Questões da Prova da Procuradoria Geral do Estado da Bahia (PGE-BA) - Analista de Procuradoria - Área de Apoio Calculista (2013)

Limpar Busca

Considere como verdadeiras as seguintes afirmações: “Algum pândego é trôpego.” “Todo pândego é nefelibata.” Deste modo, a assertiva necessariamente verdadeira é:

  • A Todo pândego trôpego não é nefelibata.
  • B Algum pândego trôpego não é nefelibata.
  • C Algum pândego é nefelibata.
  • D Todo pândego nefelibata é trôpego.
  • E Algum pândego que não é trôpego não é nefelibata.

Nas contravenções penais resultantes de preconceito de raça, de cor, de sexo ou de estado civil, previstas na Lei Federal no 7.437/1985, são penas prevalentes:

  • A Multa e prestação de serviços comunitários.
  • B Prisão especial e simples.
  • C Prisão simples e multa.
  • D Cesta básica e indenização à vítima.
  • E Fiança e prisão domiciliar.

Há uma forma de raciocínio dedutivo chamado silogismo. Nesta espécie de raciocínio, será formalmente válido o argumento cuja conclusão é consequência que necessariamente deriva das premissas. Neste sentido, corresponde a um silogismo válido:

  • A Premissa 1: Todo maceronte gosta de comer fubá.
    Premissa 2: As selenitas gostam de fubá.
    Conclusão: As selenitas são macerontes.
  • B Premissa 1: Todo maceronte gosta de comer fubá.
    Premissa 2: Todo maceronte tem asas.
    Conclusão: Todos que têm asas gostam de comer fubá.
  • C Premissa 1: Nenhum X é Y.
    Premissa 2: Algum X é Z
    Conclusão: Algum Z não é Y.
  • D Premissa 1: Todo X é Y.
    Premissa 2: Algum Z é Y.
    Conclusão: Algum Z é X.
  • E Premissa 1: Capitu é mortal.
    Premissa 2: Nenhuma mulher é imortal.
    Conclusão: Capitu é mulher.

A oposição é a espécie de inferência imediata pela qual é possível concluir uma proposição por meio de outra proposição dada, com a observância do princípio de não contradição. Neste sentido, que poderá inferir - se da verdade, falsidade ou indeterminação das proposições referidas na sequência abaixo se supusermos que a primeira é verdadeira? E se supusermos que a primeira é falsa?

1ª - Todos os comediantes que fazem sucesso são engraçados.

2ª - Nenhum comediante que faz sucesso é engraçado.

3ª - Alguns comediantes que fazem sucesso são engraçados.

4ª - Alguns comediantes que fazem sucesso não são engraçados.

  • A Se a 1ª é verdadeira, a 2ª é falsa, a 3ª é falsa e a 4ª é verdadeira. Se a 1ª é falsa, a 2ª é verdadeira, a 3ª e a 4ª são indeterminadas ( tanto podem ser verdadeiras quanto falsas ).
  • B Se a 1ª é verdadeira, a 2ª é falsa, a 3ª é falsa e a 4ª é verdadeira. Se a 1ª é falsa, a 2ª é verdadeira, a 3ª e a 4ª são verdadeiras.
  • C Se a 1aª é verdadeira, a 2ª é verdadeira, a 3ª é verdadeira e a 4ª é falsa. Se a 1ª é falsa, a 2ª é falsa, a 3ª e a 4ª são falsas.
  • D Se a 1ª é verdadeira, a 2ª é falsa, a 3ª é verdadeira e a 4ª é falsa. Se a 1ª é falsa, a 2ª é falsa, a 3ª e a 4ª são indeterminadas ( tanto podem ser verdadeiras quanto falsas ).
  • E Se a 1ª é verdadeira, a 2ª é falsa, a 3ª é verdadeira e a 4ª é falsa. Se a 1ª é falsa, a 2ª e a 3ª são indeterminadas ( tanto podem ser verdadeiras quanto falsas ) e a 4ª é verdadeira.

Em uma feira, todas as barracas que vendem batata vendem tomate, mas nenhuma barraca que vende tomate vende espinafre. Todas as barracas que vendem cenoura vendem quiabo, e algumas que vendem quiabo, vendem espinafre. Como nenhuma barraca que vende quiabo vende tomate, e como nenhuma barraca que vende cenoura vende espinafre, então,

  • A todas as barracas que vendem quiabo vendem cenoura.
  • B pelo menos uma barraca que vende batata vende espinafre.
  • C todas as barracas que vendem quiabo vendem batata.
  • D pelo menos uma barraca que vende cenoura vende tomate.
  • E nenhuma barraca que vende cenoura vende batata.