Questões da Prova da Universidade Estadual de Goiás (UEG) - Professor - Nível Superior (2018)

Limpar Busca

Nos três primeiros parágrafos do texto 1 (linhas 1-16), Descartes, para se referir ao conhecimento, se utiliza de uma metáfora, que está relacionada aos seguintes termos:

  • A apercebi, recebera, estabelecer, começar, encontrar, examine.
  • B opiniões, verdadeiras, assegurados, duvidoso, incerto, falsas.
  • C fundei, fundamentos, firme, alicerces, edifício, apoiadas.
  • D crédito, ciências, espírito, livre, liberdade, trabalho.
  • E princípios, constante, repouso, solidão, necessário, desígnio.

No texto 1, Descartes defende a ideia de que

  • A o conhecimento é uma construção coletiva cumulativa para a qual ele pretende dar sua contribuição, aproveitando todo o saber elaborado até o momento e que ele considera perene e sólido.
  • B as opiniões verdadeiras são o princípio fundamental da filosofia e das ciências e, por essa razão, devem ser cultivadas a partir de uma mente criativa e bem conduzida pela imaginação.
  • C os sentidos, embora imperfeitos, são uma fonte confiável e sólida para o conhecimento humano, razão pela qual a experiência sensível é o fundamento para a busca da verdade.
  • D os conhecimentos obtidos pelos sentidos são verdadeiros e devem ser aceitos com base no fato de que as sensações corpóreas são processadas pela razão e pela imaginação.
  • E a busca do conhecimento claro e evidente e das coisas certas e indubitáveis passa pela colocação em dúvida de falsas opiniões e de princípios mal assegurados.

A argumentação que Descartes desenvolve nos textos apresentados encontra seu ápice em dois trechos:


“[...] esta proposição, eu sou, eu existo, é necessariamente verdadeira todas as vezes que a enuncio ou que a concebo em meu espírito”. (Texto 1: linhas 53-55)


“E, notando que esta verdade – eu penso, logo existo – era tão firme e tão certa que todas as mais extravagantes suposições dos céticos não seriam capazes de a abalar, julguei que podia aceitá-la, sem escrúpulo, como o primeiro princípio da Filosofia que procurava.” (Texto 2: linhas 17-20)


Nesses excertos, Descartes está

  • A negando a existência dos seres irracionais, já que a capacidade de pensar é pré-requisito para a existência de qualquer ser.
  • B reconhecendo que o indivíduo, quando consciente da própria existência perante os demais seres humanos, está em uma situação social e juridicamente vantajosa.
  • C provando racionalmente que a proposição aristotélica de que “o homem é um animal racional” é verdadeira, na medida em que o homem é dividido em corpo e alma.
  • D defendendo que a linguagem é fundamental para a elaboração e transmissão do conhecimento, razão pela qual a lógica e a retórica são tão valorizadas em seu método filosófico.
  • E mostrando, por vias racionais, que é possível atingir, apenas pelo uso da razão, um conhecimento claro e evidente, a que qualquer ser humano pode chegar sem grandes dificuldades.

No primeiro parágrafo do texto 2 (linhas 1-8), Descartes assume que

  • A buscará a verdade a partir da rejeição de qualquer verdade aceita que possa suscitar alguma dúvida.
  • B as opiniões, por mais oscilantes que sejam, devem ser consideradas como verdades possíveis.
  • C os costumes populares, cristalizados no imaginário coletivo, são legítimas fontes da verdade.
  • D elucubrações de teor metafísico, por serem incomuns, devem ser veneradas pelas pessoas.
  • E é impossível atingir um fundamento sólido para se alcançar a verdade que ele persegue.

Considerando-se o conteúdo e a forma dos dois textos apresentados, constata-se que há, entre eles, uma relação de

  • A contradição
  • B incoerência
  • C intertextualidade
  • D desconstrução
  • E paradoxo