Questões da Prova do Ministério Público do Estado do Rio de Janeiro (MPE-RJ) - Técnico - Ministério Público - Administrativa (2019)

Limpar Busca

“O livro acompanha a humanidade há tempos. Sua história é complexa e envolve inúmeras mudanças; do livro em rolo ao formato atual, lá se vão 4,5 séculos. Ao longo dessa trajetória, porém, uma característica perdurou: o livro sempre foi um repositório de conhecimento que circulava na época – e foi dessa forma que entrou na sala de aula”.
Ao dizer que o livro sempre foi um repositório de conhecimento que circulava na época, a leitura do texto nos permite concluir que:

  • A há sempre uma necessidade de renovação do livro em razão da contínua evolução dos conhecimentos;
  • B permanece a procura por um livro didático ideal, já que todos são, por definição, deficientes;
  • C continua a valorização do livro didático antigo e já experimentado por se ter mostrado útil através dos tempos;
  • D se trata de um material didático que se caracteriza por seu conservadorismo, por veicular conhecimentos estabelecidos;
  • E traz a marca histórica de ter veiculado conhecimentos através dos tempos e, por isso, deve preservar seus conteúdos.

O título “Podcasts: quem são, onde vivem, o que comem”, atribuído ao texto por Cora Rónai, cria a expectativa de que os podcasts sejam seres vivos com a intenção de

  • A usar uma metáfora criativa, divertindo os leitores desde o início do editorial.
  • B confundir os leitores, apresentando um significado equivocado para a palavra “podcasts”.
  • C captar o leitor, simulando o desconhecimento de muitas pessoas em relação aos podcasts.
  • D comparar os podcasts aos gatos de estimação, alertando aos leitores sobre a dependência que causam.

A introdução do no 13 da revista Educatrix diz o seguinte:
Antes de iniciar a leitura, pare e pense com quantas pessoas você compartilhou informações hoje. Agora mesmo, neste exato momento, nós estamos trocando bagagens culturais: a história da vida de quem escreve daqui e a de quem lê daí. Há, de fato, uma premissa básica para a sobrevivência humana: o viver em comunidade e a vivência compartilhada.
Sobre a estruturação desse texto, é correto afirmar que:

  • A as formas verbais pare e pense indicam uma ordem para que o leitor possa realizar corretamente a leitura do texto;
  • B no segmento Agora mesmo, neste exato momento há uma construção enfática, já que há redundância nos termos;
  • C as formas daqui e daí mostram uma oposição entre autor e leitores em relação às mensagens;
  • D a expressão de fato indica uma confirmação de algo negado anteriormente;
  • E nos segmentos viver em comunidade e vivência compartilhada há uma obrigatória interdependência.

“Sou mais leitora do que ouvinte; de todos os formatos de informação de que dispomos, o texto continua sendo o meu favorito, disparado.” (linhas 1-3)


Os vocábulos sublinhados no fragmento classificam-se, respectivamente, do ponto de vista morfológico, como:

  • A Pronome relativo, conjunção subordinativa, adjetivo
  • B Conjunção subordinativa, pronome relativo, advérbio
  • C Conjunção coordenativa, conjunção subordinativa, substantivo
  • D Partícula de reforço, conjunção coordenativa, adjetivo

No mesmo número da revista Educatrix, aparece o seguinte texto sobre criatividade:
A criatividade é uma questão constantemente colocada em pauta na educação contemporânea. Tendências, como a cultura maker, têm entre suas razões de ser a busca de um sonho pedagógico que se perde na preparação para o vestibular e no progressivo aumento da competitividade: a formação de seres humanos capazes de inovar e criar soluções.
A afirmação inadequada sobre esse fragmento textual é:

  • A o primeiro período do texto é uma afirmação de caráter geral que introduz a apresentação do tema;
  • B a definição de criatividade é dada pela capacidade de inovar e criar soluções;
  • C o sonho pedagógico perseguido está expresso ao final do texto: a formação de seres humanos capazes de inovar e criar soluções;
  • D a preparação para o vestibular é uma oportunidade única para o desenvolvimento da criatividade individual;
  • E o aumento da competitividade leva à perda da formação de seres humanos criativos.