Resumo de Biologia - Ecologia

O termo Ecologia deriva do grego oikos (casa) + logos (estudo), em uma tradução básica significa “estudo da casa”. Esse ramo da biologia estuda a interação entre os seres vivos e o ambiente em que vivem.

A Ecologia é considerada ciência complexa e ampla, com caráter multidisciplinar, pois preocupa-se com o entendimento de toda a natureza. Deste modo, para entendê-la é necessário ter um conhecimento básico sobre Evolução, Genética, Citologia, Anatomia e Fisiologia.

O estudo da Ecologia se divide em dois grupos:

  • Ecobiose: estudo das relações entre os seres vivos e o meio em que vivem, envolvendo componentes abióticos (químicos, físicos ou geológicos).
  • Alelobiose: estudo do relacionamento dos seres vivos entre si. Esse relacionamento ainda divide-se em cenobiose (entre indivíduos de mesma espécie) e aloiobiose (envolve indivíduos de espécies diferentes).
    • Cenobiose: peixes no mar, abelhas na colmeia, um casal em um quarto, etc.
    • Aloiobiose: bactérias no estômago dos ruminantes, vermes no intestino, etc.

Termos importantes em Ecologia

  • Espécie: conjunto de organismos semelhantes capazes de cruzarem em condições naturais, gerando descendentes férteis;
  • Habitat: ambiente físico em que vivem determinadas espécies.
  • Nicho ecológico: atividades realizadas por uma espécie e como se relacionam com outras;
  • Cadeia alimentar: relações alimentares entre os organismos de um ecossistema;
  • Relações ecológicas: interações entre os organismos do ecossistemas. Se entre indivíduos da mesma espécie (intraespecífica) ou espécies diferentes (interespecíficas);
  • Nível trófico: representa as etapas da cadeia alimentar (produtores, consumidores e decompositores), agrupando os seres vivos em níveis semelhantes;
  • Pirâmide ecológica: representação gráfica da estrutura trófica de um ecossistema;

Níveis de organização da Ecologia

A Ecologia ainda organiza-se em quatro níveis obedecendo a um arranjo hierárquico, agrupando dos sistemas mais simples até os mais complexos.

População

Uma população pode ser definida como um grupo de indivíduos que pertencem a mesma espécie e vivem na mesma área, em um determinado período. Complementando essa definição, indivíduos da mesma população têm mais chance de reproduzirem-se entre si do que com indivíduos de outros grupos.

As populações podem mudar de tamanho, a depender de variáveis como nascimentos e migrações, que aumentam o tamanho da população. Bem como podem reduzir as populações, por meio de mortes e emigrações.

Ex: população de jacarés que vivem no pantanal mato-grossense.

Comunidade

Comunidade, também chamada de biocenose ou biótopo, representa o conjunto das populações que vivem na mesma área e interagem entre si. O relacionamento entre essas populações pode ser positivo ou negativo, oferecendo respectivamente, benefícios ou prejuízos.

Ex: animais como crustáceos, poliquetas e moluscos, que vivem no ambiente aquático, fazem parte da comunidade bentônica.

Ecossistema

Ecossistema é o conjunto de comunidades que vivem em uma área especifica, levando em consideração os fatores bióticos (comunidades vivas e suas estruturas) e os fatores abióticos (elementos físicos e químicos). A reunião de diferentes ecossistemas é conhecida como bioma.

Podem ser citados como fatores bióticos os animais e as plantas, bem como as relações ecológicas de predação e parasitismo. Já os fatores abióticos (elementos não vivos) podem afetar os organismos vivos, sendo exemplos os ciclos biogeoquímicos (do nitrogênio, do oxigênio, do carbono) e os aspectos climáticos.

Ex: o conjunto de protozoários, algas, caramujos e peixes de um lago.

Biosfera

A biosfera é o nível mais amplo da Ecologia e corresponde ao conjunto de todos ecossistemas do planeta. A biosfera, por sua vez, é constituída por três elementos importantíssimos para vida na Terra: a hidrosfera, a atmosfera e a litosfera.

Ramos de estudo da Ecologia

Por ser uma área muito ampla, a Ecologia possui muitos ramos de estudos, o que a torna multidisciplinar. No século XX, o botânico Carl Schroter dividiu a Ecologia três grandes grupos: autoecologia, dinâmica das populações e sinecologia.

Autoecologia

A autoecologia é considerado o estudo clássico da Ecologia, que analisa as relações de um organismo com seu ambiente. Ou seja, busca compreender como cada espécie interage com os fatores ambientais (clima, vegetação, relevo, etc.).

Com o passar do tempo, os ecólogos perceberam a importância de analisar as relações entre as espécies. Os estudos desse ramo são mais úteis por meio pesquisas de campo, com observações diretas e experimentações em laboratório.

Dinâmica das populações

Conhecida também como Ecologia das populações ou demoecologia, a dinâmica das populações estuda separadamente a variação de cada população e os motivos para tal fenômeno.  

A densidade populacional pode variar de acordo com quatro fatores: imigração (indivíduos de outras áreas que entram na população), emigração (indivíduos que saem da população), natalidade: (indivíduos que nascem em um determinado período) e mortalidade (indivíduos que morrem).

Sinecologia

Também denominada de Ecologia Comunitária, a sinecologia é voltada para o estudo das comunidades de seres vivos. Ou ainda de acordo com Schroter (1902) “Ecologia dos conjuntos de seres vivos. Do grego: Syn, significa conjunto, oikos, casa e logos estudo”.

Esse ramo da Ecologia divide-se em: sinecologia estática (com foco na distribuição e caracterização dos grupos), que realiza estudos descritivos sobre os grupos e o ambiente, e sinecologia dinâmica (conhecimento obtido pela descrição dos grupos a suas inter-relações).

Voltar

Questões