Questões de Tuberculose (Enfermagem)

Limpar Busca

De acordo com o Manual de Recomendação para o Controle da Tuberculose no Brasil, do Ministério da Saúde, considere a alternativa INCORRETA:

  • A Para o sucesso do tratamento da tuberculose, é fundamental que o profissional de saúde acolha o usuário no serviço de saúde, desde o diagnóstico até a alta. A abordagem humanizada e o estabelecimento de vínculo entre profissional de saúde e usuário, com escuta de saberes, dúvidas, angústias e a identificação de vulnerabilidades, auxiliam tanto no diagnóstico como na adesão ao tratamento.
  • B Os medicamentos antiTB, em geral, interferem no sistema enzimático do bacilo ou bloqueiam a síntese de algum metabólito essencial para o seu crescimento. Os fármacos só atuam quando há atividade metabólica, ou seja, bacilos em estado de latência não são atingidos pelos medicamentos, mas são destruídos pelo sistema imunológico.
  • C Na lesão pulmonar cavitária, não existe condições ideais para a atividade metabólica e para o crescimento bacilar rápido, pois o bacilo é dependente de oxigênio para o seu metabolismo e tem seu comportamento modulado pela concentração do gás no ambiente em que ele se encontra, processo dificultado pela caseação.
  • D O esquema de tratamento da tuberculose é padronizado, deve ser realizado de acordo com as recomendações do Ministério da Saúde e compreende duas fases: a intensiva (ou de ataque), e a de manutenção.

Para o controle da Tuberculose no Brasil, o objetivo de “Fortalecer a participação da sociedade civil nas estratégias de enfrentamento da doença”, envolve estratégias do tipo:

  • A Pautar a tuberculose na agenda política das três esferas de governos, por meio da articulação com executivo, legislativo e judiciário; pautar a tuberculose nas seguintes agendas de trabalho: assistência social, educação, justiça, direitos humanos, entre outros.
  • B Implementar as recomendações das políticas vigentes de articulação intra e intersetorial; implementar as recomendações da Instrução Operacional conjunta entre Secretaria de Vigilância em Saúde (SVS) e Secretaria Nacional de Assistência Social (SNAS).
  • C Apoiar as ações de comunicação, advocacy e mobilização social desenvolvidas pela sociedade civil; incluir a participação da sociedade civil no planejamento, monitoramento e avaliação das ações de enfrentamento da tuberculose nas três esferas de gestão.
  • D Integrar os sistemas de informação para atender as necessidades da vigilância da tuberculose; apoiar o desenvolvimento científico e tecnológico no país.
A tuberculose pode ser causada por qualquer uma das sete espécies que integram o complexo Mycobacterium tuberculosis. Sendo assim, qual das alternativas não corresponde a um desses tipos?
  • A M. tuberculosis.
  • B M. bovis.
  • C M. africanum.
  • D M. koch.
Sobre os três pilares e componentes da estratégia pelo fim da tuberculose, sobre as ações contidas no Pilar 1 - Prevenção e cuidado integrado e centrado no paciente, é incorreto afirmar que, se deve realizar:
  • A O diagnóstico precoce, teste de sensibilidade antimicrobiano universal, investigação sistemática dos contatos e das populações mais vulneráveis.

  • B Atividades colaborativas TB-HIV e manejo de outras comorbidades.
  • C Pesquisa para otimizar a implantação, impacto e promoção de inovações.
  • D Tratamento de todos os casos de tuberculose, incluindo casos de tuberculose drogarresistente e apoio ao paciente.
A comprovação bacteriológica dos casos de tuberculose é fundamental tanto para o diagnóstico quanto para o controle da doença. Para a realização da baciloscopia, recomenda(m)-se:
  • A duas amostras de escarro: uma no momento da identificação do Sintomático Respiratório (SR) e outra na manhã do dia seguinte.
  • B duas amostras de escarro: uma no momento da identificação do Sintomático Respiratório (SR) e outra na semana seguinte.
  • C uma amostra de escarro no momento da identificação do Sintomático Respiratório (SR).
  • D três amostras de escarros: a primeira coleta no momento da identificação do Sintomático Respiratório (SR), a segunda coleta depois de 10 dias da primeira e a terceira coleta 10 dias depois da segunda.
  • E duas amostras de escarro: uma no momento da identificação do Sintomático Respiratório (SR) e outra após o resultado da primeira, para evitar falso-positivo.