Resumo de Astronomia - Satélites Sputnik

Equipamentos que trouxeram grandes descobertas para a humanidade

Os satélites Sputnik referem-se ao nome do programa, criado pela extinta União Soviética, que enviou o primeiro satélite artificial à órbita terrestre. Esse marco histórico deu início a descoberta e estudos sobre o espaço. Além da exploração espacial, o programa deu um pontapé para uso das tecnologias que conhecemos hoje, como os satélites de comunicações – essenciais para o funcionamento das redes de internet, TV e telefonia.
 
Com o lançamento da Sputnik 1, em 1957, foi travada a corrida espacial entre a União Soviética e os Estados Unidos. Para combater o sucesso soviético, os estadunidenses anunciaram a criação da NASA e desenvolveram o seu próprio programa, chamado Apollo 11, que levou o homem à lua pela primeira vez em 1969. 
No total, foram lançados cinco satélites Sputnik, incluindo a missão que levou o primeiro ser vivo ao espaço. Depois do primeiro evento, a humanidade pôde conquistar grandes feitos, a exemplo das sondas e veículos que permitiram o conhecimento sobre os planetas do Sistema Solar, além de suas inúmeras luas. 

Contexto histórico 


A criação do primeiro equipamento espacial por mãos humanas, que viria a ser um dos satélites Sputnik, aconteceu em um período que ficou conhecido como Guerra Fria. A partir de 1947, o mundo passou a ser movido pela disputa política, econômica e ideológica entre os norte-americanos e soviéticos. 
Essa polarização, além de forçar o apoio dos outros países, resultou na competição para o domínio de diversas áreas, desde o poder armamentista até o desenvolvimento do melhor sistema tecnológico. O constante clima de conflito levou as duas nações a investir na produção de mísseis e armamentos mais potentes, como bombas nucleares. Com o aperfeiçoamento dos mísseis e surgimento de foguetes, puderam também arriscar em um feito que já havia sido tentado pelos nazistas durante a Segunda Guerra Mundial: a conquista do espaço.
No entanto, apesar dos esforços dos EUA, foi a União Soviética que alcançou os primeiros avanços na corrida espacial. Entre os anos de 1955 e 1956, realizaram diversos estudos para viabilizar o envio de um satélite, batizado de Objeto D. Após alguns fracassos no período de testes, o cientista ucraniano Sergei Korolev propôs ao governo soviético o lançamento de um satélite menor. A ideia foi aceita e ele obteve a autorização para lançar o PS-1, que mais tarde foi batizado de Sputnik 1.
O satélite artificial então foi enviado no dia 4 de outubro de 1957, da base situada em Tyuratam, no Cazaquistão. O feito científico teve grande repercussão no mundo, especialmente nos Estados Unidos, que se viram ultrapassados pelos soviéticos. Para reverter o quadro, os estadunidenses planejaram o lançamento de um dos satélites do projeto Vanguard. O teste inicial foi realizado em dezembro de 1957, mas o foguete que levava o satélite acabou explodindo. Foi somente em janeiro de 1958 que eles conseguiram lançar o Explorer 1.
Após o trunfo no envio do seu primeiro satélite artificial, o governo ordenou a construção da Nasa (National Aeronautics Space Administration), a agência responsável por quase todas as explorações feitas no espaço.



Os satélites Sputnik

Conheça, a seguir, quais foram os satélites Sputnik e as suas principais características: 
Sputnik 1 
O satélite era revestido por uma liga de alumínio, tinha formato esférico e pesava 83,6 quilos. No interior, carregava antenas para transmissão via sinal de rádio. Depois de 22 dias de lançado, as suas baterias esgotaram, mas ele permaneceu quase 3 meses no espaço. Foi completamente destruído quando entrou na atmosfera terrestre. Apesar do pouco tempo, esse pequeno equipamento trouxe importantes avanços, como os dados que possibilitaram uma estimativa da densidade das camadas mais externas da atmosfera da Terra. 
Sputnik 2
Entre os satélites Sputnik, este tornou-se o mais famoso. Lançado em novembro de 1957, o modelo enviou ao espaço o primeiro ser vivo: a cadela Laika. O animal acabou morrendo horas depois, mas, na época, acreditou-se que o falecimento teria ocorrido por volta de 10 dias e em decorrência da falta de oxigênio. Anos mais tarde, os cientistas revelaram que, na verdade, ela veio à óbito em virtude do superaquecimento da cabine. O Sputnik 2 tinha 4 metros de altura e pesava aproximadamente 113 quilos. O objeto deu 2570 voltas ao redor do planeta Terra e permaneceu 162 dias em órbita. 
Sputnik 3
Em maio de 1959, foi enviada a máquina de número 3. O satélite, que se manteve em atividade durante 2 anos, pesada mais de uma tonelada e tinha 3,57 metros de altura. Através dele foi possível estudar o campo magnético da Terra, a formação atmosférica e os pequenos meteoros. Além disso, permitiu a confirmação de uma descoberta feita anteriormente pelos norte-americanos: a existência do cinturão de Van Allen
Sputnik 4
Enviada ao espaço em maio de 1960, já possuía uma cabine com capacidade para transportar um ser humano e, por isso, tinha mais de 4 mil quilos. Apesar da sua estrutura, apresentou falhas em poucos meses. 
Sputnik 5
O último dos satélites Sputnik foi lançado em agosto de 1960 e carregava dois cachorros, Belka e Strelka, 40 camundongos, 2 ratos e diversas plantas. Dessa vez, todos os animais estavam com vida quando retornaram à Terra. Esse experimento foi a prova de que já era possível realizar missões com seres humanos. 
Voltar

Questões