Questões de Controle Interno - COSO (Auditoria)

Limpar Busca

É indicador de que o controle interno está funcionando satisfatoriamente a

  • A reapresentação de demonstrações contábeis emitidas anteriormente para refletir a correção de distorção relevante devido a erro.
  • B existência de sinais de incapacidade da administração de supervisionar a elaboração das demonstrações contábeis.
  • C evidência de processo de avaliação de risco ineficaz.
  • D evidência de resposta ineficaz a riscos significativos identificados.
  • E existência de processo de avaliação de risco na entidade.

Um dos argumentos da estrutura preconizada pelo Internal Control – Integrated Framework, edição do Committee of Sponsoring Organizations of the Treadway Commission (COSO) consiste em proporcionar à administração um meio de

  • A aplicar o controle interno aos tipos de entidade cuja indústria ou estrutura legal figurem entre aquelas mencionadas, nos níveis de entidade, unidade operacional ou função.
  • B aplicar o controle interno a qualquer tipo de entidade, independentemente da indústria ou da estrutura legal, ao nível de entidade, relegando os níveis de unidade operacional ou função a outras estruturas.
  • C aplicar o controle interno aos tipos de entidade cuja indústria ou a estrutura legal figurem entre aquelas mencionadas, ao nível de entidade, relegando os níveis de unidade operacional ou função a outras estruturas.
  • D afastar a aplicação do controle interno a todo tipo de entidade, independentemente da indústria ou da estrutura legal, e do nível (entidade, unidade operacional ou função).
  • E aplicar o controle interno a qualquer tipo de entidade, independentemente da indústria ou da estrutura legal, nos níveis de entidade, unidade operacional ou função.

O controle interno é definido, no âmbito do Internal Control – Integrated Framework, edição do Committee of Sponsoring Organizations of the Treadway Commission (COSO), como

  • A uma função exercida por um ente que não integra a mesma estrutura organizacional do órgão fiscalizado.
  • B um documento que atesta a razoável segurança de que os procedimentos internos estão em efetivo funcionamento e cumprimento.
  • C um documento que serve de evidência quanto à suficiência, exatidão e validade dos dados produzidos pelo sistema contábil da entidade e são divididos em testes de transações e saldos e procedimentos de revisão analítica.
  • D um documento elaborado pela administração central da entidade, e desenvolvido para proporcionar segurança razoável com respeito à realização dos objetivos relacionados a operações, divulgação e conformidade.
  • E um processo conduzido pela estrutura de governança, administração e outros profissionais da entidade, e desenvolvido para proporcionar segurança razoável com respeito à realização dos objetivos relacionados a operações, divulgação e conformidade.

A estrutura de governança demonstra independência em relação a seus executivos e supervisiona o desenvolvimento e o desempenho do controle interno. Esse princípio da estrutura de controle interno está ligado ao componente de

  • A ambiente de controle.
  • B avaliação dos riscos.
  • C atividade de controle.
  • D informação e comunicação.
  • E atividade de monitoramento.

No que se refere aos princípios fundamentais subjacentes aos componentes de controle interno, o Ambiente de Controle compreende a avaliação, entre outras, de que a organização

  • A tem compromisso com a integridade e os valores éticos.
  • B considera o potencial de fraude para avaliação dos riscos.
  • C seleciona e desenvolve atividades de controle sobre as inovações tecnológicas.
  • D obtém (ou gera) e usa informações de qualidade.
  • E avalia e comunica as deficiências do controle interno em tempo hábil.