Questões de Diabetes Mellitus (Enfermagem)

Limpar Busca

O diabetes mellitustipo 1 pode ser complicado pela instabilidade e cetoacidose diabética. A cetoacidose diabética é uma emergência que ameaça a vida, causada por uma deficiência relativa ou absoluta de insulina. Sobre os cuidados de enfermagem para essa complicação, é CORRETO afirmar:

  • A Para restabelecer o controle hídrico/eletrolítico, é necessário monitorar os sinais vitais; avaliar os pulsos periféricos; enchimento capilar; turgor cutâneo e membranas das mucosas; monitorar o balanço hídrico e observar a densidade urinária; pesar diariamente; investigar mudanças no estado mental.
  • B Para restabelecer o controle hídrico/eletrolítico, é necessário observar informes de dor abdominal; náusea; vômito do alimento não digerido e manter jejum indicado; oferecer líquidos contendo nutrientes e eletrólitos orais conforme tolerância; observar sinais de hipoglicemia; realizar o hemoglicoteste.
  • C Para restabelecer o controle hídrico/eletrolítico, é necessário observar sinais de infecção e inflamação; manter técnica asséptica para punção venosa e administração de medicamentos; manter a pele seca e os lençóis sem pregas; colocar em posição semi-fowler; encorajar ou ajudar na higiene oral.
  • D Para restabelecer o controle hídrico/eletrolítico, é necessário monitorar os sinais vitais; avaliar a acuidade visual; proteger o paciente de lesão; investigar relatos de hiperestesia, dor ou perda sensorial nos pés ou pernas; procurar úlceras, áreas avermelhadas, pontos de pressão, perda dos pulsos pediosos.
De acordo com as recomendações atuais da Sociedade Brasileira de Diabetes (SBD), o rastreamento consiste em um conjunto de procedimentos cujo objetivo é diagnosticar o diabetes mellitus tipo 2 (DM2) ou a condição de pré-diabetes em indivíduos assintomáticos. Essa atividade tem grande importância para a saúde pública, pois está diretamente ligada à possibilidade de diagnóstico e tratamento precoces, minimizando os riscos de desenvolvimento de complicações, principalmente microvasculares. Em relação a essas recomendações, tem que:
  • A As atividades de rastreamento do DM2 devem ser realizadas, de preferência, em ambiente distinto do qual a população é habitualmente tratada.
  • B A glicemia de 2 horas pós-sobrecarga diagnostica menos casos que o restante, sendo o teste mais utilizado.
  • C A recomendação de atividade física aeróbica moderada (tipicamente, caminhar rápido) por 150 minutos/semana, distribuída em pelo menos três sessões. Cada sessão de exercício deve durar mais que 10 minutos e não passar de 75 minutos.
  • D Embora muito recomendada, a mudança do estilo de vida não demonstrou redução na incidência de DM2 nos estudos utilizados para a recomendação da SBD.
  • E Em mulheres com história de diabetes gestacional, a metformina está proscrita.

Observe as tabelas, abaixo, com relação a hipoglicemiantes orais e preenche, correta e respectivamente, as lacunas:
1 - Aumento da secreção de insulina; 2 - Reduz a produção hepática de glicose com menor ação sensibilizadora da ação insulínica. 3 - Aumento da sensibilidade à insulina em músculo, adipócito e hepatócito (sensibilizadores da insulina).
( ) Pioglitazona; ( ) Metformina; ( ) Glimepirida.

  • A 1 – 2 – 3.
  • B 1 – 3 – 2.
  • C 2 – 3 – 1.
  • D 2 – 1 – 3.
  • E 3 – 2 – 1.

Assinale a alternativa CORRETA que corresponde a Diabete tipo 2.

  • A Pode ocorrer de forma lentamente progressiva, geralmente em adultos.
  • B Pode ocorrer de forma rapidamente progressiva, principalmente, em crianças e adolescentes.
  • C Necessita de uso diário de insulina para se manter controlado.
  • D Normalmente ocorre após os 40 anos e, usualmente se controla apenas com dieta.

O diabetes mellitus tipo 1 (DM1) é uma doença autoimune, poligênica, decorrente de destruição das células β pancreáticas, ocasionando deficiência completa na produção de insulina. Sobre diabetes mellitus tipo 1A , assinale a alternativa CORRETA:

  • A Aumento da produção hepática de glicose, disfunção incretínica, aumento de lipólise e consequente aumento de ácidos graxos livres circulantes.
  • B Deficiência de insulina por destruição autoimune das células β comprovada por exames laboratoriais.
  • C Deficiência de insulina de natureza idiopática.
  • D Perda progressiva de secreção insulínica combinada com resistência à insulina.