Resumo de Educação Artística - Maneirismo

Conheça as características e artistas que integram esse movimento artístico


O maneirismo foi o estilo de produção artística que se popularizou, especialmente, na Itália, entre os anos de 1520 e 1610. O termo deriva da palavra italiana , que significa maneira ou modo. Mas era utilizada pelo arquiteto e pintor Giogio Vasari como sinônimo para graça, leveza e sofisticação. A arte que surge durante o maneirismo expressa uma tendência dos artistas da época de tentar desenvolver uma identidade própria e, com esse intuito, exagera na estilização. 
O século XVI foi um período de intensas transformações no contexto europeu e o maneirismo se destaca como uma das expressões dessas mudanças, especificamente, no contexto artístico. Os artistas que integram esse movimento buscavam se distanciar do modelo ditado pela Antiguidade Clássica. Talvez por isso alguns críticos apontem que os maneiristas foram os primeiros “modernos” do contexto global. 
Para alguns pesquisadores da arte, o maneirismo foi um período de transição entre o renascimento e o barroco. Outros, porém, enxergam características na arte maneirista que possibilitam classificá-la como expressão de um estilo próprio. Além da decadência do renascimento e ascensão do barroco, o contexto histórico do maneirismo é marcado pela reconfiguração religiosa imposta pela Contrarreforma. 

Características do maneirismo 


A estética maneirista está comprometida em romper com as concepções de beleza criadas pelos artistas renascentistas. Nesse sentido, eles dão vida a uma produção marcada pelo exagero e sofisticação, que causava estranhamento aos olhares da época. O maneirismo pode ser contemplado em diferentes linguagens artísticas, mas é mais evidente na pintura, arquitetura e escultura. 
O estilo maneirista apresenta elementos do renascimento, movimento artístico que começa a entrar em decadência no período que ele surge, contudo, põe em evidência elementos novos e que, por isso, geram estranheza. Nesse sentido, faz-se necessário evidenciar que o impulso em criar coisas novas e inesperadas era o que movia os artistas maneiristas. Dentre os elementos que eles inserem em suas produções estão os labirintos, espirais e as proporções estranhas
Além da utilização de espirais, proporções, volumes e perspectivas que causam estranheza, caracterizam a produção artística dos maneiristas: 
  • O desenvolvimento de uma arte sofisticada; 
  • Estilização marcada pelo exagero, formas oblíquas e assimétricas; 
  • Atenção aos detalhes; 
  • Utilização de contrastes de luz e sombra; 
  • Combinação de cores fortes; 
  • Construção de figuras com formas alongadas, deformadas ou distorcidas; 
  • Uso de composições marcadas pela ambiguidade e tensão; 
  • Apelo ao que é bizarro ou perturbador; 
  • Distanciamento dos modelos clássicos apresentados pelo renascimento; 
  • Proximidades com o Barroco e com o Realismo. 



As expressões do maneirismo nas linguagens artísticas 


Apesar de possuir características gerais como estilo artístico, o maneirismo se apresenta de formas distintas nas linguagens artísticas, imprimindo traços próprios às obras e edificações. Nesta seção do artigo, conheceremos como a produção maneirista foi impressa na arquitetura, pintura e escultura. Além disso, conheceremos alguns artistas representantes do movimento que se destacam em cada uma dessas linguagens. 
Arquitetura 
Na arquitetura, o maneirismo pode ser observado, sobretudo, nas igrejas e palácios. Os templos religiosos do estilo maneirista apresentam plano longitudinal e espaços largos e longos. Essas construções se constituem como verdadeiras naves escuras, já que a iluminação se dá por ângulos diferentes. Aqui as espirais se farão presentes nas escadarias do coro. 
As igrejas maneiristas são decoradas por guirlandas de frutas e flores. No altar, são preponderantes as formas de caracóis, conchas e volutas. Essas figuras também adornam os muros, criando uma verdadeira selva de pedra. 
O artista Michelangelo di Ludovico Buonarroti Simoni é apontado como tendo sido o primeiro a subverter a arquitetura com elementos que viriam a se constituir como característicos do maneirismo. Essa subversão pode ser observada na Capela dos Médici em San Lorenzo, na Biblioteca Laurentiana e na Pizza Campidoglio. Entre os arquitetos maneiristas estão Andrea Palladio, Bartolomeo Ammanatti e Giorgio Vasari
Pintura 
Na pintura, os destaques da arte maneirista são Rosso Fiorentino, Jacopo Pontormo, Parmgianino, Tintoretto, El Grego (“Cristo abraçado à cruz”) e Giuseppe Arcimboldo (“A Primavera”). É nessa linguagem artística que o maneirismo se expressa pela primeira vez manifestando a insatisfação dos pintores com os cânones criados pelo renascimento. 
As pinturas feitas pelos maneiristas apresentam uma nova forma de representar os corpos humanos. Aqui as figuras esguias e bem alongadas vão ocupar as telas que o renascentista pintava com membros bem torneados. Além disso, os sujeitos representados nas pinturas serão capazes de fazer contorções impossíveis ao corpo humano. Nos rostos, o mistério e a melancolia ocupam as expressões. 
As figuras e objetos retratados são o centro de luz nas pinturas. Contudo, ao fazer isso, os artistas criam sombras consideradas inadmissíveis. Ao mesmo tempo, os protagonistas das pinturas são deslocados do centro da tela para uma posição que requer um olhar atento por parte do observador para que seja possível identificá-los. 
Escultura 
Entre os destaques da escultura maneirista estão os nomes de Giambologna e Benvenuto Cellini. Nessa linguagem artística, vemos características da pintura e da arquitetura, muitas vezes, associadas. Detalhes exagerados, figuras humanas com posturas impossíveis de serem executadas, detalhes exagerados e planos superpostos são algumas das marcas das esculturas consideradas maneiristas. 
Voltar