Questões da Prova da Fundação Municipal de Assistência à Saúde dos Servidores de São Gonçalo (FUNASG) - Advogado (2015)

Limpar Busca

Sobre o texto analise as afirmativas a seguir.

I. A tragédia alheia pode tocar as pessoas de muitos modos, e confirma-se a motivação pessoal da compaixão.
II. Há uma reformulação do pensamento, oposta à ideia de que a compaixão é um ato altruísta de esquecimento de simesmo.
III. As motivações pessoais da compaixão impossibilitam a crítica social.

Está(ão) correta(s) a(s) afirmativa(s):

  • A I, somente.
  • B II, somente.
  • C III, somente.
  • D I e II, somente.
  • E I, II e III.

Otexto de FriedrichNietzsche faz uma crítica à:

  • A ideia de compaixão aceita pelo senso comum.
  • B impotência e covardia dos que sofrem.
  • C verdade de que somente o consciente pensa em si mesmo.
  • D confusão gerada pelos sentimentos de covardia, honra e percepção do perigo.
  • E diminuição do bomsenso nas atitudes altruístas.

No trecho “...EMBORA não tenhamos por ele qualquer simpatia particular?” a palavra em destaque expressa, no contexto, o sentido de:

  • A consequência.
  • B conclusão.
  • C concessão.
  • D explicação.
  • E causa.

Analise as afirmativas a seguir sobre o fragmento: “O acidente do outro nos toca e faria sentir nossa impotência...”

I. NOS e NOSSA são pronomes adjetivos.
II. Os verbos tocar e fazer estão flexionados no presente do indicativo e no futuro do pretérito, respectivamente.
III. A palavra OUTRO, no contexto, é um substantivo.

Está(ão) correta(s) somente a(s) afirmativa(s):

  • A I.
  • B II.
  • C III.
  • D I e III.
  • E II e III.

Conforme as regras de colocação e uso dos pronomes, a reescrita da frase “... por que saltamos à água para socorrer ALGUÉM”, substituindo a palavra em destaque por um pronome oblíquo átono, seria:

  • A por que saltamos à água para socorrer-lhe.
  • B por que saltamos à água para socorrê-lo.
  • C por que saltamos à água para lhe socorrer.
  • D por que saltamos à água para socorrer-nos.
  • E por que saltamos à água para socorrer-no.