Questões de Filosofia e a Grécia Antiga (Filosofia)

Limpar Busca

Vemos que toda cidade é uma espécie de comunidade, e toda comunidade se forma com vistas a algum bem, pois todas as ações de todos os homens são praticadas com vistas ao que lhe parece um bem; todas as comunidades visam algum bem, é evidente que a mais importante de todas elas e que inclui todas as outras tem mais que todas este objetivo e visa ao mais importante de todos os bens.
No fragmento, Aristóteles promove uma reflexão que associa dois elementos essenciais à discussão sobre a vida em comunidade, a saber:

  • A Ética e política, pois conduzem à eudaimonia.
  • B Retórica e linguagem, pois cuidam dos discursos na ágora.
  • C Metafísica e ontologia, pois tratam da filosofia primeira.
  • D Democracia e sociedade, pois se referem a relações sociais.
  • E Geração e corrupção, pois abarcam o campo da physis.

Pensando a physis, o filósofo pré-socrático pensa o ser, e a partir da physis pode então aceder a uma compreensão da totalidade do real: do cosmos, dos deuses e das coisas particulares, do homem e da verdade, do movimento e da mudança, do animado e do inanimado, do comportamento humano e da sabedoria, da política e da justiça. G. Borhein. Os filósofos pré-socráticos. São Paulo: Cultrix. 1998.
Essa característica leva as escolas pré-socráticas a serem também denominadas escolas de

  • A cosmologia ou de física.
  • B mitologia ou de física.
  • C teologia ou de mitologia.
  • D cosmologia ou de teologia.
  • E cosmogonia ou de teologia.

As relações das filosofias de Sócrates e Platão com Protágoras caracterizam-se por

  • A filiação e continuidade
  • B veneração e descontinuidade.
  • C veneração e crítica..
  • D crítica e superação.
  • E filiação e superação.

— Não tens vergonha nenhuma, Sócrates, e interpreta as coisas de maneira a desvirtuares o meu argumento. — De modo algum, meu excelente amigo. Mas explica mais claramente o que queres dizer. — Pelo visto não sabes – prosseguiu ele – que, dentre os Estados, há os que vivem sob o regime da monarquia, outros da democracia, e outros da aristocracia? — Como não havia de sabê-lo? — Ora, em cada Estado, não é o governo que detém a força? — Exatamente. — Certamente que cada governo estabelece as leis de acordo com sua conveniência: a democracia, leis democráticas; a monarquia, monárquicas; e os outros, da mesma maneira. Uma vez promulgadas essas leis, fazem saber que é justo para os governos aquilo que lhes convém, e castigam os transgressores, a título de que violaram a lei e cometeram uma injustiça. Aqui tens, meu excelente amigo, aquilo que eu quero dizer, ao afirmar que há um só modelo de justiça em todos os Estados – o que convém aos poderes constituídos. Ora estes é que detêm a força. De onde resulta, para quem pensar corretamente, que a justiça é a mesma em toda a parte: a conveniência do mais forte.
Platão. A República
Do embate entre Trasímaco e Sócrates é possível constatar que as teses de Trasímaco sobre a justiça

  • A coincidem com as de Platão.
  • B foram adotadas por Aristóteles.
  • C vinculam-se ao período pré-socrático.
  • D distinguem-se das de Platão.
  • E derivam das de Platão.

A concepção política de Platão é basicamente

  • A realista.
  • B pessimista.
  • C idealista.
  • D fatalista,
  • E otimista.