Questões da Prova da Secretaria de Estado de Defesa Social de Minas Gerais (SEDS-MG) - Agente de ação social (2014) Página 1

As epidemias e doenças infecciosas, que eram as principais causas de morte entre os jovens há cinco ou seis décadas atrás:

  • A Continuam sendo a principal causa de morte entre jovens de 15 (quinze) a 29 (vinte e nove) anos no Brasil.
  • B Foram rapidamente substituídas pelos altos índices de homicídios ocorridos em disputas territoriais, conflitos de fronteira, raciais ou étnicos.
  • C Permanecem crescendo, sendo acompanhadas pela grande mortalidade decorrente de homicídios, cujos números vêm crescendo em virtude da ausência de estratégias de desarmamento.
  • D Foram sendo progressivamente substituídas pelas denominadas causas externas, principalmente, acidentes de trânsito e homicídios.

Trata-se do “conjunto de cargos de provimento efetivo e de provimento em comissão de órgão ou de entidade”. O conceito se refere:

  • A À carreira.
  • B Ao grau.
  • C Ao quadro de pessoal.
  • D Ao grupo de atividades.

A execução dos Planos de Atendimento Socioeducativo será acompanhada:

  • A Pelo Poder Judiciário e Ministério Público.
  • B Pelos Poderes Legislativos federal, estaduais, distrital e municipais, por meio de suas comissões temáticas pertinentes.
  • C Pelos Conselho Estadual e Municipal dos Direitos da Criança e do Adolescente.
  • D Pela Secretaria de Direitos Humanos da Presidência da República.

O Estatuto da Criança e do Adolescente NÃO considera crime, a prática de:

  • A Deixar o médico, professor ou responsável por estabelecimento de atenção à saúde e de ensino fundamental, pré-escola ou creche, de comunicar à autoridade competente os casos de que tenha conhecimento, envolvendo suspeita ou confirmação de maus-tratos contra criança ou adolescente.
  • B Submeter criança ou adolescente sob sua autoridade, guarda ou vigilância a vexame ou a constrangimento.
  • C Descumprir, injustificadamente, prazo fxado no Estatuto da Criança e do Adolescente em benefício de adolescente privado de liberdade.
  • D Privar a criança ou o adolescente de sua liberdade, procedendo à sua apreensão sem estar em fagrante de ato infracional ou inexistindo ordem escrita da autoridade judiciária competente.

Trata-se de mecanismo que “opera de forma a induzir, manter e condicionar a organização e a ação do Estado, suas instituições e políticas públicas – atuando também nas instituições privadas, produzindo e reproduzindo a hierarquia racial”. O conceito se refere:

  • A Às políticas afirmativas.
  • B Ao racismo institucional.
  • C Ao preconceito de gênero.
  • D Ao preconceito de classes