Resumo de Educação Artística - Festas Juninas

Comemoração bastante popular no Brasil

As festas juninas são uma das mais tradicionais do Brasil. A celebração que ocorre durante o mês de junho tem origem na Igreja Católica, que realiza a festividade para homenagear importantes santos do catolicismo: São João, Santo Antônio e São Pedro.
As festas juninas foram trazidas ao Brasil pelos portugueses, ainda no século XIV. Aos poucos, elas foram incorporadas à cultura brasileira e se tornaram muito populares, especialmente na Região Nordeste. 
Nessa parte do Brasil, muitas cidades comemoram as festas durante todo mês de junho, como é o caso de Campina Grande, na Paraíba e Caruaru, em Pernambuco.
Durante a celebração, as ruas ficam decoradas com bandeirolas e o colorido toma conta das casas, praças. As roupas do dia a dia dão lugar ao quadriculado e todo mundo se enfeita com acessórios, pintinhas nos rostos, chapéus, laços e tranças.
As festas juninas também são conhecidas pelas comidas típicas, principalmente os alimentos preparados com milho, músicas, danças, como a quadrilha e é claro, o forró.

Origem das festas juninas

Pesquisas realizadas por historiadores indicam que a celebração está relacionada com as festas pagãs que eram realizadas na Europa, durante o solstício de verão. 
Assim como as festas juninas, o solstício de verão no hemisfério norte ocorre no mês de junho, e lá, durante aquele período, as festas eram realizadas para afastar os maus espíritos que pudessem danificar a colheita.
Quando o catolicismo passou a dominar os países da Europa e se consolidar como a principal religião, as festas pagãs perderam seu lugar e foram incorporadas às festas religiosas, isso também aconteceu com o Dia das Bruxas (Halloween), por exemplo.
A prática, muito comum na Igreja Católica, tinha por objetivo converter os povos pagãos através de atividades culturais “seculares”, mas com elementos cristãos.
No caso das festas juninas, a data que representava um momento de transição da primavera para o verão e boas colheitas, se transformou em uma homenagem a grandes personagens da Igreja Católica, sendo os principais:
  • Santo Antônio (13 de junho) – Conhecido por ser o “santo casamenteiro”, influenciou até o dia dos namorados, que é comemorado em 12 de junho, véspera da sua festa. De acordo com a crença, no dia 13 as pessoas fazem orações ao santo pedindo por um namoro ou um casamento.
  • São João (24 de junho) – Esse é conhecido como o “santo festeiro”, a data para essa celebração foi escolhida por ser o dia do nascimento de João Batista, considerado um dos mais próximos de Jesus Cristo, principalmente por tê-lo reconhecido ainda no ventre de Maria e por batizá-lo. O dia de São João é um dos mais tradicionais das festas juninas. A data é caracterizada pelas quadrilhas, festas, fogueiras, comidas típicas.
  • São Pedro (29 de junho) – a festa homenageia um dos mártires da Igreja. São Pedro foi crucificado em nome da fé cristã em um período de perseguição, por isso, o catolicismo separou um dia no calendário para homenageá-lo. A festa de São Pedro também conta com os mesmos elementos da festa de São João. Além dos já citados, muitas barracas e quermesses são montadas para vender pratos típicos e arrecadar dinheiro para a Igreja.


Comidas típicas das Festas Juninas

Boa parte dos alimentos consumidos no período junino tem como base o milho (um dos principais produtos da agricultura brasileira) e o amendoim. Embora sejam comidas típicas dessa época, elas também ficam disponíveis ao longo do ano. As mais conhecidas são:
Pamonha – a pamonha é encontrada nos estabelecimentos comerciais e até mesmo pelas ruas das cidades nordestinas em qualquer período do ano, mas o prato é tradicional das festas juninas. Ela pode ser feita com milho ou carimã e também pode ser doce ou salgada.
Cuscuz – o cuscuz é extremamente popular no nordeste e também é feito a base dos flocos de milho. O prato também não pode faltar nas festas.
Pipoca – feita com grãos de milho, ela pode ser servida doce ou salgada.
Arroz doce – quem está acostumado a comer o arroz com feijão pode estranhar um pouco, mas aos poucos a receita conquista qualquer um. O prato é feito com arroz cozido no leite de coco. Quem gosta de incrementar também acrescenta canela, cravo, leite condensado.
Maçã do amor – para não faltar romance no São João, a maçã do amor é uma especiaria dedicada aos apaixonados. A receita é simples, basta mergulhar a fruta na calda de açúcar e esperar que ela seque, formando uma camada ao redor. Atualmente as pessoas também mergulham a maçã na calda do chocolate.
Bolos – os bolos mais comuns nessa época do ano são o de milho, aipim, carimã, coco e laranja.
Canjica – a iguaria doce e pastosa é feita com creme do milho. Em alguns lugares, ela recebe o nome de curau, e a palavra “canjica” é usada para falar do mugunzá, outra especiaria do São João.
Mugunzá – o mugunzá é um prato doce feito com grãos do milho branco, que pode ser triturado ou cozido em leite de coco.
Milho cozido ou assado – o elemento principal da festa não pode faltar. Quando cozido é feito apenas com água e sal e para assá-lo basta apenas levar à fogueira. Vale lembrar que junho é o mês do milho, já que as colheitas do produto nesse período são muito boas.
Amendoim cozido – esse alimento é preparado em panela de pressão e só precisa de água e sal.
Bebidas – durante as festas, são muito comuns as bebidas quentes, como o quentão, que é feiro com açúcar, gengibre, canela, cravos, água, pinga e casca de laranja, e o licor, uma bebida destilada que mistura cachaça com frutas.

Festas Juninas pelo Brasil

As festas juninas são celebradas por todo o Brasil, mas pode-se dizer que duas festas se destacam: o São João de Campina Grande, na Paraíba e o São João de Caruaru, em Pernambuco.
São Joao de Campina Grande
Autodenominada como a “maior festa de São João do mundo”, o São João de Campina grande dura um mês inteiro. Durante todo o evento, as pessoas podem desfrutar de várias atrações, que vão desde a queima de fogos, que ocorre logo na abertura, até os shows de artistas famosos. A programação também é cheia de atividades tradicionais, como concurso de quadrilhas, casamento coletivo no dia de Santo Antônio e até passeio pelos distritos da cidade.
São João de Caruaru
Caruaru, também conhecida como a “capital do forró”, disputa com Campina grande pelo título de “maior festa de São João do mundo”. A celebração também é extensa mais não chega a durar um mês. No entanto, a quantidade de programações é bem longa e conta com quase 500 shows, quadrilhas, desfiles, festival de comidas gigantes, bonecos temáticos, balões e bandeiras que chegam a 50 mil metros.
Voltar