Questões da Prova do Tribunal de Justiça do Estado do Pará (TJ-PA) - Analista Judiciário - Oficial de Justiça (2009)

Limpar Busca

Os dois casos de emprego de reticências, no primeiro parágrafo, têm em comum o fato de servirem a um enunciado

  • A independente e sem consecução lógica.
  • B cuja intenção é expressar uma ironia.
  • C que ratifica a afirmação imediatamente anterior.
  • D sem conexão lógica com a afirmação anterior.
  • E que conclui a lógica da argumentação em curso.

Está clara e correta esta nova redação de uma frase do texto:

  • A Ela atribuía o sentido da velha frase ao propósito de refrear nossos atos de fraglante indisciplina.
  • B Ao ouvir aquela frase, que nunca mais me esqueci, soava-me a um só tempo tão justa quanto antipática.
  • C O que essa frase me causa espécie está na pressuposição de haver nela uma justa distribuição dos espaços de liberdade.
  • D Afirmo, sem tergiversar: custa-me crer que disponhamos todos dos mesmos meios para preservar nossa liberdade.
  • E Com vistas ao controle de nossos ímpetos, ela se propunha debelar-se contra o nosso insipiente anarquismo.

No contexto, estabelecem entre si uma oposição de sentido os seguintes segmentos:

  • A prezar limites e demarcava seu espaço.
  • B aspiração de um ideal e efetivas práticas sociais.
  • C energia desbordante e expansão do nosso território anárquico.
  • D não costumam prezar limites e território anárquico.
  • E limites da liberdade e crucial desafio da civilização.

O verbo indicado entre parênteses deverá flexionar-se no plural para preencher corretamente a lacuna da frase:

  • A ...... (costumar) seguir os nossos atos de indisciplina a invocação das sábias palavras daquela velha frase.
  • B Entre os adolescentes não ...... (ser) de hábito respeitar os limites da liberdade individual.
  • C A ninguém da classe ...... (deixar) de tocar, naquela época, seus alertas contra o nosso anarquismo.
  • D Nas aulas em que ...... (caber) invocá-las, a professora repetia as palavras daquele velho ditado.
  • E Um desafio que aos homens sempre se ...... (impor), em razão dos seus impulsos egoístas, está em respeitar o espaço alheio.

É preciso corrigir, por incoerente, a redação da seguinte frase:

  • A A menos que se considere a realidade prática, nos ideais buscamos projetar os valores que a aperfeiçoariam.
  • B Aquela frase sempre me pareceu perturbadora, conquanto tenham variado as razões para assim considerá-la.
  • C Ainda que se considerem naturais certos impulsos egoístas, há que combatê-los e tentar superá-los.
  • D Malgrado a tendência anárquica dos jovens, muitos se mostram receptivos à máxima que postula limites para a liberdade.
  • E A par das lições de História, a professora nos ministrava as de conduta, que acabaram por se revelar as mais duradouras.