Resumo de Astronomia - Planeta Anão

Categoria foi criada pela União Astronômica Internacional em 2006

Planeta Anão é uma categoria atribuída pela União Astronômica Internacional (UAI) a todos os corpos celestes que orbitam ao redor do Sol, tenham o formato esférico e sejam predominantes entre os demais astros em sua sua órbita.
Tal classificação surgiu no ano de 2006 e a partir de uma redefinição do termo “planeta” realizada pelo órgão. Na época, tinha-se como um dos objetivos esclarecer a definição atribuída a Plutão que, desde a sua descoberta, era considerado pela astronomia como um planeta.
No campo científico, estudiosos chegaram a conclusão de que Plutão teve suas dimensões avaliadas de forma equivocada e, por isso, não contempla as descrições referente à categoria de planeta que, segundo a UAI, são: girar ao redor de uma estrela, ter massa suficiente para se manter em equilíbrio hidrostático e, além disso, ter órbita livre de outros objetos.
Além desse “novo” planeta anão, outros corpos com características semelhantes a ele foram identificados no espaço, são eles: Ceres, Haumea, Makemake e Éris.




Conheça cada planeta anão do nosso sistema solar

Ceres

Esse planeta anão é o que está localizado mais próximos do planeta Terra e, de acordo com pesquisas recentes da Nasa, é um corpo geologicamente ativo e com a presença de líquido salgado. Há muitas curiosidades a respeito de Ceres e, por isso, existe a expectativa da Nasa desenvolver estudos específicos a seu respeito.


Haumea

Entre as características mais marcantes de Haumea está o anel à sua volta. Segundo especialistas do Instituto de Astrofísica da Andaluzia, essa descoberta revela a possibilidade de encontrar mais anéis no Sistema Solar, e desmistifica a ideia de que essa característica era comum aos planetas gigantes. O Haumea possui um formato semelhante à de um ovo, orbita o Sol em um ciclo elíptico que dura 284 anos para ser concluído e possui duas luas pequenas.
Makemake

Esse planeta anão foi descoberto em março de 2005, logo após a Páscoa e, por isso, os astrônomos lhes deram o nome de um deus da Ilha de Páscoa. O astro possui uma composição bem pequena e está em uma posição distante do Sol, localizado entre Plutão e Éris


Éris

Éris é considerado o maior planeta anão do Sistema Solar, sendo o primeiro astro a ser incluso nessa categoria. De acordo com pesquisadores, possui tamanho equivalente a Plutão e também é composto por gelo e rocha. Outra característica refere-se ao seu brilho, que é tão intenso que permite ser visto com pequenos telescópios.

Origem e composição do Sistema Solar

A origem do Sistema Solar tem cerca de 4,7 bilhões de anos e envolve muitas teorias. Contudo, apesar de ainda existir muitos questionamentos no meio científico, sabe-se que há uma relação com a formação do Sol e dos planetas.
Atualmente, a Via Láctea conta com um conjunto de oito planetas (Mercúrio, Vênus, Terra, Marte, Júpiter, Saturno, Urano e Netuno), cinco planetas anões (Plutão, Ceres, Haumea, Makemake e Éris) e diversos corpos celetes que orbitam ao redor do Sol, a estrela mais importante do Sistema. 
Entre os astros que possuem dimensões ainda menores do que os planetas e planetas anões, estão:
  • Asteroides: corpos que apresentam movimento próprio, situados na região conhecida como cinturão de asteroides, localizada entre o planeta Marte e o planeta Júpiter. Pode ser caracterizado como “blocos” rochosos ou metálicos que recebem reflexos do Sol. Uma curiosidade sobre ele é que todos dos dias atingem a Terra, mas são tão pequenos que ao colidiram com a atmosfera são destruídos. 
  • Cometas: é o menor corpo celeste do Sistema Solar e único visível a olho nu. É formado por gelo e impurezas em seu núcleo, mas facilmente evaporam à medida que recebem luz solar. Sua forma é irregular e possui cauda alongada. O mais conhecido é o cometa Halley, que costuma visitar a Terra quando atinge o ponto mais próximo do Sol (periélio). Isso só acontece a cada 75 ou 76 anos. A última visita do cometa aconteceu em 1986.
  • Meteoros, meteoroides e meteoritos: já ouviu falar em estrela cadente? Esse corpo luminoso que eventualmente aparece no céu à noite são meteoros. Esse efeito citado anteriormente é consequência da desintegração de grãos de poeira no espaço. Já os meteoroides são fragmentos de corpos celestes, assim como os cometas e os asteroides. E os meteoritos nada mais são do que os meteoroides que ultrapassam a atmosfera e acabam caiando na Terra.
Voltar

Questões