Resumo de Educação Artística - História em Quadrinhos

Narrativa gráfica popularizada entre os séculos XX e XXI


A história em quadrinhos é uma forma de narrar que utiliza de imagens e textos para construção do enredo. Essa construção narrativa é muito popular em todo o mundo e pode ser apreciada em revistas específicas do gênero e nas charges e tirinhas publicadas em jornais. Por meio da história em quadrinhos, ou HQ como também são conhecidas, personagens e escritores ficaram conhecidos em todo o mundo. 
No Brasil, "A Turma da Mônica", de Maurício de Souza, se consagrou como a história em quadrinhos mais conhecida nacional e internacionalmente. Mas o gênero também conta com os sucessos da indústria norte-americana, como "Superman", "Capitão América", "Mulher Maravilha" e "Batman". E também tem as contribuições de origem japonesa, que recebem o nome de mangá
Além de servirem como instrumento de entretenimento, as histórias em quadrinhos podem apresentar importantes reflexões críticas sobre a sociedade, a história e a cultura. Nesse aspecto, destaca-se a personagem da "Mafalda" criada no ano de 1964 pelo argentino Quino. Com apenas seis anos de idade, a garotinha expressa pensamentos críticos e de visão humanista para diversas situações com as quais é confrontada. 


A origem da história em quadrinhos 

As narrativas através de imagens estão presentes desde os primórdios da humanidade, por isso há quem afirme que a origem da história em quadrinhos pode ser observada nas pinturas rupestres feitas pelo homem pré-histórico para relatar as atividades que constituíam seu cotidiano. Para os que defendem essa associação, já na arte rupestre existia uma história narrada por meio das imagens. 
O uso das imagens para construção de relatos também pode ser observado nas inscrições do Egito Antigo, nos vasos da Grécia Antiga e nos vitrais da Igreja Católica. Em todos os casos, as narrativas gráficas dão conta da história e cultura de um povo e são apontas como manifestações do que, mais tarde, viria a se constituir como uma história em quadrinhos. 
Mas é somente no ano de 1894 que será publicada a primeira história em quadrinhos contendo os elementos característicos da construção narrativa do gênero. Esse feito é do norte-americano Richard Outcault que publica na revista a HQ . O título conta as aventuras vividas por uma criança que morava nos guetos de Nova York e usava uma camisola amarela. 
A narrativa por meio de história em quadrinhos se torna popular nos Estados Unidos no século XX. Isso acontece porque essas produções foram empregadas pelo país como uma forma de lidar com a Crise de 29. Além de ser uma forma de entretenimento barata, as HQs apresentavam um clima positivo diante do cenário de crise enfrentando pelo país. E também serviram para construção da imagem e autoestima norte-americana
Durante o período da Segunda Guerra Mundial e na Guerra Fria, as histórias em quadrinhos construíram a imagem do herói norte-americano que combatia os vilões. Muitas vezes, a figura do inimigo era construída como sendo nazista ou soviético. Nesse período, vão surgir heróis mundialmente famosos, como "Mandrake, the magician" (1934), "Phantom" (1936), "Superman" (1938), "Capitão América" (1940) e "Mulher Maravilha" (1941). 

História em quadrinhos no Brasil 


O brasileiro Manuel de Araújo Porto-Alegre é apontado como o primeiro quadrinista do país. Ele produziu, em litogravura, a primeira sátira e a primeira revista de humor ilustrada do Brasil. Mas é somente em 1905 que teremos a primeira revista de história em quadrinhos do país. 
Desenhada por Renato de Castro, a revista "Tico-Tico" foi publicada no periódico denominado O Malho. A publicação teve como influência a revista francesa e trazia o garoto Chiquinho como personagem principal. A partir do ano de 1930, personagens estrangeiros, como o "Mickey Mouse" e "O Gato Félix", passam a fazer parte das revistas publicadas no país. 
A primeira história em quadrinhos nacional inteiramente colorida foi publicada no ano de 1960. "A Turma do Pererê", escrita pelo cartunista Ziraldo e publicada pela editora O Cruzeiro, apresentava personagens inspirados na cultura brasileira, a exemplo do Saci e do indígena. No mesmo ano, Ziraldo lançou "O Menino Maluquinho", que é uma de suas histórias em quadrinhas mais famosas, tendo sido, inclusive, adaptada para a televisão. 
Atualmente, "A Turma da Mônica", de Maurício de Souza é a história em quadrinho brasileira mais conhecida no mundo. As aventuras da personagem que tem como inspiração a filha do quadrinista são contadas em 14 idiomas diferentes e publicadas em mais de 40 países. 

Características das histórias em quadrinhos 


As narrativas contadas por meio de quadrinhos contam com textos e imagens que priorizam o diálogo entre as personagens e a sequência dos acontecimentos. Em geral, a figura do narrador é dispensada já que os eventos são acompanhados pelo leitor na sequência dos quadrinhos. Os diálogos são apresentados em balões, cujas diferenciações de traçado explicitam contextos diferentes. 
Os balões com traçado contínuo indicam um diálogo comum. Mas quando as linhas aparecem interrompidas significa que a personagem está sussurrando. O formato de nuvem indica que se trata de um pensamento ou sonho da personagem, já o traço com formato de zigue-zague simboliza um grito ou som alto de televisão ou rádio. 
Para reproduzir os sons, as histórias em quadrinhos lançam mão do recurso das onomatopeias. Essa figura de linguagem é abundante nas tirinhas e revistas do gênero e podem chegar a ocupar um quadrinho isoladamente. 
Voltar