações tranquilas é muito variável, a capacidade inspiratória (CI) é uma medida mais fidedigna, pois corresponde à soma do volume corrente com o VRI.

( ) A capacidade vital (CV) é o menor volume de ar expirado a partir de uma inspiração máxima, já a capacidade pulmonar total (CPT) é a quantidade de ar encontrada nos pulmões ao final dessa expiração e consiste na soma da CV com o volume de reserva inspiratório.

  • A V – V – F – F – F.
  • B F – V – F – F – V.
  • C V – F – V– V – F.
  • D F – F – V – V – V.

A ação muscular que desencadeia o ciclo da marcha exige a participação integrada de vários músculos, cada um executando sua ação, ora como agonistas ora como antagonistas dos movimentos necessários para que o aparelho locomotor trabalhe fisiologicamente. Para uma adequada reabilitação da marcha, devemos analisar a função (principal ação) de cada músculo dos membros inferiores. Após analisar as alternativas abaixo e identificar a relação das informações contidas em cada uma delas, marque a que apresenta as informações corretas.

  • A O músculo glúteo máximo aduz e roda medialmente a coxa, mantém o nível da pelve, quando o membro ipsilateral está sustentando o peso, e o lado oposto avança durante a fase de balanço da marcha.
  • B O músculo extensor longo do Hálux trabalha em ação conjunta com o fibular longo na realização da extensão do Hálux, dorsiflexão e fraca eversão do tornozelo, no momento de impulso na marcha.
  • C O músculo gastrocnêmio realiza a flexão plantar do tornozelo independentemente da posição do joelho e estabiliza a perna sobre o pé na fase de apoio.
  • D O músculo tibial posterior flete os quatro dedos laterais, faz a flexão plantar do tornozelo e sustenta os arcos longitudinais do pé.
  • E O músculo bíceps femoral flete a perna e roda-a lateralmente quando o joelho está fletido; estende a coxa ao iniciar a marcha.

Os músculos dos membros inferiores são maiores e mais potentes quando comparados com os músculos dos membros superiores. O conjunto de músculos do membro inferior pode ser dividido em três grupos: músculos que movimentam a coxa, músculos que movimentam a perna e músculos que movimentam o pé e os dedos. Relacione as colunas dos músculos dos membros inferiores indicados abaixo com suas principais funções e assinale a alternativa que apresenta a sequência correta.


1. Promove a dorsiflexão do tornozelo e a eversão do pé.

2. Promove a flexão plantar do tornozelo.

3. Estende a coxa, auxilia em sua rotação lateral, estabiliza a coxa e auxilia no “levantar” a partir da posição sentada.

4. Realiza adução da coxa e flexão da perna, além de auxiliar a rotação medial da perna.

5. Promove a flexão plantar do tornozelo e a inversão do pé.


A. Glúteo máximo.

B. Tibial posterior.

C. Fibular terceiro.

D. Sóleo.

E. Grácil.

  • A 1B - 2E - 3D - 4A - 5C.
  • B 1C - 2D - 3A - 4E - 5B.
  • C 1E - 2A - 3B - 4C - 5D.
  • D 1A - 2B - 3C - 4D - 5E.