Questão 3 do Concurso Universidade Federal do Maranhão (UFMA) - Assistente em Administração (2017)

Texto 01

Linha de Frente
                                              (Criolo]

O nó da tua orelha ainda dói em mim
E Cebolinha mandou avisar
Que Quando a "fleguesa” chegar
Muitos pãezinhos há de degustar

Magali faz a cadência da situação
É que essa padaria nunca vendeu pão
E tudo que é de ruim sempre cai pra cá
Tem pouca gente na fronteira, então é só chegar

O dinheiro vem pra confundir o amor
O santo pesado que tá sem andor
Na turma da Mônica do asfalto
Cascão é rei do morro e a chapa esquenta fácil

Quem tá na linha de frente
Não pode amarelar
O sorriso inocente
Das crianças de lá

Nó na orelha, faixa 10.

Disponível em: https://www.letras.mus.br/criolo/1895348/


Sobre os versos/ "O nó da tua orelha ainda dói em mim","É que essa padaria nunca vendeu pão” e "Tem pouca gente na fronteira, então é só chegar", é correto afirmar que o autor:

  • A faz uma alusão aos maus tratos cometidos pelo Cebolinha, levando o leitor a interpretar que as crianças entram muito cedo no mundo das drogas, considerando que o Brasil é um lugar de fácil acesso, pois o sistema de segurança pública é falho.
  • B faz uma alusão aos nós dados pelo Cebolinha nas orelhas do Sansão, como uma referência a uma atitude criminosa cometida por uma criança, cuja punição será severa. Nos versos posteriores, ele insinua que a padaria funciona como fachada para o tráfico e finaliza criticando o Brasil por entender que as fronteiras são mal vigiadas, facilitando, assim, a entrada de drogas no país.
  • C faz uma alusão aos nós dados pelo Cebolinha nas orelhas do Sansão, fazendo o leitor interpretar que as crianças cometem crimes, pois são aliciadas por traficantes que entram facilmente no Brasil através das fronteiras desprotegidas.
  • D leva o leitor a pensar que as crianças entram no mundo do crime muito cedo, o que fica claro nos versos seguintes, quando ele afirma que nossas fronteiras são seguras.
  • E leva o leitor a pensar que o aumento do consumo de drogas na infância é causado pela falta de proteção das fronteiras do país.