Questões de Doenças Infecciosas e parasitárias (Enfermagem)

Limpar Busca

De acordo com o Manual de Recomendação para o Controle da Tuberculose no Brasil, do Ministério da Saúde, considere a alternativa INCORRETA:

  • A Para o sucesso do tratamento da tuberculose, é fundamental que o profissional de saúde acolha o usuário no serviço de saúde, desde o diagnóstico até a alta. A abordagem humanizada e o estabelecimento de vínculo entre profissional de saúde e usuário, com escuta de saberes, dúvidas, angústias e a identificação de vulnerabilidades, auxiliam tanto no diagnóstico como na adesão ao tratamento.
  • B Os medicamentos antiTB, em geral, interferem no sistema enzimático do bacilo ou bloqueiam a síntese de algum metabólito essencial para o seu crescimento. Os fármacos só atuam quando há atividade metabólica, ou seja, bacilos em estado de latência não são atingidos pelos medicamentos, mas são destruídos pelo sistema imunológico.
  • C Na lesão pulmonar cavitária, não existe condições ideais para a atividade metabólica e para o crescimento bacilar rápido, pois o bacilo é dependente de oxigênio para o seu metabolismo e tem seu comportamento modulado pela concentração do gás no ambiente em que ele se encontra, processo dificultado pela caseação.
  • D O esquema de tratamento da tuberculose é padronizado, deve ser realizado de acordo com as recomendações do Ministério da Saúde e compreende duas fases: a intensiva (ou de ataque), e a de manutenção.

Para o controle da Tuberculose no Brasil, o objetivo de “Fortalecer a participação da sociedade civil nas estratégias de enfrentamento da doença”, envolve estratégias do tipo:

  • A Pautar a tuberculose na agenda política das três esferas de governos, por meio da articulação com executivo, legislativo e judiciário; pautar a tuberculose nas seguintes agendas de trabalho: assistência social, educação, justiça, direitos humanos, entre outros.
  • B Implementar as recomendações das políticas vigentes de articulação intra e intersetorial; implementar as recomendações da Instrução Operacional conjunta entre Secretaria de Vigilância em Saúde (SVS) e Secretaria Nacional de Assistência Social (SNAS).
  • C Apoiar as ações de comunicação, advocacy e mobilização social desenvolvidas pela sociedade civil; incluir a participação da sociedade civil no planejamento, monitoramento e avaliação das ações de enfrentamento da tuberculose nas três esferas de gestão.
  • D Integrar os sistemas de informação para atender as necessidades da vigilância da tuberculose; apoiar o desenvolvimento científico e tecnológico no país.

A Febre Tifoide está, diretamente, associada a baixos níveis socioeconômicos, principalmente em regiões com precárias condições de saneamento básico, higiene pessoal e ambiental. É CORRETO afirmar que se trata de uma doença:

  • A Viral.
  • B Bacteriana.
  • C Helmíntica.
  • D Parasitária.
A raiva é uma doença infecciosa viral aguda, que acomete mamíferos, inclusive o homem, e caracteriza-se como uma encefalite progressiva e aguda com letalidade de, aproximadamente, 100%. Com relação à Raiva, considere a alternativa CORRETA:
  • A É causada pelo Vírus do gênero Togavírus, da família Rabhdoviridae.
  • B É vantagem da profilaxia pré-exposição da Raiva que esta desencadeia a resposta imune secundária mais rápida (booster), quando iniciada a pós-exposição.
  • C É medida de prevenção da raiva recolher morcegos, principalmente, quando estiverem caídos, no chão, ou encontrados em situações não habituais.
  • D A vigilância da raiva animal, no Brasil, engloba ações desenvolvidas, exclusivamente, pelo Ministério da Saúde.
Os condicionantes que podem permitir a expansão do Chikungunya, no Brasil, assim como nas Américas, referem-se, em grande parte, ao modelo de crescimento econômico implementado, na região, caracterizado pelo crescimento desordenado dos centros urbanos com importantes lacunas, no setor de infraestrutura, tais como:
  • A dificuldades para garantir o abastecimento regular e contínuo de água, a coleta e o destino adequados dos resíduos sólidos.
  • B casos autóctones esporádicos e casos importados.
  • C a busca ativa das vigilâncias epidemiológicas das SES/SMS sobre coleta, acondicionamento e transporte de amostras.
  • D as capacitações locais sobre a manifestação clínica, diagnóstico, tratamento, reabilitação, grupos de risco e fluxo assistencial.