Resumo de Matemática - Economia da África

O continente é o mais pobre do mundo

A economia da África incide na agricultura e nos recursos dos povos. Cerca de 2/3 dos portadores da Aids do planeta habitam nesse continente. A África não detém de um consumismo acentuado e sua economia possui destacado declínio. 


Esses fatores colocam o mercado africano bem atrás dos outros mercados quando o assunto é globalização.

O Produto Interno Bruto (PIB) do continente africano limita-se a 1% do PIB de todo o mundo, ficando, a África fora da maioria dos negócios comerciais que ocorrem entre os países.

Embora, em alguns locais do continente africano tenha obtido conquistas expressivas, cerca de 60 países reanalisados no Relatório Humano de Desenvolvimento de 2003 das Nações Unidas, 25 das 53 nações da África receberam o rótulo de nível inferior comparado com as outras nações.

Essa classificação, em partes, se dá por conta do histórico conturbado com densas disparidades, concentradas na maior parte da sociedade pobre mundial. Na época da descolonização da África, no século XX, os atos de improbidade administrativa e mau uso da administração pública feita pelos governantes favoreceram para o empobrecimento econômico da África.

Segundo dados elaborados pela Organização das Nações Unidas (ONU), o turismo na África, entre 2011 a 2014, importou cerca de 8,5% do PIB, gerando mais de dois milhões de empregos. 

Economia africana e suas peculiaridades

A Economia da África gira em torno da agricultura e recursos dos povoados africanos. Das nações africanas, algumas obtiveram considerável estabilidade política. Um exemplo é a África do Sul. Formado por quatorze países o SADC é o mais destacado bloco econômico. 


Entre os mais de 800 milhões de habitantes da África, quase trezentos milhões sobrevivem com menos de um dólar. Isso os deixa bem abaixo do nível de pobreza estabelecido pelo Banco Mundial.

Os números de nascimentos e mortes são altos no continente e, com a baixa expectativa de vida, a África se concentra entre os subdesenvolvidos.

As esferas da economia que caracterizam os países africanos, herdaram muitas dessas peculiaridades do passado colonial através da agricultura e da coleta de produtos naturais - ambos setores com mínimos investimentos. Toda produção agrícola e extrativista do continente tem a finalidade de suprir o mercado externo e isso incide na economia da África.

Em relação ao processo industrial, o mesmo limita-se a algumas áreas do território. A industrialização começou tardiamente, junto com o processo de retirada de características coloniais. Isso colocou as indústrias africanas bem atrás no setor, se comparado aos países desenvolvidos ou mesmo os que possuem sua economia em atraso.

O ponto fraco da economia da África é no setor agrícola, na criação de animais de pasto e no minério. Industrialmente também não existe desenvolvimento.

O cultivo agrícola é direcionado para fora do continente e na maior parcela da população africana, o que impera é a escassez de mantimentos, tirando até o direito básico de alimentação apropriada.

De certo modo, apesar de ser um continente com riquezas naturais, principalmente o minério, a economia da África é precária.


Economia da África do Sul 
A África do Sul destaca-se por conta de sua economia plural. É um dos poucos países do continente africano que possui essa característica.

Se estabelece na esfera de serviços, no âmbito industrial, coleta de produtos da terra e cultivo. Está no ocupando o 1° lugar de país mais abastado e desenvolvido industrialmente da África. Abarca 25% do PIB do continente.

Com todo esse desenvolvimento, a África do Sul, tem recebido investimentos em larga escala. Portando, a economia mais adiantada do continente africano. Essas característica, claro, atraem os olhares dos investidores.

Como o evento da Copa do Mundo de 2010 foi sediado pela África do Sul, a economia do local disparou, principalmente na construção civil, que obteve o maior destaque em incentivos financeiros.

O setor de serviços está totalmente ligado ao movimento turístico. O safári do país atrai centenas de pessoas de todas as partes do mundo, além dos parques e atividades na costa do país, a exemplo do veraneio.

A África do Sul é um grande produtor agrícola e pecuário por conta de sua vasta quantidade de terras com qualidades boas para o plantio. Isso favorece a agricultura. A produção e cultivo de milho, uva, laranja, criação de aves e bovinos são as principais atividades desenvolvidas na região, que também se dedica aos caprinos e a cana-de-açúcar. 
Voltar

Questões