Conselho Regional de Enfermagem do Maranhão - Enfermeiro Fiscal (2013) Questão 4

Texto I para responder à questão.

A revolução digital 

    Texto e papel. Parceiros de uma história de êxitos. Pareciam feitos um para o outro.
    Disse "pareciam", assim, com o verbo no passado, e já me explico: estão em processo de separação.
    Secular, a união não ruirá do dia para a noite. Mas o divórcio virá, certo como o pôr-do-sol a cada fim de tarde. O texto mantinha com o papel uma relação de dependência. A perpetuação da escrita parecia condicionada à produção de celulose.
    Súbito, a palavra descobriu um novo meio de propagação: o cristal líquido. Saem as árvores. Entram as nuvens de elétrons.
    A mudança conduz a veredas ainda inexploradas. De concreto há apenas a impressão de que, longe de enfraquecer, a ebulição digital tonifica a escrita.
    E isso é bom. Quando nos chega por um ouvido, a palavra costuma sair por outro. Vazando-nos pelos olhos, o texto inunda de imagens a alma.
    Em outras palavras: falada, a palavra perde-se nos desvãos da memória; impressa, desperta o cérebro, produzindo uma circulação de ideias que gera novos textos.
    A Internet é, por assim dizer, um livro interativo. Plugados à rede, somos, autores e leitores. Podemos visitar as páginas de um clássico da literatura. Ou simplesmente arriscar textos próprios.
    Otto Lara Resende costumava dizer que as pessoas haviam perdido o gosto pela troca de correspondências. Antes de morrer, brindou-me com dois telefonemas. Em um deles prometeu: "Mando-te uma carta qualquer dia desses".
    Não sei se teve tempo de render-se ao computador. Creio que não. Mas, vivo, Otto estaria surpreso com a popularização crescente do correio eletrônico.
    O papel começa a experimentar o mesmo martírio imposto à pedra quando da descoberta do papiro. A era digital está revolucionando o uso do texto. Estamos virando uma página. Ou, por outra, estamos pressionando a tecla "enter".
(Souza, Josias de. A revolução digital. Folha de São Paulo, São Paulo, 6 de maio de 1996. Caderno Brasil, p. 2.) 


Em "A perpetuação da escrita parecia condicionada à produção de celulose." A ocorrência do sinal indicador de crase justifica-se, pois, o(a) 
  • A verbo "parecer" possui transitividade indireta.
  • B verbo "parecer" exige o uso da preposição "a"
  • C palavra "produção" exige como antecedente a preposição "a".
  • D expressão "produção de celulose" tem função de adjunto adnominal.
  • E termo "condicionada" rege a preposição "a" e "produção" admite o artigo "a".

Encontre mais questões

Voltar