Questões de Fundamentos da História : Tempo, Memória e Cultura (História)

Limpar Busca

Considere o trecho a seguir.


"As novas articulações entre tempo e trabalho devem ser consideradas nas vivências sociais do historiador do presente. Este deve ter consigo o entendimento de que o conhecimento ou a análise da História têm como base sua própria época, de forma que, ao dialogar com o passado, ele contemple os embates e as contradições que são próprias do seu presente."


Fonte: COELHO, J. P. P.; MELO. J. J. P. O ofício do historiador: reflexões sobre o conceito de passado e suas dimensões sociais e históricas. História e Perspectivas , Uberlândia (57): 209-232, jul./dez. 2017, p. 211.


Em outros termos, o autor do trecho acima entende que a pesquisa histórica:

  • A Não pode se desenvolver alheia às práticas, problemáticas e vivências sociais cotidianas dos homens e mulheres.
  • B Precisa abordar questões políticas em detrimento de questões sociais e culturais.
  • C Perpassa os debates sobre identidade e memória.
  • D Precisa resolver problemáticas que tenham relevância apenas no passado.

Consideremos a seguinte situação:


Um professor de História leva para a sala de aula do 6º ano do Ensino Fundamental imagens de bigas e quadrigas romanas. Durante a explicação, um aluno intervém afirmando que acreditava que, durante esse período, já houvessem carros motorizados.


O modelo de pensamento do estudante pode ser entendido como:

  • A Sincrônico.
  • B Anacrônico.
  • C Diacrônico.
  • D Simulacro.

Leia o excerto a seguir, do historiador Jacques Le Goff, sobre o conceito de memória:
A memória é um elemento essencial do que se costuma chamar identidade, individual ou coletiva, cuja busca é uma das atividades fundamentais dos indivíduos e das sociedades de hoje [...]. Mas a memória coletiva é não somente uma conquista, é também um instrumento e um objeto de poder.
(LE GOFF, J. História e Memória. Campinas: Editora da Unicamp, 5. ed., 2003, p. 469-470.)
A partir dos conhecimentos sobre a Idade Moderna e a Idade Contemporânea, considere as seguintes afirmativas:
1. Em 2020, várias estátuas de Cristóvão Colombo foram derrubadas para se protestar contra o genocídio de povos americanos nativos. 2. A obrigatoriedade do ensino da história e da cultura afro-brasileira e indígena objetiva valorizar a atuação de grupos e indivíduos marginalizados na história e na memória do nosso país. 3. Após a morte de Lênin (1924), Stálin coordenou o silenciamento da memória e das representações de Lênin nos países soviéticos. 4. No projeto “Brasil: Nunca Mais”, a memória das torturas dos presos políticos no período do Estado Novo foi recuperada.
Assinale a alternativa correta.

  • A Somente a afirmativa 3 é verdadeira.
  • B Somente as afirmativas 1 e 2 são verdadeiras.
  • C Somente as afirmativas 2 e 4 são verdadeiras.
  • D Somente as afirmativas 1, 3 e 4 são verdadeiras.
  • E As afirmativas 1, 2, 3 e 4 são verdadeiras.

O tempo – e suas distintas temporalidades – tem sido apropriado e mobilizado de diferentes maneiras pela ciência histórica. Os usos do passado, apropriados no presente pela História e seu ensino, têm se modificado substancialmente em diferentes sentidos e direções. Diferentes estratégias de pesquisa e ensino têm mobilizado distintos vestígios das experiências temporais como metodologias de estudo e/ou objeto de trabalho.
(CAVALCANTE, Erinaldo. História e História Local: desafios, limites e possibilidades. Revista História hoje, v. 7 nº 13. 2018.)
De acordo com a citação acima, a referência é feita a metodologias utilizadas no ensino de História para uma consciência histórica da nossa realidade. Em relação às novas metodologias, podemos dizer que

  • A mesmo com possibilidades de trabalhos com fontes, o ensino de história continua muito preso ao livro didático que não permite um uso de outros objetos de estudos, como patrimônio cultural.
  • B a nova concepção de tempo permitiu ao professor uma gama de possibilidades de outros objetos de estudo, como História e Literatura, História Local, História e patrimônio.
  • C o uso do passado na leitura do presente só permite ao professor explorar temas políticos e econômicos dentro da realidade de cada comunidade, tendo o livro didático como fonte principal.
  • D mesmo com a abertura para novos objetos de estudo, o livro didático ainda é a fonte mais utilizada pelos professores por conter todos os elementos desses novos objetos de estudo.

Ao longo do século XX, a ciência histórica passou por várias transformações conceituais na quais se desenvolveram os novos métodos de pensar, a escrita e o ensino de História. Os diferentes olhares permitiram que os estudos se abrissem para outras camadas sociais, e os objetos de estudo e as fontes foram ampliados para dar conta de uma leitura da realidade mais próxima das camadas sociais como um todo. Estamos nos referindo ao Método

  • A Marxista.
  • B Escola dos Annales.
  • C Micro-História.
  • D História Social.