Resumo de Educação Artística - A Noite Estrelada

A Noite Estrelada é um quadro do holandês Vincent van Gogh (1853-1890). Pintada em 1889, a obra é um óleo sobre tela que retrata a vista da janela de um quarto do asilo psiquiátrico de Saint-Rémy-de-Provence, na França.

A tela faz parte do acervo artístico do Museu de Arte Moderna de Nova Iorque (MoMa) desde 1941.

Contexto da obra

Considerado na área das artes um dos artistas mais influentes do século XIX, Van Gogh pintou A Noite Estrelada quando estava no asilo de Saint-Rémy-de-Provence, local onde se internou de forma voluntária.

No asilo, o pintor tinha acesso liberado apenas para o seu quarto, localizado no segundo andar, e para uma sala do térreo, onde tinha permissão para transformar o espaço em um estúdio de pintura.

Após realizar estudos sobre a representação de lugares, o artista produziu A Noite Estrelada usando como base a vista do quarto na qual dormia, momentos antes do nascer do sol. Apesar da limitação de circulação no Saint-Rémy-de-Provence, Van Gogh seguiu produtivo no campo das artes.

Através das pinceladas fortes e uso de pouca abstração, o quadro da vista da cela de Van Gogh passou a ser considerado uma das obras que abriram o caminho para o Modernismo. Por isso, vale observar os principais aspectos dessa produção artística.

Análise de A Noite Estrelada

O elemento pictórico é comum a todas as pinturas e desenhos do artista holandês. Em  A Noite Estrelada, as árvores ficam mais perto da composição da tela. Ainda cabe destacar que A Noite Estrelada é a única pintura noturna da série de obras com a vista para o quarto do asilo.

A lua da forma como aparece no quadro foi apenas um elemento de estilização, pois registros históricos e científicos indicam que ela estava minguante quando Van Gogh produziu a tela. A série noturna que o artista pretendia criar sofreu reduções por causa da dificuldade de conseguir pintar nesse período do dia.

Em cartas enviadas para amigos e familiares, o pintor fez declarações sobre a crença na vida após a morte, associando essa outra dimensão com o céu estrelado que tinha retratado.

Entre as principais características da obra, é possível destacar:

  • As estrelas como elementos principais do quadro, pois são traços de abstração e beleza plástica;
  • A exemplo das outras obras de vista do quarto do asilo, a tela traz montes no horizonte;
  • O cipreste está presente na obra pelo fato do pintor apreciar a forma pouco comum da árvore;
  • As espirais são bem exploradas na composição do quadro. Elas dão a sensação de profundidade.

O único elemento próprio da pintura, pois estava fora do alcance da vista de Van Gogh, é o vilarejo. O vilarejo da pintura pode ser interpretado como uma reprodução de lembranças da terra natal do artista ou uma variação de um esboço que fez da cidade de Saint-Rémy. De qualquer modo, é fato que se trata de um componente imaginado.

Influências artísticas

A Noite Estrelada tem aspectos do Expressionismo, presentes pelo fato do quadro ser pintado com os sentimentos do autor e um certo espírito religioso sobre a vida.

Outra influência artística parte da perspectiva do Simbolismo. Nesse sentido, a lua crescente é a representação da pintura como “consolação” de Van Gogh.

Ainda seguindo a linha da interpretação simbolista, a tela não retrata apenas elementos topográficos que compõem a vista da janela do artista, mas também elementos celestes, a exemplo de Vênus e a constelação de Áries.

Nesse sentido, as espirais do céu surgem da ideia do autor de apresentar o cosmo como um ambiente vivo e dinâmico.

As torções ou redemoinhos no céu podem representar ainda os ventos que passavam entre as colinas do lugar. Os tons claros de azul, colocados acima do horizonte, representam as primeiras luzes do amanhecer.

Vale ressaltar que o cipreste da pintura tem interpretações que partem desde a ideia de ser símbolo das lutas humanas até a contraparte simbólica da busca de Van Gogh pelo infinito, através de caminhos que não são retos.

Curiosidades sobre A Noite Estrelada

No momento em que o Museu de Arte Moderna de Nova Iorque (MoMa) comprou A Noite Estrelada de um colecionador privado, em 1941, a obra não era essencialmente conhecida pelo grande público. Em algumas décadas, essa realidade mudaria de forma radical, pois atualmente é uma das principais pinturas de Vincent Van Gogh.

Costumado a pintar a partir da observação, sempre com a natureza presente nos seus trabalhos, Van Gogh foi privado de muitas liberdades durante a sua estadia no asilo de Saint-Rémy-de-Provence. Ele passava muito tempo olhando a janela do quarto, fato que serviu de motivação para pintar A Noite Estrelada.

Outro ponto interessante está na questão do pintor ter colocado em prática as influências do Impressionismo e do Neoimpressionismo, aprendidas no período que morou em Paris (1886-1888). Por causa delas, o artista aplicou a tinta na tela diretamente a partir de um tubo, o que permitiu conseguir relevo e tons mais intensos.

Para além da parte técnica, A Noite Estrelada parte da imaginação de Van Gogh, pois a cidade retratada tem elementos como uma torre de igreja que lembra as existentes em áreas bem distantes da cidade de Saint-Rémy‑de-Provence. São torres encontradas na arquitetura de igrejas da Holanda e Sul da França.

Para entender Van Gogh

Ciente que a vida de Van Gogh é um aspecto essencial para entender obras como A Noite Estrelada, vale a indicação de cinco livros para compreender o artista:

  • Cartas a Théo, de Vincent van Gogh (1986) – O livro reúne descrição das obras, análise do pensamento estético e a situação mental de Van Gogh;
  • As cores de van Gogh, de Claire Merleau-Ponty (2008) – Informações sobre todos os quadros do pintor, além de dados sobre o artista e sua época;
  • Van Gogh: A vida, de Steven Naifeh e Gregory White Smith (2012) – O livro apresenta uma erudita biografia do artista holandês;
  • A vida trágica de van Gogh, de Irving Stone (1940) – Uma biografia da vida do pintor: amores e desilusões, angústias;
  • Os girassóis: Um romance sobre Vincent van Gogh, de Sheramy Bundrick (2009) – A história de uma longa paixão do artista.

 

 

 

 

Voltar