Resumo de Educação Artística - Impressionismo

Impressionismo foi um estilo artístico que surgiu na França no século XIX e se manifestou especialmente nas artes plásticas e na música. O nome tem origem na obra de um dos mais célebres pintores franceses da época, Oscar-Claude Monet, chamada “Impressão: Nascer do Sol”.

Essa obra recebeu muitas críticas do também pintor e escritor Louis Leroy, que afirmou tratar-se de uma impressão mal acabada ou mal feita de uma paisagem.

Apesar de ser usado originalmente de maneira pejorativa, Monet e seus colegas passaram a usar o nome Impressionismo por perceberem a revolução que estavam promovendo.

É importante frisar que esse movimento teve uma grande importância histórica por determinar o curso da maior parte da arte que se seguiu, além de ter sido a porta de abertura para a modernidade, com o surgimento de grandes artistas que se destacaram nos séculos seguintes.

História

O impressionismo surgiu como forma de oposição ao monopólio da arte, quando a academia determinava que o tema da arte deveria ser nobre e instrutivo.

Contrapondo o estilo de então, com composição equilibrada, figuras idealizadas e o chiaroscuro (palavra italiana para luz e sombra) da Renascença, os artistas impressionistas passaram a criar representações das sensações visuais imediatas através da cor e da luz, dando enorme importância à luz natural.

Em 1874, grandes nomes da época como Renoir, Cassatt, Monet, Degas, Manet, Pissarro, Morisot e Sisley eram frequentemente rejeitados por todos os salões de arte vigentes da época e por conta disso decidiram promover sua primeira exposição. Nesse momento, o público pôde ter contato com a obra dos artistas impressionistas.

Entretanto, a receptividade não foi positiva, pois o público se mantinha fiel aos princípios acadêmicos da pintura e aquelas obras negligenciavam as formas para privilegiar a cor. Foi justamente nessa mostra que Monet expôs sua obra “Impressão: Nascer do Sol”, alvo de críticas.

Esse foi o “empurrão” que levou os artistas a se dedicarem ainda mais a esse estilo e promovessem a revolução. Eles se reuniam com frequência entre os anos de 1868 e 1870 para debater temas importantes relacionados à arte impressionista e Monet era o presidente dessas sessões.

Somente por volta de 1884 surgiu uma nova estética ao impressionismo e mais bem aceita pelo público, o neo-impressionismo, que não rejeitava o estilo impressionista, mas dava continuidade a esse movimento como uma tentativa de evolução do mesmo.

Características do impressionismo

No impressionismo, o “ver” por parte do artista passa a ter um sentido muito mais profundo. Mais do que imitar o real, as obras de arte desse movimento artístico traziam uma visão diferenciada do objeto, retratando-o por meio do contraste de cor e luz, com relevos deixados na tela de maneira proposital.

Dessa forma, os artistas tentavam expressar por meio da tinta as impressões sensoriais de cor, som, luz e movimento com a utilização de cores claras e brilhantes. Eles tentavam capturar as cores da natureza e suas mudanças de tonalidades no decorrer do dia e, por conta disso, preferiam trabalhar ao ar livre.

As representações não apresentavam contornos nítidos. Além disso, as sombras eram coloridas e as cores eram usadas de maneira pura, sem mistura de tonalidades. Na música, literatura, esse estilo também teve características muito peculiares.

De maneira geral, pode listar como principais características do impressionismo:

  • Ruptura com o passado;
  • Oposição à cultura tradicional;
  • Início das pesquisas sobre óptica e seus efeitos;
  • União entre o concreto e o abstrato.

Conheça as particularidades do impressionismo em cada um dos tipos de arte.

Pintura

Os pintores do impressionismo utilizavam os temas da natureza, principalmente as paisagens, em suas obras. As principais características eram a valorização da luz natural e das sombras com cores e luminosidade. Os artistas tentavam reproduzir os movimentos e a impressão visual da cena retratada, com ausência total do preto.

Os principais pintores impressionistas e suas obras são:

  • Claude Monet: “Estuário do Sena”, “Impressão: Nascer do Sol”, “Ponte sobre Hève na Vazante”, “Camille”, “O vestido verde”, “A floresta em Fontainebleu”, “Mulheres no Jardim”, “Navio deixando o cais de Le Havre”, “O molhe de Le Havre”;
  • Edgar Degas: “Retrato da família Bellelli”, “Cavalos de Corrida numa Paisagem”, “Cavalos de Corrida”, “Retrato de duas meninas”, “Paisagem”, “A banheira”, “A primeira bailarina”;
  • Pierre-Auguste Renoir: “Mulher com sombrinha”, “O Camarote”, “Le Moulin de la Galette”, “Madame Georges Charpentier e suas filhas”, “Remadores em Chatou”, “Elizabeth e Alice de Anvers”, “A dança em Bougival”, “Mulher amamentando”, “As grandes banhistas”, “Menina com espigas”, “Menina jogando criquet”, “Ao piano”, “Odalisca”, “Retrato de Claude Renoir”, “Banhista enxugando a perna direita”;
  • Édouard Manet: “Os romanos”, “A decadência”, “O bebedor de absinto”, “Retrato do Sr. e Sra. Auguste Manet”, “O homem morto”, “A música na Tulheiras”, “Rapaz em costume espanhol”, “Almoço na relva”, “Olympia”, “A ninfa surpresa”, “A leitura”, “O tocador de pífano”, “A execução de Maximiliano”, “Retrato de Émile Zola”, “Berthe Morisot de Chapéu Preto”.

Música

Na música, as principais aspectos eram as melodias sensuais e etéreas, que retratavam imagens, em especial, paisagens naturais. Os grandes músicos e obras foram desse estilo artístico foram:

  • Claude Debussy: “Prelúdio à Tarde de um Fauno”, “Estampes”, “Trois Images”, “La Mer”, “Sonata para Piano e Violino”;
  • Maurice Ravel: “Jeux d’Eau”, “Bolero”, “Concerto para Piano em Sol Maior”, “Quarteto de Cordas em Fá Maior”, “Rapsódia Espanhola”.

Literatura

Na literatura, os escritoras buscavam descrever os aspectos psicológicos e emocionais de seus personagens, com detalhes que expressavam os aspectos sensoriais de cada cena retratada. Entre os principais autores, destacam-se Marcel Proust, Baudelaire, Mallarmé, Graça Aranha e Raul Pompeia.

Impressionismo no Brasil

Esse movimento chegou ao território brasileiro após se estabelecer no exterior. A pintura de paisagem ao ar livre ganhou força no Rio de Janeiro no fim do século XIX e foi implantada pelo pintor Grimm na Academia de Belas Artes em 1884, contra a vontade dos acadêmicos da época, o que levou a não renovação do seu contrato dois anos depois.

No Brasil, os principais representantes do impressionismo foram: o artista plástico Washington Maguetas e o pintor Eliseo Visconti.

Também é possível perceber tendências expressionistas nas obras de Almeida Junior (1850-1899), Anita Malfatti (1889-1964), Georgina de Albuquerque (1885-1962) e João Timóteo da Costa (1879-1932).

Voltar